Você é uma Pessoa Criativa?!

Para mim, “criatividade é a capacidade de ver o óbvio antes de todo mundo”. Para Ghiselin (1952), “criatividade é o processo de mudança, de desenvolvimento, de evolução na organização da vida subjetiva”. Para Flieger (1978), “criatividade é o ato de manipular símbolos ou objetos externos para produzir um evento incomum para nós ou para nosso meio”. Para Stein (1974), “criatividade é o processo que resulta em um produto novo, que é aceito como útil, e/ou satisfatório por um número significativo de pessoas em algum ponto no tempo”. 

Como podemos ver, muitos autores já definiram criatividade à sua maneira. Mas o conceito básico é: criatividade representa a emergência de algo único, original e, de certa forma, simples. Para ser criativo, é preciso ser sensível a problemas, deficiências e lacunas no conhecimento. É preciso identificar as dificuldades e buscar soluções, formular hipóteses a respeito dos problemas e testar e as soluções imaginadas. Um produto ou resposta serão considerados criativos na medida em que são novos e apropriados, úteis ou de valor para o problema proposto.

Como Ter Criatividade

É consenso entre os estudiosos do comportamento humano que o potencial criativo de um indivíduo tem início na infância. Na medida em que uma criança tem suas iniciativas criativas reconhecidas e elogiadas pelos pais, será alta a probabilidade desta criança se tornar um adulto inventivo e criativo. O inverso também é verdadeiro, isto é, se os pais não incentivam a criatividade dos seus filhos, a chance desta criança se tornar um adulto limitado será grande.

Quando o indivíduo percebe que seus pensamentos e ações são reconhecidos e valorizados, tende então a ser mais criativo. É por isto que alguns estudiosos acreditam que a criatividade é uma habilidade que pode ser desenvolvida ao longos dos anos, enquanto outros têm a visão de que a criatividade é uma habilidade que vem do berço, ligada a fatores genéticos/hereditários.



O fato é que todo ser humano possui pelo menos uma habilidade nata. Por exemplo, se você nasceu com dom para música, basta se dedicar que será um bom músico. Contudo, não quer dizer que será um músico criativo e lançará as músicas mais tocadas nas rádios. A criatividade deve ser sim desenvolvida, não basta ser bom em algo, seu potencial criativo dependerá de outros fatores e não somente das suas aptidões.

Mas há quem diga que todo ser humano nasce criativo, e é o ambiente externo (sociedade, família, escola…) que faz com que este potencial seja suprimido ao longo dos anos. Começa pelos pais que dizem “Não” o tempo todo para os filhos. Passa pelos professores das escolas que seguem scripts formatados de ensino. E culmina com o ambiente corporativo das empresas repleto de regras e códigos de condutas.

Pense Fora da Caixa

O jargão “pense fora da caixa” ficou famoso nos últimos anos. Todo guru e palestrante motivacional citava esta frase nos palcos do Brasil. Para eles, pensar fora da caixa é sinônimo de criatividade, de inovação, de originalidade. O mote é: saia da caixa e expanda sua mente. Não siga as normas pré-estalecidas e não copie o que já foi feito milhares de vezes.

Mas por que está todo mundo dentro de caixas? A resposta pode estar no tópico anterior. Explico, não é dito que todo mundo nasce criativo? Em outras palavras, podemos dizer que seu filho de 1 ano de idade é um ser-humaninho totalmente fora da caixa. E será você que começará o processo de encaixotamento. Processo este que continuará na escolinha, no ensino fundamental, no ensino secundário e na faculdade.

Quando este indivíduo chegar no seu primeiro emprego, já estará totalmente encaixotado. Aí o setor de RH da empresa irá contratar um palestrante para ministrar a palestra intitulada “Pense Fora da Caixa”. Será uma bela apresentação e o estagiário sairá do teatro totalmente motivado. Mas no dia seguinte voltará a preencher as mesmas planilhas e responder os mesmos emails.


Criatividade e Inovação

A palavra criatividade vem do latim creatus, que significa criar. De acordo com o dicionário Houaiss, criatividade pode ser definida como “a qualidade ou característica de quem é criativo; tem inventividade; possui inteligência e talento, natos ou adquiridos, para criar, inventar, inovar”. Já o dicionário Aurélio define criatividade como “capacidade criadora, engenho, inventividade; capacidade que tem um falante nativo de criar e compreender um número ilimitado de sentenças em sua língua.”

Resumindo, criatividade é a capacidade de criar algo. Mas daí surge uma dúvida: Apenas quem cria coisas é considerado criativo?

A resposta é não. O potencial criativo envolve também renovação e não só criação, isto é, criatividade não tem a ver apenas com o ato de criar algo novo. Pense que a grande parte das invenções e descobertas de hoje são baseadas em coisas e  ideias já existentes. Sendo assim, em tese, todas as pessoas podem ser criativas já que não é necessário criar algo novo totalmente do zero, pode-se simplesmente aperfeiçoar algo já existente. Estamos então falando de inovação.

Inovar é o ato de renovar, criar uma novidade, aperfeiçoar. Podemos então dizer que a inovação passa pela obrigatoriamente pela criatividade.

Ideias Criativas

Como eu disse no início do artigo, “criatividade é a capacidade de ver o óbvio antes de todo mundo”. Muitas vezes, a ideia mais eficiente está na nossa cara mas não vemos. Então, aquele que ver primeiro a solução, será considerado o mais criativo, o mais inovador e o mais invetivo. Não necessariamente será o mais engenhoso, pois a solução pode ser tão simples que não demandará maiores esforços. Todos esforço estará mesmo na observação do problema e não na implementação da solução.

Ideia Criativa No. 1: Carrinho de Supermercado

Esta história eu ouvi em um podcast de Max Gehringer na rádio CBN anos atrás. Até o surgimento dos supermercados, ocorrido nos Estados Unidos durante os anos 30, a comercialização de alimentos,  produtos de higiene e limpeza era feita em pequenos comércios como mercearias, empórios, açougues, quitandas, feiras livres entre outros. O sistema operacional era o de atendimento pessoal: vendedores de um lado do balcão e clientes do outro. O atendente recebia o cliente e ia selecionando os produtos que ele pedia.

O fato de cada cliente precisar se atendido por um funcionário e este ter de selecionar cada item, fazia com que o custo operacional do estabelecimento fosse alto. Comércios como este existem até hoje, e provavelmente você já percebeu que o preço dos produtos nestas lojinhas é mais alto do que nos supermercados. Veio então a depressão econômica no inicio da década de 30 e o Crash da Bolsa de Nova York. O desemprego e o declínio da renda foram devastadores. Com a queda do poder de compra da população, alguns comerciantes tiveram que colocar a criatividade para trabalhar.

O problema a ser solucionado era o alto custo operacional do comércio. A solução veio em galpões antigos ou de indústrias falidas e em áreas distantes das tradicionais de mercado, onde os alugueis eram mais caros. Pensando no aumento das margens, os balconistas que antes atendiam os clientes foram dispensados, agora os próprios consumidor se encarregaria de escolher e transportar suas mercadorias. Na saída dos galpões, uma caixa registradora era usada para somar os itens e efetuar o pagamento da conta, assim surgia o supermercado.

carrinho de supermercado

Ideia criativa: carrinho de supermercado.

Apesar da ideia criativa, mesmo que as margens tivessem aumentado, esperava-se que o consumo também tivesse aumentado já que os próprios consumidores estariam livres para escolher os produtos desejados. Mas isto não ocorreu. Foram necessários 7 anos para que uma pessoa tivesse outra ideia criativa, isto é, enxergar o óbvio antes de todo mundo.

Em uma noite de 1936 na cidade de Oklahoma, Sylvan Goldman estava pensando em como fazer com que os clientes do seu supermercado transportassem mais produtos. Então, ele pegou uma cadeira, colocou uma cesta aramada no assento e rodas nos pés da cadeira. A partir daí, Goldman e seus funcionários começaram a brincar com idéias e desenvolver novos protótipos, que acabariam se tornando o primeiro carrinho de supermercado da história.

Em 1940, seu carrinho recebeu a primeira patente sob o título “Carruagem de Cesto Dobrável para Lojas de Auto-Serviço” e foi apresentada aos clientes. À princípio a invenção não foi bem aceita – os homens achavam que era algo feminino e as mulheres achavam ofensivo, uma cópia aos carrinhos de bebês  – e foi só com tempo e uso de promotores nas lojas que Goldman fez com que o carrinho se tornasse um hábito.

A partir daí, foram desenvolvidos cestos maiores, e novos designs, porém o grande sucesso veio mesmo quando Orla Watson desenvolveu o encaixe dos carrinhos, em 1946. Essa invenção ocorreu a partir do que foi chamado à época de “Porta Traseira que Balança”, e permitiu que os carrinhos ocupassem menos espaço dentro das lojas, atributo que permanece até hoje.

Hoje, você chega no supermercado, pega um carrinho, e nem se dá conta que foram necessários 16 anos para se chegar naquela solução. Uma solução super simples mas que demandou que pessoas criativas gastassem anos para enxergar o óbvio antes de todo mundo. E mesmo encontrando a solução perfeita, foi necessário um esforço enorme para fazer com que as pessoas acostumassem com a mesma. Então, não basta ser criativo, tem que ser acima de tudo, persistente.

Ideia Criativa No. 2: Estande de Ovos de Páscoa

Esta história eu li no livro Sonho Grande (leitura recomendadíssima para todo empreendedor). Não vou contar a história, para facilitar vou colar aqui o trecho do livro.

Contratar um “forasteiro” para ocupar um posto-chave em suas empresas é exceção nos negócios de Jorge Paulo, Marcel e Beto. A prioridade sempre foi dar oportunidade a quem já estava dentro e tinha talento. Mas Magim não era exatamente um desconhecido. Ele havia conhecido Beto Sicupira anos antes, quando foi até a Lojas Americanas questionar por que a rede vendia poucos ovos de Páscoa da Lacta. Pelas contas do executivo, a varejista tinha condições de quintuplicar as vendas do chocolate que ele fabricava. Beto argumentou que não havia espaço nas prateleiras para expor tamanho volume de ovos. Magim foi embora, inconformado com o desfecho da conversa. Horas mais tarde, ligou para o empresário:

– Beto, achei o lugar.

– Ah, é? Então vem aqui. Vamos conversar e alguém nessa companhia vai levar um esporro por ter deixado espaço ocioso dentro da loja.

A saída proposta por Magim seria adotada não só pela Americanas, mas por todos os grandes varejistas brasileiros: os ovos deveriam ser pendurados numa estrutura erguida em cima dos corredores, em vez de ocupar lugar nas prateleiras. Beto adorou a ideia e decidiu colocá-la em prática. Deu certo. A Lacta vendeu para a Americanas cinco vezes mais chocolates do que no ano anterior. No sábado de Aleluia, véspera da Páscoa, o estoque da varejista estava praticamente esgotado.

criatividade

Ideia criativa: ovos pendurados.

Este episódio narra mais uma boa ideia criativa. Hoje você entra em uma loja e vê aquele monte de ovos de páscoa pendurados. Acha a coisa mas óbvia do mundo. Mas as empresas ficaram anos perdendo receita no período da páscoa simplesmente porque não havia local óbvio para colocar os ovos. Foi necessário que um fabricante – e não um lojista – tivesse a visão antes de todos.

Espero que tenham gostado das histórias. Que tal colocar na área de comentários uma ideia criativa que já tiveram? Ou estão ainda dentro da caixa? Minha ideia criativa de hoje foi publicar este post. rs. Boa pascoa a todos! Nos encontramos na semana que vem com a carta mensal aos cotistas.

18 comentários em “Você é uma Pessoa Criativa?!

      • Interface Nerd

        Em relação a sua pergunta Ábaco:

        Cheguei na sala e o filme já havia começado, graças à incompetência dos funcionários do cinema; comecei a assistir um pouco frustrado, mas minutos após eu já estava mais leve do que uma pluma.

        Como grande fã da sétima arte e, principalmente, dos Vingadores, meu coração estava a 200p/h.

        Mal posso esperar para ver Thanos em Vingadores 4.

  1. Daiane Responder

    Muito bom o artigo, minhas ideias ainda estão dentro da caixa, estou num processo de sair da caixa, o processo de desempacotamento da criatividade suprimidas é penoso.

  2. G65 Responder

    A pessoa criativa tem a capacidade de conectar vários “coisas” para atingir um propósito. Por isto pensam “fora da caixa”. Uma criança em uma ambiente no qual se pode pensar livremente, sem críticas, inventam as próprias brincadeiras. São capazes de irem ao lua penduradas em troncos de árvores. Imagine as crescendo em um ambiente desses. Se tornarao adultos com conhecimentos e sem amarras mentais. Serão muito criativos.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Fala G65,
      Concordo com tudo que falou, e esta questão de conectar os pontos é fundamental. É o que Steve Jobs fazia muito bem, juntar as coias existentes e criar algo único.
      Abraço!

  3. Diario de um Poupador Responder

    Rapaz, que histórias hein. Curiosa demais a do carrinho. Você entra num supermercado hoje e não imagina como era antes. Pensa que sempre foi assim rsrs.

    Me considero uma pessoa criativa, não num nível alto a ponto de inventar ou inovar algo totalmente novo e lucrativo, mas para resolver problemas do dia a dia, procuro ser um McGayver hehe

    Abraço UÓ, fica com Deus e excelente Páscoa.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Opa Diário!
      Realmente são histórias que nos fazem perceber como as coisas mais simples demoraram anos para serem vistas.
      Que bom que você é criativo, precisamos de mais pessoas assim.
      Abraço!

  4. Anônimo Responder

    Olá, Uo,

    na minha opinião a criatividade está muito relacionada à curiosidade, questionamentos e experiência. As pessoas muito criativas que conheço geralmente são bem curiosas e questionam muito.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Justamente,
      Já percebeu como as crianças são curiosas? Principalmente as mais novas que vivem nos fazendo perguntas? Como o passar dos anos a curiosidade vai diminuindo.

  5. ANDRE R AZEVEDO Responder

    Pois é Uó, temos que escolher as ações de empresas com pessoas criativas por trás, né rsrs?

    Como o Cowboy, eu não me considero muito criativo não. Tento compensar essa “falha” com diligência, serenidade, e em seguir disciplinadamente um método vencedor. Acho que é por isso que nunca arrisquei empreender como outros amigos da blogosfera.

    “Sonho grande” é realmente um excelente livro”! Vale a pena lê-lo!

    Abraço!

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Fala André!
      Acho que você já fez algumas coisas fora da caixa, rs, peregrinar pelo mundo por exemplo.
      Abraço!

  6. Simplicidade e Harmonia Responder

    Uó,

    Infelizmente somos doutrinados desde cedo a pensar e agir da forma convencionada pela sociedade. Uma pena, pois muitas ideias criativas são podadas desde a infância, o que leva a criança a desanimar desde cedo. Poucos conseguem chegar à idade adulta pensando fora da caixa. Ainda bem que a internet auxilia – e muito – nesse sentido, pois nos ajuda a ampliar nossa visão e a mudar paradigmas.

    Gostei dos exemplos, eu desconhecia a origem de ambos.

    Abraços,

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Oi Simplicidade,
      Quando adultos é que vemos o quanto estamos encaixotados, mas é tão difícil sair desta caixa… rs
      Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.