Operações como aluguel, compra, venda, doação e posse de imóveis quitados e/ou financiados devem ser declaradas no Imposto de Renda 2019. Aprenda aqui como declarar imóveis no imposto de renda pessoa física 2019. Como declarar imóvel financiado no imposto de renda, como declarar imóvel financiado pela caixa, como declarar imóvel quitado no imposto de renda 2019, declarar imóvel financiado imposto de renda.

A declaração de imóveis no imposto de renda 2019 é uma dúvida frequente dos contribuintes, pois a variedade de situações (compra, venda, aluguel, doações…) exige abordagens diferentes. Os tipos de imóveis são os mais variados: antigos, financiados, comprados na planta, sem escritura definitiva ou provenientes de herança e doação. Portando, conhecer todos os procedimentos é fundamental para evitar problemas com o Fisco.

Como Declarar Pagamento de Aluguel no IRPF 2019

Se o contribuinte pagou aluguéis ao longo de 2018, os valores devem ser informados na declaração de imposto de renda 2019. A quantia a ser declarada refere-se apenas às mensalidades pagas durante o ano passado. Eventuais despesas com o pagamento do Imposto Territorial e Predial Urbano (IPTU), seguro de incêndio e taxas de condomínio, caso estejam incluídas no contrato de locação, não devem ser informadas na declaração.

O valor total dos aluguéis pagos deve ser pago na ficha Pagamentos Efetuados com o código 70 – Aluguéis de Imóveis. Nesse campo, o contribuinte deve informar apenas o nome e o CPF ou CNPJ do locador. Caso haja uma imobiliária que atue como intermediadora do contrato de aluguel, os dados da empresa não devem ser incluídos.

como declarar pagamento de aluguel

Se o aluguel é dividido por mais de um inquilino, os pagamentos devem ser declarados apenas na declaração de quem está incluído no contrato de locação do imóvel. Se o locatário divide o aluguel do imóvel por não ter renda suficiente, a recomendação é que todos os moradores estejam incluídos no contrato. Isso permite que cada locatário possa informar a sua parte do aluguel em sua própria declaração, conforme definido no contrato.

Como Declarar Recebimento de Aluguel no IRPF 2019

Se o aluguel recebido pelo locador está acima do limite de isenção então o mesmo deve fazer o recolhimento mensal do imposto de renda através do programa Carnê-leão da Receita Federal. Assim, ao preencher a declaração de ajuste anual, basta importar os dados do Carnê-leão para o programa gerador da declaração. Na ficha Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Física e do Exterior, clique o botão Importar Dados do Carnê-Leão.

Caso os aluguéis recebidos de pessoas físicas durante o ano de 2018 tenham sido isentos do recolhimento de imposto, os mesmos deverão ser lançados diretamente na declaração anual, mês a mês.

Os aluguéis recebidos em 2018 devem ser informados na ficha Rendimentos Tributáveis Recebidos de PF/Exterior. Mesmo que o aluguel recebido esteja abaixo do valor que obrigava a recolher o carnê-leão em 2018, o rendimento tributável recebido de aluguel deve ser informado na declaração do Imposto de Renda 2018. Informe o aluguel recebido na ficha Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Física e do Exterior pelo titular na guia Outras Informações no campo Aluguéis. Se tiver recebido mais de um aluguel por mês, some e informe o total dos valores recebidos, mês a mês.

como declarar recebimento de aluguel

Do valor do aluguel recebido, pode ser deduzida a comissão paga para a imobiliária quando o encargo tenha sido exclusivamente do locador. O valor pago pela administração do imóvel deve ser informado na ficha Pagamentos e Doações com código 71 – Administrador de imóveis. O proprietário e o inquilino nunca devem declarar a imobiliária como a fonte pagadora dos aluguéis. A identificação que deve constar na declaração é a da pessoa jurídica que de fato é inquilina. Quando o locador for responsável pelo pagamento do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) ou da taxa de condomínio do imóvel alugado, é possível deduzir essas despesas. Já as despesas extraordinárias do condomínio, tais como benfeitorias, não podem ser descontadas do valor do aluguel.

como declarar pagamento imobiliaria

Aluguéis recebidos de pessoas jurídicas em 2018 devem ser informados na ficha Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica, diferentemente dos alugueis dos recebidos de pessoas físicas que devem ser informados na ficha de “Rendimentos Tributáveis Recebidos de PF/Exterior”. Informe o valor do aluguel já diminuído do valor da taxa de administração. Os pagamentos da taxa de administração devem ser informados na ficha Pagamentos e Doações Efetuados com o código 71 – Administrador de imóveis.

Como Declarar Caução de Aluguel no IRPF 2019

Quando o caução do aluguel for feito na forma de cheque e este não foi descontado ou depositado pelo locador, não há necessidade de ser lançado no imposto de renda pois o valor do caução não saiu da conta do locatário. O lançamento ocorre somente se o cheque for descontado. Como trata-se de caução, o costume é o cheque ficar em poder do proprietário do imóvel.

Quando o valor do caução for pago em dinheiro, seja dinheiro em espécie ou depósito bancário, o mesmo deverá ser declarado mas não somado aos aluguéis. O valor dado em depósito de caução como garantia de aluguel, se realizado em dinheiro, deve ser declarado pelo locatário e pelo locador. Geralmente este dinheiro ficará guardado em uma conta poupança em nome do locador ou da imobiliária.

O locador deverá declarar o caução de aluguel na ficha Dividas e Ônus Reais com o código 14 – Pessoas físicas. No campo Discriminação deve-se informar que se tratar caução de aluguel informando o nome e CPF do locatário que realizou o caução, a data do contrato de locação e o prazo do contrato de locação. Para declaração dos rendimentos de poupança, o contribuinte deve lançar na Rendimentos Isentos e Não Tributáveis no campo Outros, incluindo a descrição do rendimento ser proveniente do depósito caução. O saldo do montante do caução já considerando o rendimento da poupança também deve ser atualizado na Dívidas e Ônus Reais.

O locatário deve declarar o depósito do caução na ficha Bens e Direitos com o código 99 – Outros bens e direitos informando o valor do depósito, o nome e CNPJ da imobiliária ou do locador (depende de qual titularidade é a conta caução), bem como as condições do contrato. Quando da devolução, promover a baixa do crédito pelo valor principal e, se o montante recebido for superior ao principal, o que ultrapassar, será rendimento tributável.

Como Declarar Imóvel como Bem no IRPF 2019

Qualquer imóvel é um bem e a sua posse deve ser informada na ficha de Bens e Direitos da declaração do IRPF 2019, com o código específico do bem, de acordo com a definição que consta na escritura do imóvel. Apartamentos, por exemplo, são declarados sob o código 11, para casas, o código é o 12 e para terrenos o código é o 13. A figura a seguir apresenta outras opções de bens imóveis:

como declarar imovel

O valor a ser declarado deve ser aquele que contribuinte pagou pelo imóvel até o dia 31 de dezembro de 2018, incluindo o Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), se for o caso, assim como os juros do financiamento e a taxa de corretagem paga negociação do imóvel.

Deve-se declarar o imóvel sempre pelo seu valor de aquisição, sem atualizar o preço por eventuais valorizações ou desvalorizações de mercado. Somente no caso de realização de benfeitorias o preço do imóvel pode ser alterado. Contudo, se forem realizadas reformas é possível acrescentar os gastos ao valor do imóvel, desde que eles possam ser comprovados.

No campo Discriminação devem constar os seguintes dados: se o imóvel foi comprado ou doado, a data da compra ou da doação, quem foi o vendedor ou doador (com CNPJ ou CPF), se está quitado, se foi financiado, em qual banco e quantas parcelas já foram pagas.

Novos Campos no Imposto de Renda 2019

Neste ano de 2019, o programa gerador da declaração de imposto de renda trouxe alguns campos novos para identificar o imóvel. São eles:

Inscrição Municipal (IPTU): Deve ser o número da inscrição cadastral que geralmente vem na guia de arrecadação do IPTU conforme mostrado na figura abaixo:

iptu no imposto de renda de imoveis

Ao lado do campo IPTU terá um ícone de informação com a seguinte mensagem: “Informar o número de Inscrição Municipal com até 20 caracteres. Caso este número possua mais de 20 caracteres, informe-o apenas no campo Discriminação, deixando o campo Inscrição Municipal (IPTU) em branco.”

Data de Aquisição: Deve ser preenchida a data de aquisição do imóvel.

Logradouro/Número/Complemento/Bairro/UF/Município/CEP: Deve ser preenchido o endereço do imóvel.

Área Total do Imóvel: Deve ser preenchida a área do imóvel em metros quadrados ou hectares.

Registrado no Cartório de Registro de Imóveis: Deve-se especificar se o imóvel é registrado ou não.

Nome Cartório: Para imóveis registrados, deve-se digitar o nome do cartório onde o imóvel foi registrado.

Matrícula do Imóvel: Para imóveis registrados, deve-se digitar o número de matrícula do imóvel.

matricula do imovel no imposto de renda

Registro: Para imóveis não registrados, deve-se digitar o número do registro. O campo de Registro será mostrado para bens no Brasil apenas quando for marcado NÃO para o campo “Registro no Cartório de Registro de Imóveis?”. Ao lado do campo Registro terá um ícone de informação com a seguinte mensagem: “Caso possua algum registro que possa identificar o imóvel, informar no campo Registro e detalhar no campo discriminação”. Exemplo: Registrado no Cartório de Títulos e Documentos sob o registro nº
0000000.

registro do imovel no imposto de renda

Novas Orientações da REceita Federal a REspeito dos Novos Campos

1. Se não for possível obter o número do IPTU, deixe o campo IPTU em branco e explique o caso no campo discriminação do bem.

2. Marque “não” na opção sobre o registro do imóvel. Assim não aparecerá campo de Matrícula e sim de registro. Coloque no Registro o número do documento que o sr possuir referente ao imóvel, se houver. Caso não tenha, deixe o campo em branco e informe o que possuir no campo Discriminação.

Atenção: Atualize o programa DIRPF 2019 pois foram implementadas alterações no campo de bens imóveis referente ao Registro e ao IPTU. Agora, deve ser preenchido OU a matrícula (se houver registro de matrícula em cartório de registro de imóveis) OU o registro / informação de outro documento.

Caso o senhor(a) não possua a documentação do imóvel busque o número de matrícula no cartório de registro de imóveis responsável pelo seu imóvel.

Sobre o número do IPTU, busque o código atribuído pelo município, o qual pode ser também o código cartográfico.

Em caso de apartamento com box de garagem com matrículas diferentes, efetue um lançamento para cada matrícula, e lance os box de garagens no código 19 (outros bens imóveis). Caso não possua os valores individualizados de cada matrícula, lance em um único registro, coloque todas as informações disponíveis no campo discriminação do bem, para poder cumprir imediatamente com a obrigação de enviar a declaração.

Informe a área total do imóvel, e caso seja necessário, detalhe este valor dentro do campo discriminação do bem.

Lembre-se que neste ano 2019 o não preenchimento destes campos referentes a registro e matrícula do imóvel geram pendências não impeditivas (pendência amarela), mas que em anos futuros pode passar a ser uma pendência impeditiva (vermelha). Por este motivo, caso não consiga obter todas as informações até o envio da entrega da declaração, lembre-se de buscá-las após o envio mesmo assim, pensando em declarações futuras.

Como Declarar Imóvel Financiado no IRPF 2019

Financiamento de imóvel no IRPF 2019 não deve ser declarado como dívida na ficha de Dívidas e Ônus Reais. Pelo contrário, imóveis financiados são bens e por isto devem ser declarado na ficha de Bens e Direitos.

No campo Discriminação, além de informar que o imóvel foi comprado por financiamento, a data da compra e quem foi o vendedor (com seu CNPJ ou CPF), é preciso informar que ele foi financiado, mencionando o banco que concedeu o crédito, além do número de parcelas já pagas.

como declarar bem imovel

Se o imóvel foi financiado no ano de 2018, então no campo Situação em 31/12/2017 coloque 0,00 e em Situação em 31/12/2018 coloque apenas o valor já pago pelo imóvel até a data, que seria a soma entre o valor de entrada, o valor das parcelas pagas no ano e os custos extras, como o ITBI e a corretagem pagos em 2018, assim como eventuais reformas.

Se o imóvel foi financiado anteriormente a 2018, então no campo Situação em 31/12/2017 transporte o valor declarado no ano anterior. Esse processo deve ser repetido enquanto o financiamento durar e até que o imóvel seja quitado. O valor final de aquisição de imóvel será o total desembolsado ao longo dos anos de financiamento..

Como Declarar Imóvel Quitado no IRPF 2019

Contribuintes que estão fazendo sua primeira declaração neste ano de 2019, devem informar os imóveis que já faziam parte de seu patrimônio antes de 2018. O procedimento a ser seguido é o mesmo dos tópicos anteriores, mas, como o imóvel já fazia parte do patrimônio do contribuinte antes de 2017, a coluna Situação em 31/12/2017 não deve ficar em branco e deve ser preenchida com os valores pagos até então ou com o valor total do imóvel, conforme o caso.

Se o contribuinte já possuía o imóvel antes de 2018 e já declarava, basta repetir seu valor nas colunas Situação em 31/12/2017 e Situação em 31/12/2018.

O valor informado deve ser o mesmo que consta na escritura, sendo alterado apenas se for necessário acrescentar despesas realizadas com benfeitorias ou gastos com corretagem, juros de financiamento e Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI).

Se por ventura o imóvel já era declarado antes de 2018, mas você só se lembrou de declarar o valor do ITBI e da corretagem agora, esses custos devem ser incluídos na declaração referente ao ano em que essas despesas aconteceram, por meio da declaração retificadora.

Como Declarar Reforma em Imóvel no IRPF 2019

Informar benfeitorias feitas em um imóvel é uma das poucas formas de atualizar o valor do imóvel na declaração. As reformas realizadas no imóvel em 2018 podem ser declaradas pelo contribuinte no imposto de renda 2019.

Despesas com benfeitorias só poderão ser declaradas no imposto de renda se o contribuinte conseguir comprová-las. Ampliação de imóvel somente pode ser incluída na declaração se o projeto tiver sido aprovado pela prefeitura.

O próprio contribuinte pode produzir os recibos, desde que o documento seja o mais detalhado possível e inclua o nome do profissional, CPF, descrição e período de realização do serviço. O recibo deve ser assinado pelo profissional e o proprietário do imóvel deve pedir cópias de documentos pessoais do prestador de serviço.

A documentação deve ser guardada por cinco anos a partir da data de venda do imóvel, prazo no qual a Receita Federal pode solicitar a comprovação dos gastos com benfeitorias. Este critério também vale para outros comprovantes utilizados na declaração do IR 2019.

Se o imóvel foi adquirido depois de 1988 e estiver quitado, as benfeitorias devem ser adicionadas ao valor de aquisição do bem, informado na ficha Bens e Direitos da declaração. Caso o imóvel seja financiado, o custo da obra deve ser somado ao valor total já pago pelo imóvel.

No campo 31/12/2017, o contribuinte deve lançar o valor de aquisição ou a quantia total já paga pelo imóvel até a data, caso o imóvel seja financiado. Na coluna 31/12/2018 basta somar ao valor declarado anteriormente as benfeitorias realizadas até a data mais os valores pagos pelas prestações durante 2018, no caso de financiamentos.

No caso de imóveis adquiridos até 31 de dezembro de 1988, os valores das benfeitorias devem ser inseridos de forma separada ao valor do imóvel na ficha Bens e Direitos com o código 17 – Benfeitorias. O campo Discriminação deve ser preenchido com a descrição do imóvel no qual foram realizadas as melhorias. Na coluna 30/12/2017, o contribuinte deve lançar o valor R$ 0,00 e inserir na coluna 30/12/2018 o valor total gasto na obra durante o ano.

como declarar benfeitoria

Como Declarar Venda de Imóvel no IRPF 2019

Quem vende um imóvel pode precisar pagar até 15% de Imposto de Renda sobre seu ganho de capital. Porém quem usa o dinheiro da venda de um imóvel residencial para comprar outro residencial em até 180 dias não paga imposto nenhum. Pode ser qualquer valor e esta isenção só pode ser usada uma vez a cada cinco anos. Contudo, o contribuinte precisa gastar todo o dinheiro recebido com a venda da casa antiga na compra do imóvel novo. Se gastar menos  terá que recolher 15% de imposto sobre a diferença.

Se o valor de venda do imóvel é de até R$ 440 mil então não paga imposto. Mas deve ser o único imóvel em nome do contribuinte e o mesmo não pode ter vendido casas ou apartamentos nos últimos cinco anos. Muitos contribuintes caem na malha fina ao usar essa isenção porque esquecem que possuem uma fração de outro imóvel. Para calcular o imposto devido, o contribuinte pode baixar o programa Ganhos de Capital (GCAP) da Receita, referente ao ano em que ele fez a venda do imóvel.

Veja mais detalhes neste tutorial.

Todas as despesas com ampliação ou reforma de um imóvel podem ser somados ao seu valor de compra para abater a base de cálculo do imposto. Porém, o contribuinte precisa informar, anualmente, as quantias gastas com as benfeitorias na ficha Bens e Direitos da declaração. O valor pago à imobiliária pela corretagem na venda do imóvel pode ser descontado. Guarde o recibo. Despesas como taxas de cartório, IPTU ou condomínio não são abatidas.

Se o contribuinte tiver vendido um imóvel em 2018, deverá informar a venda na ficha de Bens e Direitos: a coluna referente a 31/12/2018 deverá ser zerada, e no campo Discriminação você deverá declarar que o bem foi vendido. Informe nome e CPF ou CNPJ do comprador e o valor da venda. Se o comprador tiver financiado a compra do bem, informe o nome e o CNPJ do banco que concedeu o crédito.

Como Declarar Doação de Imóvel no IRPF 2019

Quem doou um imóvel em 2018 deverá informar a doação em duas fichas. Na ficha de Bens e Direitos é necessário informar a operação, o nome e o CPF ou CNPJ do donatário no campo Discriminação. O valor na coluna 31/12/2018 deverá ser zerado.

Na ficha de Doações Efetuadas, deve-se escolher o código 81 – Doações de bens e direitos, informe o nome e o CPF do donatário, bem como o valor do imóvel. Nos anos seguintes, o doador não precisa informar mais nada. O bem saiu de seu patrimônio como se tivesse sido vendido, e a operação é isenta de imposto de renda.

como declarar doacao de imovel

O recebimento de doações é isento de imposto de renda, mas pode estar sujeito a um tributo estadual chamado Imposto de Transmissão Causa Mortis e Doações (ITCMD). Quem recebeu um imóvel em 2018 deve informá-lo na ficha de Bens e Direitos como se o tivesse comprado à vista. É preciso informar a localização e valor do bem, o nome e o CPF do doador e convém informar também que o ITCMD foi pago.
A coluna 31/12/2017 ficará zerada, e na coluna 31/12/2018 será informado o valor do bem doado.
Na ficha Rendimentos Isentos e Não Tributáveis é necessário informar o valor do imóvel recebido com o código 14 – Transferências patrimoniais – doações e heranças.

como declarar transferencia de imovel

Como Declarar Herança de Imóvel no IRPF 2019

Os bens e direitos recebidos por meio de herança são isentos de tributação no Brasil. O que foi herdado deve ser declarado na aba Bens e Direitos. A herança precisa ser declarada também na ficha Rendimentos Isentos e Não Tributáveis com o código 14 – Transferências patrimoniais – doações e heranças.

Em Bens e Direitos, no campo Discriminação, deve-se preencher as informações de quem está transmitindo a herança. Já em Rendimentos Isentos e Não Tributáveis é preciso informar o nome do beneficiário da herança e o CPF, além do nome e CPF de quem deixou os bens, junto com o valor de cada um deles.

Os bens recebidos por herança podem ser declarados pelo mesmo valor reportado antes pelo falecido ou por valor superior ao anteriormente declarado no imposto de renda de quem deixou a herança. Se a declaração for feita por valor superior será configurado um ganho de capital. Uma alíquota de 15% na declaração de imposto de renda 2018 do contribuinte deverá ser tributada nesse ganho de capital.

Lembrando que para fazer a declaração de bens herdados precisa já ter acontecido o processo judicial do inventário, pois ele divide os bens deixados pela pessoa que morreu para os herdeiros.

Como Declarar Imóvel no IR2019 – Dúvidas mais Comuns

Pergunta 1: Financiei um imóvel anos atrás. Tenho contrato e matrícula, mas não possuo a escritura do imóvel. Nunca declarei pois não atinjo o limite. Com a aquisição do imóvel precisarei declarar agora em 2018?

Resposta: Dentre as regras de obrigatoriedade em 2018 destacam-se: se auferir rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70, se auferir rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte acima de R$ 40 mil ou se tiver a posse ou propriedade de bens ou direitos de valor superior a R$ 300 mil, pelo custo de aquisição. Se não se enquadrar em nenhuma dessas hipóteses estará desobrigada de apresentar a declaração.

Pergunta 2: O pai deu ao filho o usufruto de rendimentos de aluguel de imóvel. Como tributar esses rendimentos?

Resposta: Se o usufruto constar de escritura pública averbada no registro de imóveis, o pai, ao relacionar o imóvel em sua Declaração de Bens e Direitos, informa a constituição do usufruto em favor do filho. Os rendimentos do aluguel são tributáveis em nome do filho. Se não houver escritura averbada, o pai, ao relacionar o imóvel em sua Declaração de Bens e Direitos, informa que os rendimentos respectivos foram doados ao filho. Os rendimentos do aluguel estão sujeitos ao recolhimento mensal (carnê-leão), se recebidos de pessoa física ou, na fonte, se pagos por pessoa jurídica e devem ser incluídos, como rendimentos tributáveis, na declaração de ajuste do pai. Para o filho, os rendimentos são não tributáveis, como doação em espécie.

Pergunta 3: Como declarar gastos com reformas de imóveis no IR 2018, sendo que os recursos foram oriundos de retiradas de aplicação financeira do mesmo proprietário do imóvel?

Resposta: Os gastos com obras e reformas no imóvel e devidamente documentados são acrescentados ao valor do bem. Informe que houve a reforma/obra no campo “discriminação” e na coluna 31/12/2017, somando os gastos custo do imóvel.

Pergunta 4: Como apurar o rendimento tributável de aluguel, inclusive quando o contrato de locação contenha cláusula que admita a sua compensação com as despesas efetuadas com benfeitorias pelo locatário?

Resposta: Tributa-se o valor recebido de aluguel subtraído, quando o encargo tenha sido exclusivamente do locador, somente das quantias relativas a:
a) impostos, taxas e emolumentos incidentes sobre o bem que produzir o rendimento;
b) aluguel pago pela locação de imóvel sublocado;
c) despesas pagas para cobrança ou recebimento do rendimento;
d) despesas de condomínio.
O valor das benfeitorias efetuadas, compensadas em determinado mês com o valor total ou parcial do aluguel de imóvel, tem natureza de rendimento de aluguel para o proprietário e sofre incidência do imposto sobre a renda, juntamente com valores recebidos no mês a título de aluguel.

Pergunta 5: Os rendimentos oriundos da sublocação de imóvel são tributáveis?

Resposta: Sim. Os rendimentos recebidos pelo sublocador estão sujeitos ao recolhimento mensal (carnê-leão), se recebidos de pessoa física ou, à retenção na fonte, se pagos por pessoa jurídica e na Declaração de Ajuste Anual. É dedutível do valor do rendimento bruto recebido pela sublocação o aluguel pago ao proprietário do imóvel sublocado.

Pergunta 6: Como proceder quando o imóvel locado pertencer a mais de uma pessoa física?

Resposta: Quando o imóvel locado pertencer a mais de uma pessoa física, em condomínio, o contrato de locação deve discriminar a percentagem do aluguel que cabe a cada condômino. Caso não conste no contrato essa cláusula, recomenda-se fazer um aditivo ao mesmo. Quando o locatário for pessoa jurídica, essa deve efetuar a retenção na fonte aplicando a tabela mensal em relação ao valor pago individualmente a cada condômino. Anualmente, a pessoa jurídica locatária deve fornecer comprovante do rendimento que couber a cada um, com indicação do respectivo valor retido na fonte. Em se tratando de bens comuns, em decorrência do regime de casamento, os rendimentos são tributados na proporção de 50% em nome de cada cônjuge ou, opcionalmente, podem ser tributados pelo total em nome de um dos cônjuges. Na união estável, adota-se idêntico tratamento, salvo contrato escrito entre os companheiros (neste caso, será fixado o percentual nele previsto), aplicando-se o regime da comunhão parcial de bens (bens comuns, em decorrência do regime de casamento).

Pergunta 7: Como declarar imóvel adquirido ou quitado com a utilização do FGTS?

Resposta: O contribuinte deve informar o bem na Declaração de Bens e Direitos, e no campo “Discriminação” os valores oriundos do FGTS. Somar o valor do FGTS aos demais valores pagos pela aquisição e informar o resultado no campo ”Situação em 31/12/2017 (R$)”. Em Rendimentos Isentos e Não Tributáveis informar o valor do FGTS recebido.

Pergunta 8: Como declarar as aquisições efetuadas por meio de contrato particular de compra e venda ou contrato de gaveta, quando a aquisição ocorre num determinado ano-calendário e a escritura em cartório em outro ano-calendário?

Resposta: O contrato particular firmado entre construtora/agente financeiro ou pessoa física e o adquirente é instrumento válido para configurar a aquisição do imóvel, mesmo que o adquirente não tenha desembolsado qualquer quantia. Assim, o adquirente deve informar os dados da aquisição no campo “Discriminação” e o valor pago até 31 de dezembro, no campo da situação referente ao ano-calendário do contrato.

Pergunta 9: São isentos os ganhos de capital decorrentes da alienação de um ou mais imóveis residenciais, cujos recursos são utilizados na construção de outro imóvel?

Resposta: Não. A isenção citada somente se aplica para a aquisição, no prazo de 180 dias, a contar da primeira alienação, de imóveis residenciais construídos ou em construção, não abrangendo os gastos para a construção de imóvel, os gastos para a continuidade de obras em imóvel em construção ou ainda os gastos com benfeitorias ou reformas em imóveis de propriedade do contribuinte.

Pergunta 10: Contribuinte que vende imóvel residencial privativo e adquire imóvel residencial em condomínio fica isento de imposto sobre a renda?

Resposta: Sim. Desde que o alienante no prazo de 180 (cento e oitenta) dias contado da celebração do contrato, aplique o produto da venda na aquisição de sua parte do imóvel, localizado no Brasil, em condomínio.

Pergunta 11: Contribuinte que vende imóvel residencial em condomínio e adquire imóvel residencial privativo fica isento de imposto sobre a renda?

Resposta: Sim. Desde que o alienante no prazo de 180 (cento e oitenta) dias contado da celebração do contrato aplique o produto da venda de sua parte no imóvel em condomínio na aquisição de imóvel privativo, localizado no Brasil.

Pergunta 12: Contribuinte que vende um imóvel residencial e adquire a parte de outro imóvel residencial pertencente a outro condômino, de um condomínio no qual já é condômino, fica isento de imposto sobre a renda?

Resposta: Sim. Desde que o alienante no prazo de 180 (cento e oitenta) dias contado da celebração do contrato, aplique o produto da venda na aquisição da parte do imóvel residencial, pertencente ao outro condômino, localizado no Brasil.

Pergunta 13: É possível atualizar o valor do bem a preço de mercado na declaração de bens e direitos?

Resposta: Não há qualquer previsão legal para atualização do custo de aquisição de imóvel a preço de mercado. O custo de aquisição do imóvel somente poderá ser alterado caso sejam efetuadas despesas com construção, ampliação ou reforma no referido imóvel. Cabe destacar, ainda, que essas despesas somente poderão ser incorporadas ao custo de imóvel se estiverem comprovadas com documentação hábil e idônea (notas fiscais para as despesas com pessoas jurídicas, recibos para as despesas com pessoas físicas), que deverá ser mantida em poder do contribuinte por pelo menos cinco anos após a alienação do imóvel.

Pergunta 14: Comprei um apartamento em conjunto com meu irmão. Cada um tem 50%. Como declarar este imóvel?

Resposta: Imóveis comprados por mais de uma pessoa ou por casais unidos pelo regime de separação de bens devem estar declarados da declaração de todos os donos e o valor informado deve corresponder ao valor pago por cada um. Exemplo de declaração: “50% fração ideal do apartamento situado no endereço …. Adquirido em … de …, CPF: …, por R$ …, Imóvel adquirido em conjunto com …, CPF …. Total pago …”

Pergunta 15: Comprei uma casa em conjunto com minha esposa. Somos casados em comunhão parcial de bens. Como declarar no imposto de renda 2018?

Resposta: Se o casal declara em separado, os imóveis que são considerados bens comuns devem ser informados integralmente na declaração de um dos dois. Na comunhão parcial, são considerados bens comuns todos aqueles bens adquiridos por um dos dois membros do casal ou por ambos, durante a união. Já na comunhão total, todos os bens são considerados comuns, inclusive aqueles anteriores à união.  Exemplo de declaração: “Apartamento situado no endereço …. Adquirido em … de …, CPF: …, por R$ …, Imóvel adquirido em conjunto com o cônjuge…, CPF …. Total pago …”

Pergunta 16: Recebi um terreno como doação de um aparente. Como declarar este imóvel na minha declaração e na de quem doou?

Resposta: Você deve informar o imóvel na ficha “Bens e Direitos” descrevendo os dados do doador no campo “Discriminação”, como seu nome e CPF. Para doações recebidas em 2017, o campo referente a 2016 deve ficar em branco e o campo de 2017 deve incluir o valor do imóvel. O valor do imóvel também deve ser declarado na ficha “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”, com o código “14 – Transferências Patrimoniais – Doações e Heranças”. Nos anos seguintes basta manter as informações da ficha de Bens e Direitos. Já o doador, na declaração referente ao ano em que fez a doação, deve informar o imóvel doado na ficha de “Bens e Direitos” e os dados do donatário no campo “Discriminação”. Para doações feitas em 2017, o valor que já constava no campo “Situação em 31/12/2016” deve ser mantido e o campo “Situação em 31/12/2017” deve ser deixado em branco. O doador também deve informar a doação na ficha “Doações Efetuadas”, descrevendo o tipo de imóvel, seu valor e os dados do donatário.

Pergunta 17: No ano de 2017 realizei uma reforma na minha residência e acrescentei um novo cômodo. Como devo declarar isto no IR 2018?

Resposta: Gastos com reformas e melhorias no imóvel podem ser acrescidos ao valor do bem desde que sejam passíveis de comprovação. A ampliação do imóvel somente pode ser incluída na declaração se o projeto tiver sido aprovado pela prefeitura. As benfeitorias realizadas em 2017 devem ser informadas no campo Discriminação junto às demais informações sobre o imóvel. A coluna de 2016 deve mostrar o valor do imóvel antes das reformas, e a coluna em 2017 deve registrar o seu valor, com o acréscimo das benfeitorias. Exemplo: “Casa situada no endereço …. Adquirida em … de …, CPF: …, por R$ …, Benfeitorias realizadas 2017 …. Total pago até 31/12/2017 ….”

Pergunta 18: Quais gastos podem ser declarados como benfeitoria de imóvel?

Resposta: É permitido tanto gastos com ampliação como com pequenas obras, tais como pintura, reparos em azulejos, encanamentos, pisos e paredes. É possível incluir na declaração tanto despesas com materiais de construção como gastos com mão de obra. Pagamentos feitos a pedreiros, encanadores e ao arquiteto ou engenheiro responsável pelo projeto de construção ou ampliação do imóvel também são permitidos. Como são consideradas benfeitorias todas as obras que agreguem valor ao imóvel, instalação de iluminação embutida e móveis planejados também podem ser adicionadas ao valor da casa ou apartamento. Já gastos indiretos com a obra, como troca ou compra de mobiliário e itens de decoração não podem ser incluídos como benfeitorias na declaração. A mesma regra vale para pagamentos feitos a profissionais que tenham apenas a função de realizar projetos decorativos ou paisagísticos, como designers de interiores.

Pergunta 19: Como declarar que houve a utilização do FGTS para quitar ou comprar um imóvel em 2017?

Resposta: O valor do FGTS utilizado em 2017 para quitação total ou parcial da compra de um imóvel deverá ser incorporado ao valor do imóvel no campo “situação em 31/12/2017”. O contribuinte deverá informar no campo “Discriminação” da Declaração que os pagamentos, ou parte deles, foram efetuados com recursos oriundos do FGTS. Também este valor do FGTS utilizado em 2017 deverá ser declarado em “Rendimentos Isentos e não Tributáveis”, na linha referente aos saques de FGTS.

Pergunta 20: Como declarar apartamento comprado na planta em 2017? O valor total do imóvel é de R$ 300.000 sendo que paguei entrada de 15%.

Resposta: Se você pagou a entrada em cerca de 10% a 20% do valor total e começará a pagar o financiamento somente quando o Habite-se for liberado, mas, seu saldo devedor vem sendo ajustado a cada mês, deve-se declarar na ficha “Bens e Direitos” da declaração a compra do imóvel. No campo “Discriminação” devem ser inseridos os dados da transação, como data e forma de pagamento, além do
nome e CPF do vendedor. O custo que deve ser incluído na declaração é o de aquisição. No entanto, como o pagamento será parcelado ao longo do financiamento, você deve informar o saldo R$ 0,00 na coluna 31/12/2016 e, na coluna 31/12/2017, apenas o que pagou pelo imóvel no ano passado. Ou seja, deve-se somar o valor da entrada, paga à construtora e ao corretor, a eventuais parcelas do financiamento quitadas no período. Os gastos com corretagem também devem ser incluídos na ficha “Pagamentos Efetuados” sob o código “72 – Corretor de imóvel”, com o nome e CPF/CPNJ do beneficiário.

Pergunta 21: Como declarar imóveis adquiridos por consórcio no imposto de renda 2018?

Resposta: Depende da data de contemplação. No caso de pagamentos feitos para o consórcio sem que o declarante tenha sido contemplado em 2017, deve constar na declaração a soma das mensalidades pagas no referido ano em “Situação em 31/12/2017” com o código referente ao consórcio (95). É necessário também informar o número de inscrição e CNPJ da administradora do consórcio, bem como o tipo do bem no campo “Discriminação” da declaração. Quem foi contemplado em 2017 deve preencher o campo “Discriminação” com as informações da contemplação do consórcio e incluir o código correspondente ao tipo de bem adquirido (11 para apartamentos e 12 para casas) no campo “Declaração de Bens e Direitos”. Além disso, o contribuinte precisa inserir a soma das parcelas declaradas em 2016 com o valor pago em 2017 no campo “Situação em 31/12/201”. É importante colocar no campo “Discriminação” se o imóvel foi comprado total ou parcialmente com o valor recebido pelo consórcio, incluindo número de inscrição, nome e CNPJ da administradora. O contribuinte deve esclarecer se existe saldo a pagar, mencionando o número de parcelas pendentes.

Pergunta 22: Posso deduzir o aluguel que eu pago na declaração do IR?

Resposta: Não é possível deduzir as despesas pagas a título de aluguel, mas o locatário é obrigado a informar o pagamento na ficha “Pagamentos Efetuados”.

Pergunta 23: Recebo aluguel de um apartamento adquirido antes do meu casamento – com comunhão total de bens – que está somente em meu nome. Como declarar no imposto de renda 2018?

Resposta: São considerados bens e direitos comuns os resultantes de casamento em regime de comunhão total. Em relação aos rendimentos de aluguel, pode ser tributado 50% dos rendimentos produzidos pelos bens comuns na declaração de cada um dos cônjuges ou opta-se pela tributação da totalidade dos rendimentos produzidos pelos bens comuns na declaração de um dos cônjuges. No caso de declaração em separado, a totalidade dos bens e direitos comuns deve ser informada na declaração de um dos cônjuges ou companheiro, utilizando-se o código 99, mencionando, também, o nome e o número de inscrição no CPF dele. O cônjuge que optar pela tributação total dos rendimentos comuns deve relacionar todos os bens.

Pergunta 24: Posso excluir dos rendimentos de aluguel em 2018 os valores do IPTU?

Resposta: Podem ser excluídos do valor do aluguel recebido, quando o encargo tenha sido do locador, as quantias relativas ao pagamento ao IPTU relativo ao imóvel locado, independentemente se a se os rendimentos ocorreram durante todo o ano ou somente em parte dele. Isso vale também para o imposto parcelado, desde que pago no ano-base do Imposto de Renda.

Pergunta 25: Tenho um imóvel que eu alugo, mas também pago aluguel como locatário em outro imóvel? Posso deduzir dos aluguéis recebidos o valor do aluguel pago?

Resposta: Não. Só pode ser excluído o aluguel pago pela locação de imóvel sublocado.

Pergunta 26: Em 2017 comprei um apartamento assinando somente a promessa de venda e compra, não realizei ainda o financiamento pois estou aguardando o habite-se. Preciso declarar este imóvel?

Resposta: Correto, a promessa de compra e venda já é instrumento suficiente para a obrigatoriedade de declarar o imóvel no imposto de renda. Declare o apartamento na ficha “Bens e Direitos” com o código 11 – apartamento e discrimine a forma de aquisição colocando no campo “Situação em 31/12/2017” os valores efetivamente pagos até essa data, como, por exemplo, o valor da entrada.

Pergunta 27: Como declarar aquisições efetuadas por meio de contrato particular de compra e venda (contrato de gaveta), quando a aquisição ocorre em um ano e o registro da escritura em cartório em ano posterior?

Resposta: O contrato particular firmado entre construtora/agente financeiro ou pessoa física e o adquirente é instrumento válido para configurar a transferência/aquisição do imóvel, mesmo que o adquirente não tenha pago qualquer valor. Pior isto o adquirente deve declarar o imóvel na ficha “Bens e Direitos”.

Pergunta 28: Financiei um Ap em 2016 no valor de R$ 153 mil. No ano passado não declarei o imóvel. Como devo declarar o apartamento em 2018?

Resposta: Faça a retificação da declaração do ano passado incluindo o imóvel, informando o nome, CPF ou CNPJ do vendedor e as condições de financiamento. No campo “Situação em 31/12/2016” informe o valor efetivamente pago em 2016 com entrada e parcelas. Neste ano, informe na coluna “Situação em 31/12/2017” o valor declarado em 2016 acrescido das parcelas pagas em 2017.

Pergunta 29: O Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) e despesas com escritura e registro de imóvel podem ser considerados como custo de aquisição do imóvel?

Resposta: Correto. Estas despesas fazem parte do custo de aquisição do imóvel. Os gastos com a legalização da documentação do imóvel poderão integrar o custo de aquisição do imóvel.

Pergunta 30: 15 anos atrás meu pai comprou uma casa no valor de R$ 40.000,00 registrando a escritura no meu nome e no nome do meu irmão, reservando o usufruto para ele e minha mãe. Durante todos esses anos meu pais declarou a casa como sua no imposto de renda. Desde que comecei a declarar imposto de renda nunca declarei o imóvel. No ano passado vendemos o imóvel por um valor de R$ 400.000,00. Com o dinheiro compramos outro imóvel para a moradia dos meus pais constando neste contrato apenas meu nome como comprador. Como eu e meu pai devemos declarar agora em 2018?

Resposta: Seu pai deverá retificar as últimas cinco declarações e informar a parte do imóvel de cada irmão na ficha “Bens e Direitos” colocando no campo “Discriminação” os dados do bem, a data de aquisição e a parte de cada irmão no imóvel. No seu caso, ele informa somente até o ano em que você constou como dependente dele. A partir do ano em que você começou a declarar, seu pai não mais informará a sua parte do bem. Seu pai, por permanecer com o usufruto, informa essa situação em novo item da Declaração de Bens e Direitos (código 19), Você, a partir do ano em que começou a fazer a declaração, retifica para incluir na ficha “Bens e Direitos” sua parte do imóvel. Em 2017, por ocasião da venda do imóvel, cada um dos irmãos apura o ganho de capital. Seu pai, informa que houve a venda do bem na ficha “Bens e Direito” e não preenche a coluna “Situação em 31/12/2017”. Você, informa no GCAP que vendeu este imóvel e comprou outro, se isso aconteceu no prazo de 180 dias há isenção do imposto sobre o ganho de capital tido com a venda. Posteriormente importa as informações para a sua declaração, no Demonstrativo de Ganho de Capital. Por fim, a sua parte do bem vendido, informa no campo discriminação a data e o valor da sua parte na venda e não preenche a coluna “Situação em 31/12/2017” e informa a aquisição do outro imóvel.

Pergunta 31: Como tratar os rendimentos produzidos por imóvel cujo direito de exploração tenha sido cedido, por meio de contrato, a terceiros?

Resposta: Esses rendimentos são tributáveis em nome de quem explora o imóvel, ou seja, o cessionário ou arrendatário. Por sua vez, o proprietário do imóvel deve tributar o valor recebido pela cessão de direitos, como rendimentos equiparados a aluguéis, por meio do recolhimento mensal (carnê-leão), se recebidos de pessoa física ou, na fonte, se pagos por pessoa jurídica e na declaração de ajuste.

Pergunta 32: Imóvel obtido através de usucapião. Qual o valor a ser lançado? Do valor da causa do processo judicial? Ou o valor do imóvel registrado em cartório? (e se esse valor for em moeda anterior ao do plano real (R$) é necessário converter o valor? e atualizá-lo monetariamente?)

Resposta: Para declarar o Imposto de Renda, a data de aquisição será aquela em que se consumou o prazo de prescrição aquisitiva (após 15 ou 10 anos, conforme o caso). O custo de aquisição será igual a zero, já que não houve valor pago pela aquisição do imóvel. Enquanto a propriedade não for reconhecida, você deverá declarar os direitos de posse sobre o imóvel.

Pergunta 33: Tenho um apartamento, qual área deve declarar?

Resposta: O Contribuinte deve colocar a área total (privativa + área comum) que consta na matrícula. Cabe ressaltar que alguns apartamentos tem a área da garagem (vaga) inserida dentro da área privativa do apartamento e nesses apartamentos consta na descrição “cabendo-lhe ainda a vaga de garagem … e se insere a área total como no exemplo.

Pergunta 34: Tenho um Terreno e construí uma casa no mesmo, qual área deve declarar? A do terreno, da Casa ou a soma as duas?

Resposta: O contribuinte deve colocar somente a área construída da Casa, não deve colocar a área do terreno e não deve somar a área do terreno com a área construída do imóvel, porque para a Receita Federal o Contribuinte esta declarando a Casa e não o Terreno e não existe a opção Casa e Respectivo Terreno. Essa área pode ser encontrada na matricula onde consta a averbação de construção nos casos em que a matricula foi aberta como terreno, na descrição do imóvel na matricula quando já existir prédio e respectivo terreno (antigamente muitas descrições de Predio na matricula não continham a informação mas atualmente os Registros de imóveis procuram colocar quando essa informação é possível) e se não tiver na matricula pode utilizar a área construída constante do IPTU.

Pergunta 35: Quando a vaga de garagem do prédio tem uma matricula separada do apartamento, ou seja, é um imóvel a parte, com metragens e frações individuais autônomas, como declarar?

Resposta: Essa vaga é um outro imóvel e deve ser declarada em separado do apartamento. O mesmo ocorre quando Contribuintes são proprietários de imóveis de alto padrão que tem depósitos como unidade autônoma separada.

Pergunta 36: São isentos os ganhos de capital decorrentes da alienação de um ou mais imóveis residenciais, cujos recursos são utilizados na construção de outro imóvel?

Resposta: Não. A isenção citada somente se aplica para a aquisição, no prazo de 180 dias, a contar da primeira alienação, de imóveis residenciais construídos ou em construção, não abrangendo os gastos para a construção de imóvel, os gastos para a continuidade de obras em imóvel em construção ou ainda os gastos com benfeitorias ou reformas em imóveis de propriedade do contribuinte.

Pergunta 37: Contribuinte que vende imóvel residencial privativo e adquire imóvel residencial em condomínio fica isento de imposto sobre a renda?

Resposta: Sim. Desde que o alienante no prazo de 180 (cento e oitenta) dias contado da celebração do contrato, aplique o produto da venda na aquisição de sua parte do imóvel, localizado no Brasil, em condomínio.

Pergunta 38: Realizei um contrato de promessa de compra e venda em novembro de 2018, o comprador iria pagar o restante em 1º de março o que não ocorreu ( ele veio e me disse que não iria cumprir o contrato) como declaro o valor de 30.000 que eu recebi como sinal em 2018? Onde declaro no IRPF 2019?

A parte recebida a título de sinal deve ser declarada, com a devida contextualização da operação feita. A declaração do valor deve ser informada de acordo com o local de guarda do dinheiro em 31/12/2018. Se estava em conta bancária, então declare como depósito em conta corrente. Se estava na poupança, então declare como caderneta de poupança. Se estava na gaveta, então declare como dinheiro em espécie. etc. É interessante colocar na descrição do imóvel na ficha de bens que o mesmo encontra-se em processe de venda, sendo já recebido o valor de 30.000 como sinal.

242 comentários em “Como Declarar Imóvel?

  1. Jorge Neto Responder

    Bom dia.
    Comprei um apartamento à vista em 2018, paguei IPTU, ITBI, despesas com escritura e despesas com registro do imóvel. Posso acrescentar essas despesas ao valor do imóvel?

  2. Paulo Ricardo Sgarbiero Responder

    É uma pergunta, se puderem responder.
    Somos em 3 irmãos e herdamos uma casa de nossos pais falecidos.
    um dos irmão que aplicar um valor em uma reforma no imóvel.
    Pergunto:
    O imóvel será valorizado para os trÊs?
    obrigado

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Paulo,
      Se o imóvel já está em nome dos 3 herdeiros e cada um tem um percentual fixo do mesmo, então, qualquer melhoria no mesmo irá aumentar seu custo de aquisição na proporção de cada um.

  3. Aylton D. Oliveira Responder

    Senhores, bom dia.
    Como declarar em Bens e Direitos as áreas privativas e comuns de casa comprada em condomínio?
    Obrigado.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Aylton,
      Poderia nos dar exemplos destas áreas comuns e privativas?

  4. Nelson Marques Responder

    Dúvida: Imóvel obtido através de usucapião. Qual o valor a ser lançado? Do valor da causa do processo judicial? Ou o valor do imóvel registrado em cartório? (e se esse valor for em moeda anterior ao do plano real (R$) é necessário converter o valor? e atualizá-lo monetariamente?)

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Nelson,
      O custo de aquisição será igual a zero, já que não houve valor pago pela aquisição do imóvel.

  5. Elias Santos Responder

    Bom Dia! realizei um contrato de promessa de compra e venda em novembro de 2018, o comprador iria pagar o restante em 1º de março o que não ocorreu ( ele veio e me disse que não iria cumprir o contrato) como declaro o valor de 30.000 que eu recebi como sinal em 2018? onde declaro no IRPF 2019?

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Boa tarde!
      Colocamos a resposta à sua dúvida no texto (Pergunta 38)

  6. Milena Fontenele Responder

    Também preciso de ajuda.
    Sou divorciada desde 2009 mas somente em janeiro de 2018 vendemos por R$ 355 mil uma casa adquirida em 2002 por R$ 70 mil em regime comunhão parcial de bens. Na homologação do divórico constou que a casa seria partilhada em 50% para cada um.
    Em junho de 2018 adquiri um apartamento por R$ 260 mil. Para paga-lo utilizei quase a totalidade do valor recebido pela casa, adicionei um valor doado pelo meu pai e financiei o restante (R$ 40 mil) pelo Bradesco em 72 meses.
    Como devo declarar a casa? Vi em resposta anterior que o certo é declarar a fração ideal dos 50% mas não entendi se devo declarar o valor total quando adquiri mas somente metade do valor recebido por ele (já que os outros 50% foram destinados ao meu ex-marido)

  7. José Roberto Alves da Silva Responder

    Oi Bom dia
    Venho por meio deste email pedir ajuda sobre uma dúvida que eu tenho. 
    Eu tenho um apartamento que foi adquirido com financiamento com a minha ex esposa. Após a separação comprei a parte dela no apartamento. 
    Na Compra uma amiga transferiu da sua conta corrente  para a conta da ex um valor de 30.000,00 reais e o restante ficou acertado que eu pagarei a ela 34 parcelas com o valor de mil reais com acréscimo de 20,00 mensais acumulantes em cada parcela. 
    O financiamento do ap junto ao Banco passou todo para o meu nome,quanto ao financiamento do Banco eu sei como declarar, a minha dúvida é como declarar a Compra da minha ex mulher . 
    Sem mais desde já agradeço

  8. paula fernanda Responder

    Preciso de ajuda. Iniciei a compra de um imóvel em 2018, assim , o ITBI, parte do sinal foi paga ao vendedor e imobiliária em 2018. Porém, o financiamento bancário foi liberado somente em 2019 e o restante do sinal, pago também em 2019. Como devo declarar?

  9. Pingback: Como declarar compra de imóveis financiado ou quitado IRPF 2019 | Virou Notícias

  10. Pingback: Como declarar compra de imóveis financiado ou quitado IRPF 2019 | Valdivino Sousa, Entrevistas concedidas a Jornais Revistas e Rádios

  11. Rebecca Mendes Ferreira Responder

    Preciso de ajuda.
    Comprei um ape na planta em 2009 em conjunto com o ex marido, ele não declara IR, e o ape ficou cmg até eu pagar a parte dele. Nunca declarei pois ainda está financiado.
    Como faço agora?
    No campo 2017 eu tenho que somar absolutamente tudo o que ja foi pago até 31/12/17 (sem discriminação de como foi pago, fgts, boleto, entrada, impostos e etc) e por la e em 2018 somar o deste ano?
    E tenho que colocar o valor do imóvel? O valor financiado (75 mil) ou o valor final que vou pagar ( da até medo de ver esse valor)?
    Muito confuso isso.

  12. Miriam Responder

    Bom Dia!
    Por favor, se puder me orientar… Estou com a seguinte situação: O imóvel foi adquirido através de uma construtora em dezembro de 2018, sendo que o valor referente a entrada do mesmo foi paga pela mãe da compradora, através de transferência bancaria. Qual o procedimento correto para declarar este imóvel?
    Grata
    Miriam

  13. DARLEI Responder

    Boa noite. Comprei um terreno em 11/11/2015, a vista, e consta da minha declaração do imposto de renda, pelo código “13”. Após, com recursos próprios e de um financiamento que obtive com a CEF, iniciei a construção de uma casa nesse terreno e concluí a obra no mês 12/2017, sendo que também informei a construção dessa casa pelo código “16”. Pergunto: qual a forma correta de lançar no IR 2018/2019, a casa concluída (seria um novo lançamento de bem com o código “12 = casa”, mas ainda financiada pela CEF com pagamentos mensais? E que devo descrever tendo em vista que os bens: Terreno código 13 e a Casa em construção – código 16, sairão da minha declaração no próximo ano? E o Terreno – código 13″ e a “Casa em construção – código 16”, que ainda constam da minha declaração, o que devo informar no campo discriminação deles a respeito do novo bem pelo código 12? Grato e aguardo

  14. Jefferson de Souza perez Responder

    Bom dia

    Eu moro com a minha mãe e meu pai em um sobrado na qual o terreno tem duas casas, na escritura consta que eu e minha esposa, e minha mãe e meu pai somos proprietários do imóvel, na escritura não distingue qual o percentual de cada um, e por direito temos 50% cada hum do imóvel, eu tenho a intenção de comprar um outro imóvel com uso do FGTS, mas vi que para uso do FGTS nestes casos, eu teria que ter igual ou inferior a 40% do imóvel, você saberia me dizer como eu devo fazer isto para poder adquirir outro imóvel? se eu teria que mexer na escritura ou poderia ser através da declaração do Imposto de Renda

  15. Pingback: Tem dúvidas sobre a declaração a Receita Federal? Leia tudo sobre o IRPF 2018! – Terceirização Contábil

  16. Pingback: Imposto de Renda 2018 Restituição Calendário e Cronograma

  17. Pingback: Restituição IR 2018: Calendário de Restituição 2018 - Cronograma

  18. David Responder

    Boa tarde,

    Vendi meu apartamento em 2017 e comprei outro de valor superior em 2018 em menos de 6 meses, mas o mesmo ainda não foi registrado tenho apenas o contrato de compra e venda assinado, pelo que entendi o contrato de compra e venda é suficiente para comprovar a transação e descaracterizar o lucro imobiliário, correto?

  19. Thaís Conceição cavalini costa Responder

    Bom dia!
    Comprei um apartamento em 2014, financiado, com valor inferior a 150 mil e nunca declarei!
    Quando comprei eu declarava o imposto de renda mesmo sem a obrigatoriedade, mas nunca declarei o imóvel, devo declarar agora que e como declarar já que agora entro na obrigatoriedade devido aos meus rendimentos?
    Obrigada.

  20. Thaís Conceição cavalini costa Responder

    Bom dia!
    Comprei um apartamento em 2014, financiado, com valor inferior a 150 mil e nunca declarei!
    Quando comprei eu declarava o imposto de renda mesmo sem a obrigatoriedade, mas nunca declarei o imóvel, devo declarar agora que e como declarar já que agora entro na obrigatoriedade devido aos meus rendimentos?

  21. sulla Responder

    o contribuinte casado em comunhao de bens declarava o bem só em sua declaração e a esposa faleceu e tem 3 filhos adultos.
    na declaração 31/122017 o valor do bem era 1300.000,00, foi feito escritura no valor de 1400.000,00, qual o valor devo considerar?
    a declaração dele em bens na situação 31/12/2016 e 31/122017, quais valores lanço?
    se colocar somente 2017, devera lançar o valor como rendimentos isentos?

  22. Luiza Responder

    Boa tarde.

    Adquiri em 2016 apartamento com cônjuge. Temos união estável. É possível somente ele declarar o imóvel em bens e direitos? Sendo que na parte de dívidas e e onus reais, ano passado, nós dividimos os valores que precisam ser declarados. Cada um declarou 50 por cento. O imóvel foi financiado pela Caixa em 420 meses.

    Minha duvida é se podemos fazer assim ou se o fato de ter dividido os valores em dívida e onus reais nos obriga a ambos declararem o imóvel, dividindo também o valor pago nesse item.

    • Luiza Responder

      Terminei a frase com esse item e não especifiquei qual seria. Me refiro ao item bens e direitos.

  23. CELIA Responder

    Como declarar no meu imposto de renda a venda do meu imovel em julho2017 para compra casada de outro? vi que eu deveria ter feito GCAP e não fiz na ocasiçao

  24. Eduardo da Silva Mendes Responder

    Fui contemplado em um consórcio de imóveis e utilizei o dinheiro para reforma/ampliação do meu imóvel, como declarar essa reforma e o consórcio agora contemplado?
    Obrigado.

  25. José Júlio da C. Pereira Responder

    Prezados Amigos
    Nosso Sobrinho em Primeiro grau desejando fazer uma aplicação por longo prazo comprou um Apartamento e nos cedeu em COMODATO, “para uso do meu Tio e minha Tia por resto de suas vidas, conforme consta no Contrato realizado em Cartorio. Somente nos cabe pagar os custos tributários da Prefeitura e despesas de uso pessoais. Todavia, sem saber se é obrigatório (acho que é) não sei como informar o IRPF sobre esta situação em Declaração Anual do Imposto de Renda. Alguem pode me ajudar?

  26. LÍGIA WANDERLEY Responder

    Boa tarde,
    Gostaria de saber com declarar valores recebidos com aluguel por temporada. São várias locações durante o ano e não tenho o CPF dos locatários, pois alugo através do AIRBNB.

  27. MARCELO SULZBACH Responder

    Adquiri uma fraçao de imovel (apartamento) resort que esta em construção, são multiproprietarios como declarar este bem no Imposto de Renda ? ex o valor do bem R$ 50.000.00 paguei 10.000,00 2017

  28. Mari Responder

    Bom dia. Poderia me tirar uma dúvida… Sempre declarei IR com os bens que possuímos juntos, eu e meu marido… este ano como não preciso declarar, optei por lançar o imóvel e o carro da declaração dele… Minha dúvida é, devo repetir na declaração dele os valores de 2016 que lancei no meu, sendo que ele não lançava? Ou deixar valor zero em 2016 e lançar só o valor de 2017? No campo discriminação já informei que estes bens eram lançados anteriormente em meu IR… Agradeço!

  29. Rosa Ribeiro Responder

    Comprei um apartamento em 1982, pago em cruzeiros, quitado em 1991. Como devo declara- lo em 2018.? Encontrei na ajuda da declaração de 2018 uma tabela que converte o valor da compra em cruzeiros para o valor em reais em 1995. É preciso atualizar para 2017. Como fazer isso?

    Obrigada

  30. Lúcio Responder

    Boa noite, comprei um apartamento na planta da construtora e paguei tudo certinho até a entrega das chaves onde foi financiado o restante por uma instituição financeira porém depois de 4 parcelas atrasadas o banco me tomou o apartamento e o caso está na justiça. Pergunto eu devo declarar este apartamento em bens e direitos e explicar a situação ou não declaro ele?

  31. Mariana Aparecida Responder

    Se um contribuinte possui um Terreno e construiu uma casa no mesmo, mas ainda não terminou de pagar esse terreno, como deve declarar?

  32. Joao Responder

    Adquiri um apto com minha esposa 50% cada, na época que adquirimos eramos soteiros (fev/17) e casei em regime com comunhao parcial de bens em nov/17.
    Preciso declarar nos 2 IRRF ou posso declarar 100% no meu?

  33. ANDRE GEFFER Responder

    GANHEI 40.000 E COMPREI UM IMOVEL QUE CUSTA 100.00 PARCELADO…TENHO A OBRIGATORIEDADE DE DECLARAR O IMOVEL???

  34. jose maciel da silva Responder

    Declarante adquiriu uma sala comercial em 2012, que nunca constou do imposto de renda. Como regularizar a situação no IR de 2018?

  35. Adriane Ribeiro Responder

    Boa tarde!
    tenho um imóvel que foi doado a mim por meu pai a mais de 30 anos, este imóvel é meu com usufruto da minha mãe. A minha pergunta é a seguinte: Minha mãe recebe o aluguel deste imóvel e arca com todas as despesas, como devo declarar este imóvel? Eu fui orientada, a muito tempo atrás, a declará-lo no imposto da minha mãe com a informação de que ele pertence a mim e incluindo o meu CPF, mas para minha surpresa, este ano com as mudanças em relação ao preenchimento dos campos do imóvel no imposto de renda me falaram que estou fazendo errado. Mas como posso declarar o imóvel no meu nome se é a minha mãe que recebe o aluguel dele e no caso de tirar do nome dela como provar esta renda que ela está recebendo?
    Obrigada,
    Adriane

  36. Cesar Responder

    Ola
    Vendi um terreno urbano no valor em contrato de 145 mil…mas na escritura esta por 78 mil…e nao foi passado ao novo comprador..vendi com procuração em seu nome…posso declarar venda apesar de ainda estar em meu nome? Apos isso comprei um lote rural em apenas contrato…como posso ajustar tudo isto ?

  37. Vanessa Responder

    Por favor, recebi aluguel de pessoa física, ou seja, informei o valor mês a mês.
    Eu sou a responsável pelo pagamento do IPTU e fiz o pagamento em cota única.
    Como devo lançar o pagamento do IPTU, em que campos? Ou deduzo o valor que paguei no mês que efetuei o pagamento da cota única e neste mês informo o saldo (valor total do aluguel mês, menos a taxa da imobiliária, menos a cota única do IPTu?

  38. Sonia Responder

    Boa noite, comprei um apartamento em 2017, no nome do meu filho que tem 20 anos e é meu dependente. Como meu filho ira declarar esse imóvel e como ficará a minha declaração?

  39. Mieko Responder

    Boa tarde!
    Primeiramente, muito obrigada pelos tutoriais, eles ajudam muito!
    Eu gostaria de tirar uma dúvida.
    Comprei um imóvel com minha irmã e meu noivo (união não estável), através de um financiamento.
    Para realizar o financiamento, foram utilizados o FGTS meu e da minha irmã apenas, e somente minha irmã paga as parcelas da casa, pois eu e meu noivo pagamos as contas.
    Como devemos lançar?
    A dúvida especificamente é:
    Podemos (eu e meu noivo) lançarmos a compra da casa, com o valor de parcelas 0,00 e minha irmã lançar o valor que ela paga (pois é ela que paga todas as parcelas)?

  40. Cristina Responder

    Imóvel comprado na planta com namorado (união não estável), cada um declara o valor que pagou em seu IR? Mas na “situação em 2017” cada um declara só o valor que pagou? Ou o valor total? Na descrição já escrevi que foi comprado na planta, juntamente com ele.

  41. Jeffe Responder

    Olá,
    Eu vendi meu apartamento o qual estava financiado na CEF, eu já vinha declarando como Bens e direto os valores pagos anualmente das parcelas do financiamento. Agora com a venda, eu usei o dinheiro para dar de entrada em outro imóvel de valor acima de 440mil.
    Minha dúvida é sobre o que devo declarar este ano, pois tive as parcelas pagas para a CEF até à venda do imóvel e depois tive a compra do novo imóvel. Este novo imóvel também ficará financiado na CEF.

    Obrigado

  42. Eduardo Cosentin Responder

    No campo de Declaração de imovel, sendo o mesmo uma casa temos que preencher o campo “Área Total do Imóvel”;
    Todos dizem que temos que preencher a área do terreno e não a área construída. No IPTU temos os campos “Terreno Incorporado” e “Terreno”, qual dos dois informamos na declaração de imposto?

  43. edmar Responder

    Bom dia!
    Gostaria de saber como declarar uma casa na seguinte situação:
    Foi adquirido lote de terreno em 2005, e aos poucos a casa foi erguendo-se, contudo a pessoa não tem nota fiscal e nem comprovante de nada que gastou na construção, posso lançar um valor aproximado?
    Posso declarar apenas na situação 31/12/2017 e deixar o 2016 em branco? E necessário retificar as ultimas 5 declarações?
    Agradeço pelo apoio.

  44. Edson Responder

    Boa tarde, tenho dúvida com relação ao lançamento de uma matricula de Box, pois sempre relacionei o imovel (APTO) e nunca coloquei o Box como imovel, mas nesse ano é necessário inserir as matriculas dos imoveis.Outra coisa o valor que sempre considerei é o APTO e não agregava o Box no valor porque entendia que quando vendemos o APTO também repassamos o BOX no valor total.
    Como posso inserir nesse ano uma situação que varios anos insiro de forma diferente?
    Preciso diminuir do valor total do imovel o valor do Box? e os anos anteriores?

  45. Joaquim Silva Responder

    Fiz a venda de um imóvel e apurei o ganho de capital a pagar. Fiz o pagamento do imposto. Esse valor pago do GCAP, preciso informar na declaração de ajuste anual do IRPF/18, ou ele é feito de forma automática quando faço a importação?

  46. Sandra Responder

    COMO DECLARAR NO IR O PAGAMENTO DE IMOVEL FINANCIADO COM MEU IRMÃO, SENDO QUE NOS ANOS ANTERIORES DECLARAMOS CADA UM A SUA PARTE PAGA, MAIS EM 2017 PAGUEI O VALOR TOTAL DAS PARCELAS SOZINHA, MINHA PARTE E A DELE. COMO DEVO PROCEDER NA MINHA DECLARAÇÃO E NA DELE, SENDO QUE ELE DEU A PARTE DELE PRA MIM, MAIS O IMOVEL AINDA ESTA FINANCIADO.

  47. Alexandre Responder

    Boa tarde!
    No ano 2012 comprei um terreno no valor de 3.980,00 mas nunca o declarei, e também não fiz a escritura, mas o IPTU já está no meu nome.
    O quê devo fazer?
    Tenho que declarar esse ano?

    Na discriminação devo colocar a data de aquisição (2012), com valor de 3.980,00?

    Tenho que colocar o nome da pessoa que comprei e o CPF dela?

    Nas abas de: “situação em 31/12/2016 (R$) e situação em 31/12/2016 (R$)” tenho que colocar os valores de 3.980,00?

    Obrigado pela ajuda.

  48. Guilherme Henrique Munhoz Responder

    Boa tarde, comprei meu imóvel em 2014 financiado e venho fazendo as declarações normalmente sempre colocando os valores pagos com recursos próprios FGTS e parcelas na situação em 31/12/2014, 2015 e 2016 porém quitei o imóvel em 2017. Como faço para declarar que quitei? Na descrição escrevo que foi quitado usando X valor do FGTS e Y valor do recurso próprio? Mas e na situação em 31/12/2017 devo colocar o valor da escritura ou da soma de quanto gastei com o imóvel desde 2014? Pois é soma por ter juros certamente será maior do que o valor da escritura.

    Obrigado excelente apoio que nos dão!

  49. Daiane Cristina Responder

    No fim do ano de 2016 eu e meu esposo adquirimos um imóvel onde utilizamos nosso FGTS + R$ para entrada, onde consta no contrato mais de 50% em meu nome (somos casados no regime que tudo que foi adquirido depois que casamos deve ser compartilhado) e apenas eu declaro IR e meu esposo não necessita devido aos valores recebidos anualmente.

    A minha dúvida é referente a declaração do valor da entrada que foi dado no fim de 2016, somo o meu FGTS e do meu esposo + valor em dinheiro para incluir na declaração ou insiro apenas o meu FGTS?
    Tem algum problema o contador não ter incluso esse valor de entrada na Declaração de 2017 sendo que a entrada foi dada no fim de 2016 mas o financiamento iniciou em Janeiro.2017?

  50. Rita Calixto Responder

    Na área total do imóvel, é a metragem do terreno ou a área construída ?

  51. Ariane Responder

    Boa noite,

    Comprei um apartamento na planta em 2017, gostaria de saber como declarar já que no campo “Bens e Direitos” quando se opta pelo código 11-Apartamento é pedido a “Inscrição Municipal” que ainda não está disponível dado que o prédio está em construção, saberiam como proceder? Muito obrigada!!

  52. Anônimo Responder

    OLA, QUITEI MINHA CASA QUE ESTAVA FINANCIADA PELA CAIXA EM 2017 COM PARTE DE FUNDO DE GARANTIA E COM ALGUMAS PARCELAS DURANTE O ANO. SÓ QUE O VALOR DA CASA ERA 100.000,00 E COM AS PRESTAÇÃO PAGAS ANO A ANO E COM O FGTS O VALOR SOMADO FICA EM 111.765,89. COMO LANÇAR NO IMPOSTO DE RENDA?

  53. FABIANA Responder

    NO ANO DE 2016 ADQUIRI UM APTO NA PLANTA PARA SER ENTREGUE ABRIL/17. NO ANO DE 2016 PAGUEI O VALOR DE 8.000 PARA CONSTRUTORA MAS NÃ0 DECLAREI NO IRPF 2017, DEMAIS VALORES PAGOS A CONSTRUTORA ATE JULHO 2017, POIS O FINANCIAMENTO FOI ASSINADO EM 07/08/2017 UTILIZANDO FGTS. PRECISO FAZER RETIFICADORA DE IRPF 2017. COMO DECLARAR AGORA E 2018?

  54. milena Responder

    Como declarar uma casa construída já com habite-se em terreno financiado?
    Quais valores colocar?

  55. Maykon Responder

    Venho declarando em meu IRPF desde 2008 o valor do imóvel como sendo o valor venal do terreno, visto que ainda não fiz a escritura do imóvel, e ainda vou demorar mais um tempo para poder escriturar pois o terreno esta no meu nome e do meu irmão, a casa tem 79m² de construção e meus pais vivem nela atualmente . Neste caso devo permanecer o valor Venal como tenho feito ou devo colocar valor de mercado? Quais os procedimentos deverei realizar caso seja o valor de mercado? O que pode me ocasionar ou não nesta mudança perante a receita federal?

    Obrigado.

  56. daniela Responder

    Bom dia! Compre juntamente com meu esposo um apartamento na planta em 2016, até o final de 2016 somente tinha pago a construtora. Declarei no ano passado esse valor na categoria “bens e direitos” informando que era um imóvel na planta e o valor pago a construtora. Foi certo declará-lo nessa categoria? Em 2017 financiei, saquei fgts e tal. Como declarar este ano? Os valores final de 2016 eu coloco o que eu paguei no ano passado a construtora 22.000, ou coloco 0 pq n estava financiado nem tinha habite-se? E no campo final de 2017, coloco o valor do somatório das prestações acrescido do valor pago a construtora ou somente o valor pago em 2017 a Caixa?

  57. G J Neto Responder

    Em 2017, eu e minha noiva financiamos um imóvel. Atualmente vivemos juntos, mas não nos casamos. Como devemos declarar o imóvel? No contrato não consta percentual do imóvel, apenas o percentual de renda (para fins de seguro). Minha renda é 3x a dela. Devemos declarar 50% do imóvel para cada, ou eu posso colocar tudo na minha declaração e colocar na declaração dela que os bens em conjunto estão na minha declaração?

  58. José manuel Responder

    Tenho um imovel redebido por herança , posso declarar o aluguel 50/50 com minha esposa , sendo casado com comunhão parcial de bens? Obrigado.

  59. Daiane Guedes Responder

    Bom dia meu pai adquiriu um terreno em 2010, no valor de 56 mil. e nunca foi declarado. ocorre que comprei este terreno dele e contrui uma casa que já esta sendo regularizada junto a prefeitura. como proceder com a declaração????

  60. Niely Responder

    Boa tarde! Preciso de ajuda com uma informação.
    Até este ano não atingia o valor para declaração de IR portanto vou declarar a primeira vez agora sobre o ano de 2017 pois meus rendimentos em folha de pagamento agora entram na faixa descontada em folha.
    Em 2016 comprei um apartamento no valor de 240.000,00 onde paguei uma entrada de 123.000 financiei pela caixa econômica 113.000 e 4.000 foram sacados do meu FGTS.
    Como faço a declaração destes valores pois não tenho declarações anteriores para retificar?
    Desde já agradeço a ajuda.

  61. ARCELINO DE ARAUJO CARNEIRO Responder

    Declaro imóvel em separado com minha esposa, porém, quitei o mesmo com recursos do FGTS dela. Como declarar o valor do FGTS na declaração dela e da minha!

  62. Sabrina Leonel da Silva Cruz Responder

    Complementando a pergunta 26: Em 2016 comprei um apartamento assinando somente a promessa de venda e compra, paguei ainda o financiamento pois estou aguardando o habite-se. Porém pago mensalmente a taxa de evolução de obra para caixa econômica e INCC para a construtora, devo declarar esses valores também ou somente a entrada e aguardar começar a pagar o financiamento?

  63. Roberto Responder

    Bom dia. Preciso de sua ajuda sobre o campo área total do imóvel. Na matricula do imóvel consta assim: casa residencial com área construída de 86,85m², e fração ideal de 50%, encravada em terreno na cidade tal, doravante denominado lote nr tal, lado impar do logradouro medindo 8 metros de frente, por 36 metros de fundo, com área total de 288 m². Saberia informar qual valor devo colocar no campo “área total do imóvel”? Seria apenas o valor da área construída(86,85m²) ou apenas o valor total do terreno de 288m² ou seria apenas 50% da fração ideal do terreno, que acho que seria 144 m²?

    Grato pela atenção e pelo excelente serviço prestado.

    • Anônimo Responder

      Boa tarde,

      Informar no campo (área total) o valor da área construída 86,85 m² + o valor total do terreno de apenas 50% da fração ideal do terreno que é 144 m².

      Sendo uma área total, 86,85+144= (230,9 m²)

  64. Isis Responder

    Olá, bom dia! Comprei um apartamento na planta em 2014 e quite com a construtora em 2016… Até então vinha declarando estas parcelas normais normalmente no IRPF. Em 2017 fiz o financiamento junto com a instituição financeira e começei a pagar as parcelas do financiamento. O imóvel que comprei foi R$200.000,00. Paguei a construtora R$30.000,00 (declarado no IRPF anteriormente) R$70.000,00 usei saldo do FGTS e financiei R$100.000,00. Como devo declarar? Devo somar os valores (incluindo o que paguei a construtora no campo 2017 e no campo 2016 devo deixar zerado?

    • Henrique Responder

      Boa tarde,

      Na Discriminação do Bens e Direitos, você coloca as informações abaixo;

      O imóvel que comprei foi R$200.000,00. e já paguei a construtora R$30.000,00 (declarado no IRPF anteriormente) R$70.000,00 usei saldo do FGTS e financiei R$100.000,00.

      No Campo Situação em 2016 deixa o mesmo $30.000,00 em 2017 você soma somente as parcelas pagas do financiamento no ano de 2017 + $30 Mil + 70 Mil.

  65. Juliana Responder

    Olá, boa tarde. Vendi um imóvel que ganhei dos meus pais para comprar outro imóvel. Comprei por 260 mil, financiei apenas 30 mil, em 2010. Me casei em 2013 em comunhão parcial de bens. Não tenho renda desde 2016, como faço para declarar meu imóvel já que quem paga as parcelas atualmente é o meu marido? Ele pode me colocar como dependente na sua declaração? No ano passado fiz a declaração separada na minha constando apenas meu imóvel e meu plano de saúde, mas como meu marido que paga, a restituição do plano seria bem vantajosa, mas não sei se por conta do valor do imóvel sou obrigada a declarar em separado mesmo não tendo renda. Obrigada desde já.

  66. Vinicius Responder

    Olá, minha esposa (na época noiva), comprou um imóvel na planta com os pais dela, após um tempo decidimos nos casar e quando o imóvel foi entregue, quitamos com recursos próprios. Foi assinado um contrato dentro da construtora no qual os pais cederam a parte deles. Fizemos o registro e matrícula do imóvel em nosso nome, pagmos ITBI e agora precisamos declarar em nosso IR, como deve ser feita a declaração? Existe a necessidade de pagamento do ITCMD sendo que já pagamos o ITBI?

  67. Janio Augusto Arrighi Responder

    Que data de aquisição declarar, para um imóvel que construí e declarei a construção do mesmo durante todo o período da construção e depois de pronto passei a declarar como bem, no caso casa.

  68. Fátima Responder

    Boa tarde.
    Tenho um cliente que recebeu em herança em 1989 um imóvel cujo valor era de NCZ$10.000,00, posso atualizar este valor para R$ em 2018? Há imposto sobre ganho de capital se algum dia este cliente vender este imóvel herdado?

  69. Marcele Responder

    Comprei um apartamento na construção em 2016 , em 2017 declarei no bens e direitos apenas o que paguei , mas no campo de discriminação informei o valor do imóvel .
    Creio que fiz da forma errada e deveria ter colocado o valor inteiro do imóvel , esse ano posso colocar o valor inteiro ou continuo atualizando apenas o que paguei ?

  70. NEUSA MARIA HESS Responder

    Parabéns pelas orientações – me ajudaram muito. Este ano 2018 estou em dúvida na declaração de bens qual a metragem que devo mencionar. Meu terreno é de 572 m2 – área construída 340 m2. Devo colocar a metragem do terreno ou da área construída? Ficaria muito agradecida se puder me orientar a respeito.
    Neusa Hess – Guarulhos

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Neusa,
      Submeti sua pergunta para a Receita Federal, vamos aguardar a resposta.
      Abraço e obrigado!

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Segue a resposta…

      No preenchimento de sua declaração, na ficha bens e direitos, o contribuinte deverá mencionar a área do imóvel declarado (terreno/casa-casa em terreno) assim como estabelecida nos documentos de averbação na matrícula no cartório de registro de imóveis e até da inscrição municipal (IPTU).

  71. Sandra Responder

    olá, por favor me ajudem, se tenho que declarar o valor de compra do imóvel que foi adquirido em 1993 (cruzeiro antigo), convertendo para reais, hoje daria R$ 6,36, por esta razão declaro com valor venal do IPTU. Teria algum problema? e Segundo, qual a área do imovel que devo declarar, a area total do terreno ou a metragem da construção? pois no IPTU vem separado estas informações. obg

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Olá Sandra,
      Submeti sua questão para a Receita Federal, vamos aguardar a resposta.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Segue a resposta da Receita…

      Não existe fundamento legal para lançar valor venal no imóvel, devendo ser corrigido para o valor histórico da aquisição.

  72. CRISTINA MARTINS Responder

    TENHO UM APTO QUE ADQUIRI A 18 ANOS COMPRADO POR UM VALOR E DO QUAL ASSUMI AS PRESTAÇÕES. ATUALMENTE QUITADO E COM ESCRITURA. NUNCA DECLAREI O APTO POR TOTAL INERCIA POIS NA EPOCA ERA CASADA E MEU EX FAZIA MEU IRPF .APOS A SEPARAÇÃO OUTRA PESSOA FAZIA MEU IRPF E SO RECENTEMENTE PERCEBI O ERRO MAS NAO SEI O QUE FAZER…

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Cristina,
      Você deve retificar as declarações anteriores para declarar este bem que ficou faltando.

  73. JANIO CARLOS RODRIGUES Responder

    Comprei um imóvel na época por 10.000 reais e ao longo do tempo fui fazendo benfeitorias e aumentando. Hoje o valor de mercado supera em pelo menos umas 10 vezes esse valor, venho declarando ano a ano um valor maior que a compra, e hoje declaro um valor de 52.000 reais. Claro que esse valor é devido as benfeitorias feitas no imóvel, muito comprovado com notas fiscais, mas nem tudo. Agora me deparo que tenho que colocar o valor da compra da época. Como fazer agora? Coloco a situação anterior de 52.000,00 reais e a atual o valor que comprei o bem ? Como resolver essa situação ?

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Janio,
      Se você tem documentos que comprove as benfeitorias então podera incluir os valores no custo do imóvel.

  74. Janaina Responder

    Olá, comprei um terreno em 2017, porém ele só foi registrado em 2018, no campo: Data de Aquisição, eu coloco a data que consta no Registro?

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Olá,
      Submeti esta questão para a Receita, vamos aguardar a resposta.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Segue a resposta da Receita…

      Coloque a data da aquisição, mesmo que o registro tenha ocorrido depois.

  75. JORGE ALVES Responder

    Embora até este ano sempre tenha havido a orientação para manter o valor dos imóveis não atualizado, na pagina 176 do manual de ajuda IRPF de 2018 (ano base 2017) consta que o valor dos imóveis deve ser atualizado de acordo com tabelas especificas dependendo do ano da aquisição do imóvel e da condição anterior (declarante ou não) do contribuinte segmentando os imóveis adquiridos até 1991, de 1991 a 1995, de 1996 a 2016 e de 2017 e orientando para que seja utilizado o mesmo valor na situação de 31/12/2016 e 2017. Aparentemente o valor informado em 31/12/2016 deve ser substituído pelo valor já corrigido e a ser declarado em 31/12/2017, ou a diferença (valor desse ajuste / correção) teria que ser declarada como rendimento isento / não tributável para o que não encontrei previsão!… Está correto o raciocínio? Isto é, os valores dos imóveis devem ser atualizados nesta declaração de 2018 (ano base 2017) ajustando o valor declarado na declaração de 2017 (ano base 2016)?

    Uma segunda questão é com relação à metragem do imóvel: ela deve ser a do terreno em que o imóvel está ou a área construída? Quando é comprado um terreno é indicada a área do mesmo, no entanto a casa construída redefine a área do imóvel! Por outro lado no caso de um apartamento a posse se dá com relação à área construída (total e útil) alem de uma fração ideal do terreno: é esta última área (calculando-se o valor da metragem em que o edifício foi construído correspondente à fração ideal) que deve ser informada?

    Grato pela orientação.

  76. Diego Responder

    Bom dia. Estou comprando imóvel na planta, pagando parcelas à construtora, por meio de contrato de promessa de compra e venda. O imóvel ainda não está pronto e ainda não peguei financiamento. Eu já tinha declarado o imóvel no ano passado conforme custo de aquisição (parcelas pagas à construtora e custos de corretagem). Mas este ano surgiram novos campos para preencher com detalhes do imóvel. Como preencher o campo de inscrição do imóvel (conforme IPTU), se ainda não pago IPTU? E no caso da matrícula do imóvel, seria a matrícula do empreendimento? Por enquanto, tenho apenas direito a uma fração ideal do imóvel.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Bom dia Diego,
      Submeti sua pergunta para a Receita Federal, vamos aguardar a resposta.

  77. Omendes Oliveira Responder

    Bom noite.
    Não sei se aqui é o local mais adequado, mas tenho uma dúvida e gostaria de uma ajuda, se possível.
    Adquiri um terreno, em área rural, em um município do RJ em 1985. Na escritura lavrada na época, consta o terreno e duas edificações, sendo estas, duas casas. Não constam as metragens das casas, apenas do terreno e a observação que no citado terreno encontram-se as duas casas denominadas: “Prédios de números 40 e 40/1”. Sempre paguei o IPTU das casas, que estão devidamente registradas na prefeitura, sendo a casa principal, e a segunda, uma pequena casinha, que acabei transformando em depósito, etc.
    Sempre declarei ao IRPF apenas a casa principal, pois tinha a intenção de derrubar a segunda casinha e dar baixa na prefeitura, o que acabei nunca fazendo. A pergunta é: Como vou declarar as duas casas se só existe uma escritura para as duas? Será que posso colocar as duas inscrições municipais no mesmo campo de um único bem? Até porque a matrícula do Registro de Imóveis, dos dois imóveis + terreno , é uma só, a qual consta na escritura única.

    Outra dúvida: Devo declarar somente a metragem das casas, ou a área total do terreno?
    Desde já fico muito agradecido pela atenção e se possível, por uma ajuda.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Bom dia Omendes,
      Submeti dua questão para a Receita Federal, vamos aguardar a resposta.

  78. CARLOS ALBERTO SALOMÃO Responder

    Bom dia, Comprei um aparatamento em 2017, utilizei parte do FGTS, sei que tenho que lançar este valor em “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”, só não sei em que linha faço este lançamento.

    No aguardo.

  79. Vera Responder

    minha casa foi construída e não comprada , qual data devo colocar no campo data da aquisição? Seria a data do habite-se?

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Vera, submeti esta questão para a Receita, vamos aguardar.

  80. marcia martins Responder

    Gostaria de saber qual a data qu devo colocar de aquisição de imóvel herdado . Data do falecimento ou data do inventario
    grata

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Marcia,
      Vamos aguardar a resposta da Receita a questão abaixo.

  81. Luciana Almeida Responder

    Boa noite!
    Me ajude a sanar uma dúvida por favor:
    -Em caso de recebimento de imóvel por herança (já declarado em anos anteriores) qual a data que devo colocar como a data de aquisição? A data da sentença do juiz ou a da finalização do inventário?
    Obrigada!

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Luciana, submeti esta dúvida para a Receita Federal, vamos aguardar.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Luciana,

      Segue a resposta da Receita Federal…

      A data de aquisição é a do falecimento: data da abertura da sucessão conforme as orientações da pergunta 552 do Perguntas e Respostas da DIRPF 2017.

  82. Renata Responder

    Tenho imóveis em comum com meus irmãos. O valor é declarado proporcionalmente ao percentual que cabe a cada um. E a área que deve ser declarada agora? Coloca-se a área total, ou também o percentual que cabe a cada um, como já é no valor? Por exemplo, ao declarar um apartamento de 100 m2 de área total do qual tenho 25%, deve constar no campo “área” os 100 m2, ou 25 m2 ? Obrigada!

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Renata, submeti esta dúvida para a Receita Federal, vamos aguardar.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Renata,

      Segue a resposta da Receita:

      “Deverá ser informada a sua fração ideal do imóvel e a correspondente área dessa fração.”

  83. ALEXANDRE Responder

    Boa tarde. Como declarar neste IRPF 2018 uma casa construída num terreno que só tem a escritura do terreno? (a casa ainda não tem licença de construção nem habite-se, e portanto não está averbada na escritura do terreno.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Alexandre,
      Neste caso não pode declarar a casa.

  84. Angelita Responder

    Achei muito bom o passo a passo. Estou declarando um imóvel (apartamento) de Curitiba e estou com uma dúvida no campo Inscrição Municipal (IPTU) . No carnê vem o número da inscrição imobiliária e um número de indicação fiscal. Qual dos dois é o correto para inserir nesse campo?

  85. Ana Responder

    Bom dia! Parabéns pelos esclarecimentos.
    Tenho um problema que peço auxilio: vendi um imóvel em 1996 por contrato de gaveta. Continuei lançando no meu IR todos os anos como se meu ainda fosse
    Lancei a soma das prestações pagas até o ano 2017. Vendi por R$ 20.000,00. Agora percebo que fiz errado. Como corrigir?

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Ana,
      Você deve retificar as declarações dos anos anteriores.

  86. Pedro Responder

    Bom dia!
    Possuo união estável firmada em cartório e minha companheira adquiriu em nome dela um imóvel após a união estável, o qual foi financiado pelo banco e pagamos os valores de entrada para construtora. Nós dividimos por igual o pagamento. Como fazemos para declarar no IR 2018?

  87. RubensCW Responder

    Muito bom! Apenas acho que se deveria enfatizar que, no custo de aquisição de um imóvel, poderão ser incluídos os dispendios, pelo comprador, dos valores de ITBI ou ITCMD e despesas de registro no Registro de Imóveis, que muitos desconhecem.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Obrigado Rubens!
      ITBI eu sei que pode, mas ITCMD onde viu que pode?

  88. Fernando Responder

    Excelentes as explicações! Parabéns!
    No aguardo da resposta à dúvida dos colegas, que é a minha também, sobre como declarar a garagem agora nessa nova versão do programa IRPF 2018.
    Obs: também sempre declarei a minha garagem junto com o apartamento.

  89. José Antonio Mansano Responder

    Pergunta 20: Como declarar apartamento comprado na planta em 2016? O valor total do imóvel é de R$ 300.000 sendo que paguei entrada de 15%.

    Resposta: Se você pagou a entrada em cerca de 10% a 20% do valor total e começará a pagar o financiamento somente quando o Habite-se for liberado, mas, seu saldo devedor vem sendo ajustado a cada mês, deve-se declarar na ficha “Bens e Direitos” da declaração a compra do imóvel. No campo “Discriminação” devem ser inseridos os dados da transação, como data e forma de pagamento, além do
    nome e CPF do vendedor. O custo que deve ser incluído na declaração é o de aquisição. No entanto, como o pagamento será parcelado ao longo do financiamento, você deve informar o saldo R$ 0,00 na coluna 31/12/2015 e, na coluna 31/12/2016, apenas o que pagou pelo imóvel no ano passado. Ou seja, deve-se somar o valor da entrada, paga à construtora e ao corretor, a eventuais parcelas do financiamento quitadas no período. Os gastos com corretagem também devem ser incluídos na ficha “Pagamentos Efetuados” sob o código “72 – Corretor de imóvel”, com o nome e CPF/CPNJ do beneficiário. Qual o código que devo lançar em Bens e Direito na declarfação de 2018? você explicaram o que deve ser feito, mas não em que código lançar.
    Obrigado.

  90. JONATHAN Responder

    Boa Tarde,
    Comprei um apartamento em 2017 e realizei reformas no mesmo ano, tenho tudo documentado, gastos com aquisições de pisos, cimentos, pinturas, instalação de pias, serviços de pedreiro e pintores, arquiteto, porém a aquisição foi da seguinte maneira: Entrada com um saldo pago em outro imovel de uma mesma construtora, sendo feito um distrato e devidamente reconhecido em cartorio. O restante foi financiado junto a CEF, deste financiamento, abatemos com o FGTS um saldo do financiamento e continuamos pagando o restante das parcelas. A minha dúvida é como será declarado tudo isto?

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Jonathan!
      Tudo que você tiver comprovação pode ser declarado.

  91. Marcia Gageti Responder

    Tenho dois imoveis e um sexto da casa que pertencia a meu pai e minha mãe , Tambem não sei onde achar este numero de registro, e no caso da casa da minha mãe , onde procurar este registro no inventario ou no registro do imóvel, quando o mesmo pertencia somente ao meu pai(falecido) e minha mãe ?? Ate por que são cartórios diferentes

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Marcia,
      Se for imóvel com registro em cartório então não precisa mais informar o campo Registro.

  92. Daniel Iung Responder

    Bom dia, parabéns pela matéria, está me auxiliando bastante.
    No campo área do imóvel, eu devo lançar somente a área real privativa?
    No meu caso no contrato informa a área real privativa, tem duas informações a respeito de área real de uso comum de divisão proporcional, e a área que corresponde ao box(fixo) de estacionamento.

  93. Viviane Responder

    Olá, notei que há alguns anos declaro errado o valor do meu imóvel. Atualizei por conta o valor dele e há tempos está muito superior ao que consta no Registro. Posso corrigir na declaração de 2018? Mas como fazer com o campo 2017, mantenho o valor declarado errado e agora coloco o certo? Ou aproveito para corrigir tudo e coloco o certo em 2017 e 2018? Como não era um item “obrigatório”, posso ter problemas com a malha fina? Obrigada

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Viviane,
      Deve primeiramente retificar as declarações anteriores, e só depois entregar a declaração deste ano com o valor correto.

  94. Vanessa Balieiro Responder

    Boa Noite,
    Comprei um imóvel no valor de 95.000,00 sendo 11.300,00 utilizando o FGTS e o restante financiei através da caixa Econômica. No ano passado quitei o imóvel. A dúvida é se no valor de Situação em 31/12/2017 devo colocar o valor total do imóvel… que na aquisição foi 95.000,00 ou o valor pago com juros durante o período de financiamento?
    Desde já agradeço pela ajuda…

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Vanessa,
      Deve colocar todo o valor pago no imóvel, este será seu valor de custo.

  95. marceloluque Responder

    Ótima publicação! O item “Como Declarar Imóvel como Bem no IRPF 2018” me ajudou bastante.
    Parabéns e obrigado!

  96. Patrícia Responder

    Tenho um imóvel que já declarava por um valor, porém somente agora tenho a escritura, posso a partir da declaração desse ano informar o valor que está na escritura?

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Patricia, para mudar o valor agora você precisa retificar as declarações anteriores.

  97. Cristiane Responder

    Olá,
    Comprei um apto e utilizai como parte da entrada o apartamento de meus pais.Meus pais ficaram com o meu apartamento antigo (trocamos de imóveis sem tramitação de dinheiro). Como lançar na declaração este tipo de transação?

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Cristiane,
      pode dar mais detalhes desta transação? Registrou os imóveis? Valores envolvidos? etc

  98. cavalcante Responder

    comprei um apt ano passado paguei entrada e taxas de cartorio( registro e itbi) para a construtora e financiei o restante com a caixa. Sendo valor total do imovel R$112000,00 devo acrescentar a esse valor do imovel o valor das taxas de cartorio?
    estou pagando taxas de construçao para caixa deve informalas tb abatendo o saldo devedor do financiamento?

  99. Marília Responder

    Gostaria de saber se o valor indicado no carnê do IPTU como área do terreno corresponde a área total do imóvel e pode ser informada no preenchimento do bem casa.
    Ao lado da lacuna área total do imóvel, tem que marcar a unidade de medida dessa referida área e tem uma lacuna denominada REGISTRO. Como preencho essa lacuna?Qual a informação que entrará nessa lacuna e como a obtenho?Desde já agradeço a ajuda.

  100. Anônimo Responder

    Abaco ,

    Parabens, voce pelo menos esta dando retorno às dúvidas, os demais que tenho visto na internet são somente para auto promoção.
    att
    Rodrigues

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Obrigado Rodrigues,
      E olha que nem sou contador, rs. As dúvidas que não consigo responder eu lanço para a própria Receita.
      Abraço!

  101. GUILHERME GOMES Responder

    Olá. Costumava declarar cada apartamento com suas respectivas garagens no mesmo campo, mas na descrição eu colocava (apto 701 + garagens 4 e 5…). Neste novo modelo, onde será necessário incluir os dados da documentação do imóvel, isso tende a se tornar um problema, pois são matrículas distintas. Não posso resolver fazendo retificadoras porque tem imóveis que estão há quase 10 anos dessa maneira. O que me aconselham? Será que simplesmente diminuo o valor do apto e incluo as garagens separadas (mantendo o valor total) explicando o desmembramento?
    Obrigado.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Olá,
      Já submeti esta dúvida à Receita, sem reposta até o momento.

      • Anônimo

        Ola Guilherme me chamo Rodrigo e eu fiz isso diminui o valor do ap e lancei na garagem

  102. Haroldo Pereira Nascimento Responder

    Sou casado e vendi um apartamento em 2017. Este apartamento constava apenas em minha declaração, apesar de minha esposa tb constar como proprietária. Ambos relacionamos o CPF do conjuge nas declaracoes. Com o dinheiro da venda transferi parte do capital em uma conta investimento APENAS de minha esposa. No informe de rendimento emitido pelo banco consta DEVIDAMENTE o valor investido associado a minha esposa.
    Duvida: Ha problemas em declarar este valor investido na declaracao de IR de minha esposa apenas ? Pergunto, pois o total de bens e direitos dela aumentara 50x devido a este investimento realizado no cpf dela. Ou eles entenderão que a declaração dela esta associada a minha que continha a descrição do imóvel na declaração do ano anterior e agora constara como vendido ?

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Haroldo, se form um bem comum ao casal, deve ser declarado em apenas uma declaração junto com os outros bens comuns, independente de qual cônjuge registrou o bem. Na declaração do cônjuge que não for declarar o bem, deve-se escolher o código 99 e no campo descrição deve-se digitar: “os bens comuns ao casal estão declarados na declaração do cônjuge”. Não se deve informar os valores do bem.

  103. Haroldo Pereira Nascimento Responder

    Prezados, gostaria de saber qual código de bem eu devo inserir para apartamento adquirido na planta e ainda em construção. Seria 11-apartamento ou 16-construção?
    Ressalta-se que no caso de código 11 seria necessário preencher o campo Inscrição Municipal(IPTU) que, segundo a construtora, não possui pois ainda está em construção.

      • Ábaco Líquido Autor do post

        Usem o código 11. Sobre a questão do IPTU, favor ver a descrição no post pois houve atualização do critério.

  104. Milton Ubirajara de Oliveira Responder

    Boa tarde! Adquiri um imóvel em 2018 com duas matrículas distintas (apartamento e vaga de garagem). No contrato de financiamento há discriminação dos valores de cada imóvel, mas não há individualização de valores do financiamento e nem na entrada que foi paga. Como declarar? Obrigado!

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Milton, submeti esta dúvida para a Receita, mas ainda não tive resposta. Caso você encontre esta resposta em outro local, favor me informar.

      • Andre

        Olá, como posso submeter uma dúvida para a Receita? Obrigado

  105. Robson Santos Responder

    Comprei um apartamento através de uma cooperativa (Coophab) e não tem inscrição municipal dele porque ainda não temos a escritura.
    Como declarar no IRPF de 2018.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Robson,
      Só selecionar a opção “Não” para a pergunta “Registrado em Cartório de Registro de Imóveis?”

  106. Walmir Responder

    Prezados, gostaria de saber qual código de bem eu devo inserir para apartamento adquirido na planta e ainda em construção. Seria 11-apartamento ou 16-construção?
    Ressalta-se que no caso de código 11 seria necessário preencher o campo Inscrição Municipal(IPTU) que, segundo a construtora, não possui pois ainda está em construção.

  107. CPFM Responder

    Boa tarde. Em 2004, meu marido eu eu adquirimos um terreno com uma pequena casa construída. Após a aquisição, construímos um apartamento sobre esse imóvel. Posteriormente, outras duas casas neste mesmo terreno, onde cedemos para familiares residirem. Os imóveis têm registro na Prefeitura, mas não em cartório. Estamos em processo de regularização junto à Receita Federal do Brasil, pagando o parcelamento dos impostos. Sendo essa a primeira vez que declaramos esses bens no IR (nos anos anteriores optamos pela declaração simplificada), como informar valores dos imóveis e data de aquisição?

  108. Monica Responder

    Boa tarde! Comprei 2 terrenos no ano passado e vou declará-los pela primeira vez em 2018. Ocorre que, quando da aquisição, me foi pedido que passasse as escrituras por um valor muito abaixo do preço de venda. Eu aceitei, confesso que foi uma ingenuidade de minha parte, mas fiquei com uma certa “pena” dos vendedores, que eram pessoas muito humildes. Na hora não vi problema pois eu estava pagando o ITBI de acordo com a avaliação da prefeitura e as taxas do cartório de acordo com a tabela deles (eles sabiam o valor real da venda e foi inclusive o cartório que me encorajou a fazer desta forma).

    A questão é: qual o valor a ser declarado na minha DIRPF? O valor efetivamente desembolsado ou o valor da escritura?

    Obrigada!

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Olá Mônica!
      Do ponto de vista fiscal, o correto é você declarar como valor do imóvel o que efetivamente pagou pelo mesmo.

  109. Alexandre Matrosov de Moura Rêgo Responder

    Gostaria de saber sobre o campo “registro”, logo após a metragem do imóvel, na declaração de bens imóveis na declaração IRPF 2018.
    Já foi informado a inscrição do IPTU e a matrícula no cartório de registro de imóveis.

    • MAURO ARENAZIO Responder

      ESTOU COM A MESMA DUVIDA. ACHO QUE VOU COLOCAR O NUMERO DO INSTRUMENTO PARTICULAR DE COMPRA E VENDA, POIS MEU IMOVEL AINDA ESTA SENDO FINANCIADO. O REGISTRO SOH VEM COM A ESCRITURA DEFINITIVA.

      • Renata Pinheiro

        Existe um campo que pergunta se é registrado no cartório de registro de imóveis. Se você marcar não, o campo que pede o registo, a matrícula e o nome do cartório somem.

      • Helano Santos

        Estou com a mesma duvida. Meu imovel é financiado pela caixa e tenho a matricula só não o numero de registro. Eu devo marcar que não tem registro no cartorio?

      • Ábaco Líquido Autor do post

        Alexandre, Mauro, Renata e Helano, favor verificarem a atualização sobre novos campos no artigo.

    • Marcia Responder

      Também aguardo resposta a este questionamento. É um campo que aceita texto e números. Desconheço número de “registro”. O número identificador do imóvel é a matrícula, que já foi inserida…

      • Ricardo

        Na matrícula do meu imóvel consta logo depois do número a descrição: “LIVRO Nº 02 – REGISTRO GERAL”, será que pode ser isso. Estou com a mesma dúvida.

      • Ábaco Líquido Autor do post

        Marcia e Ricardo, estes números estão gerando muitas dúvidas. Eu mesmo fiquei com dúvida, rs. Fiz um adendo no meio do artigo, favor verificarem.

    • Roberto Marciano da Silva Responder

      Todo imóvel possui uma matrícula no cartório de Registro de Imóveis. A cada transferência feita ela recebe um número de Registro. Ex. Registro 1 – matrícula 33333, 2ª venda: Registro 2 – matrícula 33333, 3ª venda: Registro 3 – matrícula 33333 e assim por diante. Estes números 1, 2 ou 3, ou 4, são os números de registro.

      • Camila Tiboni

        Você deve acessar o site do cartório onde o seu imóvel está registrado, realizar um cadastro para login e buscar por: Serviços Online > Busca de Indicador Real > Pesquisar por (Endereço e número) > Clicar em Ver Matrícula (logo após o número), irá abrirá o Livro de Registros onde poderá conferir os dados, provavelmente estará na última página com a informação R(nº). Boa sorte!

      • Ábaco Líquido Autor do post

        Obrigado Roberto e Camila pela contribuição.

  110. João Angonese Responder

    Comprei um apartamento na planta em 2016 está em construção. Na atual declaração pede o número do cadastro do IPTU. Mas o IPTU só é fornecido depois do habite-se. Como vou proceder???

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Olá João,
      Submeti esta questão para a Receita. Vamos aguardar a resposta.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      A Receita respondeu…

      Nesse caso não preencha o campo e informa tal condição no campo de discriminação.

      Selecionamos algumas orientações sobre o preenchimento dos campos “IPTU” e Registro da Ficha Bens e Direitos. Por gentileza, consulte-as:

      1) Ficha de Bens e Direitos – Campo IPTU – Inscrição Municipal

      Ao lado do campo IPTU terá um ícone de informação com a seguinte mensagem:

      “Informar o número de Inscrição Municipal com até 20 caracteres. Caso este número possua mais de 20 caracteres, informe-o apenas no campo Discriminação, deixando o campo Inscrição Municipal (IPTU) em branco.”

      2) Ficha de Bens e Direitos – Campo Registro

      Bens imóveis no Brasil códigos 01 a 19 (exceto 16 e 17 que já não mostram o campo registro)

      O campo de Registro será mostrado para bens no Brasil apenas quando for marcado NÃO para o campo “Registro no Cartório de Registro de Imóveis?”. Esse campo já aparece sempre para bens no exterior;

      A impressão da declaração mostrará o campo Registro independente da marcação de sim ou não no campo “Registro no Cartório de Registro de Imóveis?”;

      Ao lado do campo Registro terá um ícone de informação com a seguinte mensagem:

      “Caso possua algum registro que possa identificar o imóvel, informar no campo Registro e detalhar no campo discriminação”.

      Exemplo: Registrado no Cartório de Títulos e Documentos sob o registro nº 0000000.

  111. Ludovina Responder

    Tenho um apartamento com garagem que comprei em l998, Paguei um valor único na época da compra, R$70.000,00, sem especificação do valor do apartamento e o da garagem. Mas o apartamento e a garagem tem indicação fiscal diferente: como declarar agora em 2018????

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Ludovina e Irene, boa pergunta hein?!
      Submeti esta questão diretamente para a Receita Federal, vamos aguardar a resposta.

      • Fernando

        Olá Ábaco! Já obteve resposta?
        Estou com tudo pronto para enviar, porém persiste a dúvida sobre o box de garagem, se continuo a declarar junto com o apartamento ou em campos diferentes. Penso que o correto é manter junto, somando as áreas totais do imóvel e da garagem, já que a orientação da Receita nos anos anteriores era essa:
        http://idg.receita.fazenda.gov.br/orientacao/tributaria/declaracoes-e-demonstrativos/doi-declaracao-sobre-operacoes-imobiliarias/perguntas-e-respostas

        “11 – Na alienação de um apartamento e box (garagem) qual área deve ser informada na DOI? A área do apartamento, do box ou a soma dos dois?

        R: Se o apartamento e o box (garagem) possuírem matrículas diferentes e valores de alienação individuais, deve ser emitida uma declaração para cada um, informando as respectivas áreas. Se o apartamento e o box possuírem matrículas distintas, porém constar no documento valor de alienação global deve ser emitida apenas uma declaração informando a matrícula do apartamento e a soma das áreas.”

      • Manoela

        Fernando, utilizei o mesmo critério que você, pesquisei muito e não achei nada além deste esclarecimento quanto à DOI. Pelo que entendi a lógica do cruzamento dos dados será em relação aos dados informados pelo registro de imóveis. Única coisa que fica estranha é a questão de preencher todos os campos do AP (Registro, Inscrição Municipal e Matrícula) e no campo “Área” somar as áreas do AP e da Garagem.

        Mas de toda forma, a declaração será feita com a única orientação da RF disponível no site até o momento e os demais itens podem ser esclarecidos no campo “Descrição”. Além disso, tais informações este ano são opcionais, então penso que até a próxima declaração tudo fique esclarecido.

        Caso já tenham alguma respostas, por favor, compartilhe!

      • Ábaco Líquido Autor do post

        Pessoal,

        A Receita Federal respondeu desta forma:

        Se à época do contrato de compra e venda não existiu qualquer segregação de valores pago entre o montante do apartamento e o montante da garagem, utilize os valores indicados em cada matrícula, já que elas existem. Se a soma não corresponder ao valor efetivamente pago, calcule os percentuais utilizando os valores da matrícula e aplique tais percentuais sobre o valor efetivamente pagos para se determinar o custo de aquisição do apartamento e da garagem. Declare separadamente cada item (11 e 19).

        Não sei se ajudou, de qualquer forma temos um grupo de discussão sobre imposto de renda com a participação de diversos contadores, segue o endereço…

        https://www.facebook.com/groups/impostoderendarestituicao/

  112. Francisco Responder

    Vocês colocaram o mesmo texto da declaração do ano passado. Não sei se avisaram, mas neste ano de 2018 a declaração é bem diferente.
    Na declaração de imóveis é pedido o nro. da inscrição municipal, data de aquisição, área do imóvel, registro, matrícula do imóvel e nome do cartório.

    • Francisco Responder

      Minha dúvida era sobre o registro, que tem relação com a área do imóvel. Que número é esse que tenho de colocar?
      A matrícula do imóvel, muda a cada mudança que ocorre em qualquer dos imóveis da pessoa. Vou ter que ir no cartório, para saber qual é a última matrícula registrada?

      • Ábaco Líquido Autor do post

        Bom dia Francisco!
        Revisei o texto, grato por avisar.
        Estes novos campos serão opcionais neste ano, justamente porque trarão muitas dúvidas na hora de preencher. Irei fazer um estudo e em breve retorno com novas informações.

  113. Mauricio Ferreira Responder

    Qual código de Bens e Direitos devo lançar a aquisição de uma sala em um prédio comercial em construção por regime de cotas?

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Bom dia Maurício.
      Não sei lhe dizer. Sugiro procurar informações na imobiliária responsável pela venda.

  114. Marcela Responder

    Boa noite, tinha uma posse de um imóvel comercial que completou em 2017 os 10 anos e neste mês de janeiro repassei essa posse por 250.000,00 através de um contrato público de cessão de posse com procuração. Nunca citei nas minhas declarações anteriores que tinha essa posse porque só completou 10 anos em 2017. Eu vou ter que pagar ganho de capital já que o Cessionário vai declarar? Como faço para declarar esse valor que será parcelado em 13 parcelas e depositado em conta poupança? Agradeço desde já pela sua colaboração.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Olá Marcela.
      Não entendi a questão dos 10 anos. Por que não declarava?

  115. Weslei Santos Responder

    Boa noite,comprei um imovel no ano passado direto com o banco Caixa Economica Federal e financiado pela mesma pelo valor de R$140.000,00,mas o valor de venda dele e bem superior R$250.000,00.Como devo declarar este imovel?Pelo que paguei ou pelo valor que o imovel vale?

    OBS: São imoveis que a caixa pega de volta e revende.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Weslei.
      Deve declarar o imóvel pelo preço de aquisição.
      Abraço!

  116. Henrique Responder

    Boa tarde.

    Tenho uma dúvida em relação ao Imposto de Renda sobre a venda de um imóvel.

    Adquiri um apartamento com minha esposa em 2005 e o vendi em 2018 por 312 mil reais.

    O que ocorre é que tenho participação de 37% de outro imóvel na época (2011) comprado por 165 mil reais.

    Minha dúvida é, tenho que pagar IR sobre ganho de capital ou neste caso é isento ?

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Olá Henrique!

      “Se o valor de venda do imóvel é de até R$ 440 mil então não paga imposto. Mas deve ser o único imóvel em nome do contribuinte e o mesmo não pode ter vendido casas ou apartamentos nos últimos cinco anos. Muitos contribuintes caem na malha fina ao usar essa isenção porque esquecem que possuem uma fração de outro imóvel.”

  117. Caroline Responder

    Olá,

    Como declarar uma casa comprada, junto com meu cônjuge, comprada da seguinte forma:
    Foi dado uma entrada dos meus meios próprios
    Restante foi pago para a pessoa que vendeu no mesmo dia, mas este restante eu peguei empréstimo consignado e fiquei pagando pro banco, mas este empréstimo não foi vinculado a casa.
    Casa foi comprada em 2011 e nunca a declarei, fiz melhorias e neste ano de 2016 eu a vendi por menos do que ela valeria após todas as reformas.
    Como declarar?
    Detalhe, a casa foi comprada apenas com compra e venda e procuração de subestabelecimento sessão de direitos e assim também foi vendida
    Obrigada desde já e parabéns pelo site.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Olá Caroline,

      Primeiramente você precisará retificar as declarações dos anos anteriores para incluir o imóvel. As bem feitorias que você tem como provar podem ser somadas ao preço de custo da casa. Você vendeu no ano de 2016?

  118. Pingback: Como declarar imóveis no imposto de renda - Zanardi Empreendimentos

  119. Joaquim SIlva Responder

    Como lançar na declaração do IRPF/17 a compra de um novo imóvel financiado, sendo que dei como parte de pagamento um outro imóvel, parte em dinheiro, parte do FGTS e o saldo financiamento imobiliário. Venda de um único imóvel no prazo de 180 dias. Grato.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Bom dia Joaquim!

      Pode formular melhor a questão?

  120. Giovanni Responder

    Bom dia, temos uma casa própria (eu e minha esposa) adquirida em 2006 por R$115mil com recursos do FGTS de ambos e de uma poupança que eu tinha na época, além da venda de um carro da minha esposa. Nunca declaramos este imóvel, nem as fontes de aquisição do mesmo.
    Como fazer para regularizar este imóvel na declaração do IR2017?
    Seria melhor não declarar e ir posteriormente a um posto da Receita Federal tentar resolver pessoalmente?
    Devo declarar no valor de compra há 11 anos ou pelo valor de mercado atual?

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Bom dia Giovanni!

      Nestes casos, é necessário retificar as declarações anteriores para informar o imóvel. O valor a ser usado deve ser aquele que foi pago e não o valor de mercado atual. Na declaração deste ano você já deve incluí-lo.

      Não deixe de assinar o site Abacus Liquid para ficar informado sobre as últimas novidades.
      http://abacusliquid.com/blog/assine

      Abraço!

  121. Geraldo Responder

    Bom dia,
    Em 2016 minha mãe faleceu e iniciamos e finalizamos o inventário no mesmo ano. Somos em 5 herdeiros e recebemos 50% (da parte da minha mãe falecida) de 3 imóveis e meu pai decidiu fazer a doação dos 50% dele para os herdeiros deixando como usufruto dele. Como devemos declarar esses imóveis no IRFP2017, tanto a parte da minha mãe falecida quanto do meu pai que fez a doação com usufruto?

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Bom dia Geraldo!

      Esta parte de herança é bem complicada e complexa. Sugiro que você procure um profissional para lhe auxiliar.

      Abraço!

  122. Ary Mercante Responder

    Meu pai está comprando e fazendo doação para meu filho (menor) de uma sala comercial em construção. Meu pai deve ficar com o usufruto da mesma. Em 2016 foi paga uma parcela da obra. Como entram no IR do meu pai e no meu esta parcela paga em 2016?

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Bom dia Ary!

      Confesso que nunca fiz uma declaração neste contexto, mas após algumas pesquisas concluí que o imóvel comprado na planta (no caso a sala comercial em construção), deve ser informado na sua declaração caso seu filho seja seu dependente. o campo Situação em 31/12/2015 deve ficar zerado e o campo Situação em 31/12/2016 deve conter o valor da parcela paga. No campo Discriminação deve especificar o nome e CPF do usufrutuário bem como outros dados sobre o imóvel.

      Seu pai também precisará declarar o imóvel pois será o usufruto do mesmo, para isto deve declarar com os campos Situação em 31/12/2015 e Situação em 31/12/2016 zerados, informando no campo Discriminação que é usufruto e o CPF e nome do seu filho.

      Seu pai precisará também lançar a parcela paga na ficha “Doações Efetuadas” com o código “81 – Doações em bens e direitos”.

      Você precisará também lançar na ficha “Rendimentos Isentos e não Tributáveis” como o código “14 – Transferências patrimoniais – doações e heranças” o valor da parcela paga.

      Lembrando que estou apenas interpretando as condições, posso estar errado, minha sugestão é que você entre em contato com a Receita para verificar a forma correta de declarar.

      Abraço!

  123. Expedito Ferreira Martins Responder

    Boa tarde,

    Minha pergunta é a seguinte:
    Na aquisição de um imóvel financiado na seguinte forma:
    Imóvel no valor R$ 300.000,00
    Recursos próprios R$ 65.000,00
    FGTS 43.000,00
    Financiamento R$ 192.000,00
    É correto declarar somente a amortização na ficha de Bens e Direitos? R$ 10.000,00
    E os juros, seguros e outros declarar na ficha pagamentos efetuados? 20.000,00.

    atenciosamente,

    Expedito,

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Bom dia Expedito!

      Você deve acrescentar ao valor de aquisição do imóvel o valor das amortizações, das parcelas pagas bem como juros e correções. O valor do FGTS usado na amortização deve ser declarado na ficha “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”.

      “Seguros” não pode entrar no custo de aquisição. O que seria “outros”?

  124. Pingback: Como declarar imóveis no Imposto de Renda 2017 - Tarjab

  125. CESAR NASCIMENTO DA SILVA Responder

    BOA NOITE.
    COMPREI UM IMOVEL RESIDENCIAL EM 1993 PELO VALOR DE 1.800.000,00 CRUZEIROS. NUNCA DECLAREI IMPOSTO DE RENDA. PORÉM, ESTOU OBRIGADO A ENTREGAR A DECLARAÇÃO ESTE ANO. COMO DEVO DECLARAR ESTE IMOVEL? ESSE IMOVEL FOI FINANCIADO POR PROGRAMAS SOCIAIS, AINDA NÃO ESTA QUITADO. DEVO CONVERTER A VALOR PRESENTE?

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Boa tarde Cesar!

      Sim, o valor pago até então precisa ser declarado em reais. Mas não é atualização a valor de mercado e sim correção monetária.

      Abraço!

  126. Paulo Responder

    Boa noite.

    Em 2016 vendi um imovel a prestacao por 600.000,00, ele estava no meu IRPF 2015 por 468.230,00, em 2016 recebi 268.000,00, o qual paguei 7.471,09 de imposto no programa ganhpo de capital, referente esse recebimento inicial.
    Apos importacao do Prog. Ganho de caipital p/ meu IRPF, ele informa um resultado Ganho de Capital 49.807,27.

    Gostaria de saber qual o valor devo colocar no campo de bens e direitos deste imovel, vendido.
    Aonde e quanto devo lancar o saldo de credito que tenho a receber deste imovel.
    Quanto desse recebimento de 2016, posso considerar como um ganho p/ aumento de patrimonio de 2016.

    Agradeco desde ja.
    Paulo

  127. Virgilio Responder

    Olá. Tenho uma dúvida sobre a declaração de benfeitorias em imóvel adquirido em condomínio.

    Eu adquiri um imóvel com minha noiva há 3 anos atrás. Eu paguei R$ 300.000 e ela pagou R$ 200.000. Esta proporção (60% para mim e 40% para ela) apareceu na escritura e também foi declarada nos nossos IRPF dos anos anteriores.

    Entretanto, recentemente fizemos R$ 100.000 de benfeitorias, integralmente pagas pela minha noiva. Portanto, cada cada um de nós pagou R$ 300.000 no total e tem direito a 50% do imóvel. A dúvida é: devemos mencionar 50% para cada um na declaração do IRPF, ou manter 60% e 40% como consta na escritura, mesmo ela tendo pago todas as benfeitorias?

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Bom dia Virgilio!

      No meu entendimento deve declarar agora 50%/50%. Porém você precisa ter todos os comprovantes das benfeitorias guardados.

      Não deixe de assinar o site Abacus Liquid para ficar informado sobre as últimas novidades.
      http://abacusliquid.com/blog/assine

      Abraço!

  128. Expedito Ferreira Martins Responder

    Na declaração de 2015 foi declaração as prestações (amortização + juros + seguros+tca) = declarado total.
    Pergunta: É correto declarar na Ficha de Bens e Direito somente a amortização?
    e os juros, seguros e outros declarar na ficha de Pagamentos Efetuados?

    atenciosamente,
    Expedito.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Bom dia Expedito!

      Pode detalhar melhor seu caso?

      Abraço

  129. Expedito Ferreira Martins Responder

    Boa noite,
    Solicito me tirar as dúvidas abaixo:

    Imóvel adquirido em 2015.

    Valor R$ 310.000,00 – informado na descrição declaração de 2015
    Recursos próprios R$ 65.000,00 – informado na descrição declaração 2015
    Valor de FGTS R$ 43.000,00 – informado na descrição declaração 2015
    XXXX parcelas x 2.500,00 – informado na descrição declaração 2015

    FINANCIAMENTO R$ 202.000,00 – informado na descrição declaração 2015

    Parcelas pagas em 2015.
    R$ 25.000,00 Declarado
    – Tarifas de acessórias ao financiamento R$ 2.550,00 Declarado em 2015
    – Tarifas de avaliação de bens R$ 2.550,00 Declarado em 2015
    – Imposto de transferencia de bens e Imóveis ITBI R$ 9.300,00 – Declarado em 2015
    – Despesas de cartório e registro do Imóvel R$ 4.615,67 – Declarado em 2015

    Pergunto:
    Estas despesas posso acrescentar ao valor do Imóvel ? = 310.000,00 + 19.015,67
    Se posso tenho retificar a declaração de 2015, ou posso ajustar na descrição da declaração de 2016?
    Em um dos cômodos construí um Home Office planejado, posso acrescentar no valor do Imóvel ? R$ 5.000,00

    Atenciosamente,
    Expedito

  130. Lisa Responder

    Olá, estou fazendo a declaração em que um apartamento foi comprado em 2013 e nunca declarado, a compra é em conjunto com o esposo e está financiado, como devo declarar? O imóvel está abaixo do valor de R$ 300 mil e um dos compradores não tem renda para declarar o imposto. Devo retificar as declarações anteriores?

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Bom dia Lisa!

      Se você ou seu esposo entregaram a declaração em 2014, 2015 e 2016 então as mesmas deverão ser retificadas. O procedimento para informar este bem está descrito no item “Como declarar imóvel financiado”.

      Se a declaração do casal é conjunta basta declarar o bem normalmente. Se a declaração é em separado basta incluir o imóvel em uma das duas declarações, mas neste caso esta declaração deve conter todos os bens comuns do casal.

      Não deixe de assinar o site Abacus Liquid para ficar informado sobre as últimas novidades.
      http://abacusliquid.com/blog/assine

      Abraço!

  131. Pingback: Dúvidas Sobre Imposto de Renda 2017? Veja algumas informações úteis

  132. Célio Responder

    Estou fazendo a declaração de uma pessoa que recebeu dois terrenos como doação há algum tempo (quitados e não é de inventário) de sua avó, já falecida. Na declaração não tem o porque de declarar a avó dela, certo? Pelo motivo que em alguns artigos li sobre doação e fala de cruzamento de informações pela receita, tanto pela pessoa que doou quanto pela que recebeu a doação.

    – Devo discriminar os terrenos na declaração? Os mesmos são no mesmo endereço, próximos um do outro.

    – O valor que coloco nos bens imóveis é de aquisição, neste caso como foi doação há algum tempo que valor insiro?
    – Como já está no nome dela (escritura, registro), é preciso declarar como doação?
    Desde já agradeço.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Boa noite Célio!

      Qual foi a data de recebimento das doações?

      • Ábaco Líquido Autor do post

        Bom dia Célio!

        Se a doação foi feita em 2012 e a declaração de 2013 foi entregue então a mesma deverá ser retificada para informar a doação. Todas as declarações entregues a partir de 2013 devem contemplar a informação do terreno, mas apenas a declaração de 2013 deve informar a doação.

        1 – Devo discriminar os terrenos na declaração? Os mesmos são no mesmo endereço, próximos um do outro.
        Sim, deve informar os terrenos. No campo de discriminação informe também que foram frutos de doação com nome e CPF do doador.

        2 – O valor que coloco nos bens imóveis é de aquisição, neste caso como foi doação há algum tempo que valor insiro?
        Informe o valor de aquisição a não ser que ocorreu benfeitoria que possa ser comprovada.

        3 – Como já está no nome dela (escritura, registro), é preciso declarar como doação?
        A doação só deve ser declarada no ano seguinte ao recebimento. Depois basta manter na discriminação do bem imóvel que o mesmo foi recebido de doação.

        Não deixe de assinar o site Abacus Liquid para ficar informado sobre as últimas novidades.
        http://abacusliquid.com/blog/assine

        Abraço!

  133. Carlos Rodrigues Responder

    Bom dia,tenho uma construção com projeto aprovado em andamento que em 31/12/2015 o valor era 110.000,00,ela teve avanço no assentamento de revestimentos ,colocação de gesso,calçadinha,eu posso declarar em 31/12/2016 um valor aproximado 125.000,00,sendo que a mão de obra foi feita por mim mesmo.Obrigado

  134. Neres Responder

    Bom dia.
    Comprei um imóvel cujo vendedor tinha a procuração do dono.
    O Pagamento foi feito através de transferência bancária para 5 contas de pessoas dessa família.
    Gostaria de saber como declarar a compra desse imóvel. Devo informar que foi repassado o dinheiro somente para o procurador ou devo discriminar o valor transferido em cada conta?
    Desde já, obrigado.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Boa noite Neres!

      No meu entendimento você deve declarar o imóvel normalmente como se tivesse comprando de um proprietário apenas, mas no campo de discriminação você especificaria a transferência bancária para as 5 contas incluindo CPF e nome do proprietário. O valor a ser considerado seria o valor total pago por você incluindo despesas com corretagens, escritura, taxas de transferências, etc.

      Mas não sou especialista neste assunto, sugiro buscar informações com profissionais do ramo.

      Abraço!

  135. Bráulio Pinto Responder

    Tenho uma casa , recebi 10.000,00 de aluguel porém paguei 1000,00 de IPTU , tenho tambem uma AP, recebi 500,00 de aluguel porém gastei 1500,00 com condominio>

    Devo somar as duas rendas dos dois imoveis e as duas despesas dos dois imoveis para declarar renda abatendo essas despesas? Ou tenho de declarar em separado? Apesar que acho impossivel declarar a renda do AP em separada pois ela foi negativa.

  136. Pingback: Imposto de Renda pela Primeira Vez em 2017: Como Declarar

  137. Pingback: Imposto de Renda 2017: Perguntão e Guia para Declaração

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.