O Que as Corretoras Não Te Contam – Parte 1

Nem todo mundo sabe que aquele dinheiro parado na conta das corretoras é uma mina de ouro para elas. Este dinheiro é chamado “float” e é utilizado pelas corretoras para obter remunerações à taxa do CDI. Mesmo que você pense que é pouco dinheiro, imagine uma corretora com milhares de cliente depositando e resgatando investimentos diariamente. Geralmente o float varia de 1 a 2% dos recursos sob custódia das corretoras.

Isto é o que explica o educador financeiro André Bona em recente vídeo postado no seu canal do Youtube. Ele dá o exemplo didático de uma corretora que tenha 50 bilhões de reais sob custódia, cujo float pode ser de mais ou menos de 750 milhões de reais, montante este que geraria uma receita mensal de 6 milhões de reais apenas com o float (considerando um CDI de 0,8% ao mês).

dinheiro parado na corretora

Ou seja, não é só de corretagens, taxas de administração, spreads e operações estruturadas que vivem as corretoras. O seu dinheiro que está parado na conta rende uma grana preta para elas. Mesmo que você não deixe nenhum dinheiro parado na corretora por mais de dois dias, o simples fato de transferir uma quantia para comprar um título público via Tesouro Direto já é suficiente para a corretora ganhar um dia de CDI.

Taxa Zero no Tesouro Direto

André Bona foi mais além na sua pesquisa e explicou o custo oculto que existe em algumas corretoras que veiculam taxa zero no Tesouro Direto. Como explicado no vídeo abaixo, a data de repasse das taxas semestrais das corretoras para o Tesouro é na terceira segunda-feira de janeiro e julho. Contudo algumas corretoras cobram dos cliente a taxa semestral no primeiro dia útil do mês, ou seja, ganham praticamente 15 dias de rendimento em cima deste float gerado.

O educador termina o vídeo fazendo um importante questionamento: qual é a real necessidade de termos uma corretora realizando a intermediação financeira entre investidor e Tesouro? Por que o debito não pode ocorrer diretamente na conta bancária do cidadão? Como ele mesmo cita, no E.U.A. por exemplo o debito do Tesouro pode ocorrer diretamente da conta corrente. Veja o vídeo e me dê sua opinião.

suno research recomendação

25 comentários em “O Que as Corretoras Não Te Contam – Parte 1

  1. Stifler Pobre Responder

    No caso de bancos não é a toa que há um grande temor quando há grandes retiradas da poupança, pois os bancos deixam de ganhar com o nosso dinheiro, quanto as corretoras nunca imaginei isso, e realmente devem render muito a eles isso !!

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Com dizia minha vó: pessoal não dá ponto sem nó, rs

  2. ANDRE R AZEVEDO Responder

    E olha que o dimdim que eu deixo parado na conta da corretora para cobrir os eventuais sobe e desce dos contratos futuros não é pouca coisa não rsrs. Mas deixam elas Uó, eles precisam ser remuneradas também 🙂

    Abraço!

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Pois é André, estou deixando 3.000 reais só para garantir os ajustes do dólar, mas agora estou líquido nele, o dinheiro está lá de bobeira, rs.

      Abraço!

  3. Anna Responder

    A questão e se não sobra dinheiro na conta da corretora. Ela tem o direito de me cobra esse float com atraso?

  4. Renato Responder

    Uso o tesouro pre com juros semestrais, o valor do cupom serve para quitar as taxas semestrais

  5. Thiago Pagonha Responder

    Grandes bancos além de fazerem isso, cobram taxa ainda por cima, ou seja, a maior pilantragem. Agora, nada mais justo para as corretoras e bancos digitais fazerem isso já que estão nos isentando de taxas! Eu apoio! Com cartão de crédito, desconfio que as empresas vendem nossas informações de consumo por aí. De novo, apoio as novas fintechs que não cobram taxas nem anuidade de cartão de crédito e desaprovo completamente as instituições consolidadas que cobram anuidade de cartão e ainda faz o que quer com nossas informações pessoais. Já passou da hora de migrarmos nossas contas para os novos bancos digitais que não cobram taxas nem anuidade.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Opa Thiago!

      As fintechs são uma realidade, mas os grandes bancos estão criando suas próprias fintechs, vamos ver no que vai dar isto, rs.

  6. Jacqueline Responder

    Esse vídeo do Bona é muito bom! Sempre achei que a “taxa zero” fosse só uma isca para atrair investidores para no futuro a corretora empurrar outros produtos pra eles, mas o buraco é mais embaixo.
    Não existe almoço grátis mesmo, sobretudo (lógico!) no mercado financeiro.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Isto mesmo Jac, além do float em si, a “taxa zero” é uma excelente ferramenta de marketing.

  7. raphafiis Responder

    Os bancos fazem o mesmo, a remuneração da conta-poupança é uma pequena fração do lucro obtido com o seu dinheiro parado na conta e serve como um “incentivo” para o correntista deixar cada vez mais capital a disposição deles.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Fala Rapha!

      Por isto mesmo gosto de investir em ações de bancos, rs.

  8. Investidor Inglês Responder

    É Uó! elas precisam ganhar dinheiro… Essa é a forma de muitas oferecem taxa zero, não cobrar custódia…

    Como disse o Mauricio, “Não há almoço grátis”.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Com certeza Inglês, perdem por um lado e ganham por outro.

  9. dasilvj4 Responder

    Bom lembrar tbm que o dinheiro com mais risco no mercado financeiro é aquele parado na corretora.

    Em ações, fundos ou titulos há as proteções padrão, já o que fica na corretora pode ser levado com muito mais facilidade, e não há muito o que se fazer, FGC, B3 e outras não podem te ajudar muito.

  10. Termos Reais Responder

    Sim, as corretoras fazem isso. Também ganham comissão na distribuição de produtos financeiros, taxas de corretagens, etc. Mas o valor proporcionalmente auferido em cima do cliente não é tão rentável quanto de uma instituição financeira. O sonho de qualquer corretora é virar uma instituição financeira. A criação de produtos financeiros é muito mais rentável que a distribuição deles. Quem tá no andar de baixo quer subir. Corretoras falam mal de bancos por conta de seu modelo de negócios, mas todas sonham em se tornar um. E quem não quer vai ser engolido por quem quer.

    Fazendo uma engenharia reversa: um AAI não gostaria de ser uma corretora?

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Lucro é o que importa, como disse abaixo, até prefiro que elas lucrem muito para não quebrarem e me darem amolação,rs.

  11. Cowboy Investidor Responder

    Nunca tinha pensado nisso. Sei que os bancos fazem isso com o dinheiro que fica parado na conta corrente. Às vezes eu deixo uma mixaria na corretora, pois é um dinheiro que não dá para comprar nada.

    Abraços.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Eu deixo em torno de 1% de todo meu capital, é um bom dinheiro. Deixo algumas ordens de compra lançadas, por isto sempre tem dinheiro lá. Se a corretora estiver fazendo bom uso deste float fico feliz, ao menos assim ela não quebra e não me dá amolação, rs.

      Abraço!

  12. Maurício Veloso Queiroz Responder

    Geralmente é o contrário, as corretoras costumam acusar os gerentes de relacionamento bancário e os próprios bancos com artigos intitulados de forma muito semelhante, como “o que o seu gerente de relacionamento não te conta”, ou “o que o seu banco não quer que você saiba”, tenho certeza que não escolheu o título aleatoriamente.

    E a verdade é que todas elas são instituições financeiras, e não instituições de caridade.

    Vale aquela famosa lição: “Não há almoço grátis”.

    Abraço!

    http://antipoda.com.br/

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Fala Veloso!

      Com certeza não fazem caridade, mas o objetivo mesmo deste vídeo do Bona foi alertar quando a esta famosa “taxa zero”, é como nos financiamentos de veículos, ou seja, a taxa é zero mas pode ter certeza que a instituição está ganhando de uma outra forma. Então, na hora de procurar uma corretora, é bom ficar atento a outras questões e não só à taxa “zerada”.

      Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.