Aprenda aqui como omo declarar fundos de investimento no imposto de renda 2018 da pessoa física. Fundos de Investimento de Curto Prazo, Fundos de Investimento de Longo Prazo, Fundos de Investimento em Ações e Fundos Multimercado e Fundos de Investimento Imobiliário.

O programa de declaração do imposto de renda 2018 da Receita Federal possibilita a declaração de 4 classes de fundos de investimento definidas: fundos de investimento de curto prazo, fundos de investimento de longo prazo / fundos de investimento em direitos creditórios e fundos de investimento imobiliário, fundos de ações / fundos mútuos de privatização / fundos de empresas emergentes / fundos de investimento em participação / fundos de investimentos de índice de mercado. Qualquer outro fundo de investimento que não se enquadre nestas classes deve ser declarado como “Outros”. Os fundos mais comuns são:

Fundos de Investimento de Curto Prazo: Fundos Referenciados DI ou com a expressão “Curto Prazo” no nome entram nessa categoria. Os ganhos desses fundos são tributados com alíquota de 22,5% para aplicações resgatadas em até 6 meses e 20% para as demais. Adicionalmente, os fundos de curto prazo têm o famoso “come-cotas”, que é um pagamento de imposto de renda que ocorre nos meses de Maio e Novembro, com alíquota de 20% sobre os ganhos acumulados.

Fundos de Investimento de Longo Prazo: A principal diferença dos fundos de logo prazo para os fundos de curto prazo é que esses fundos sofrem alíquotas menores, que caem até 15% dos ganhos para aplicações com mais de 2 anos, de maneira similar à tributação de renda fixa. O “come-cotas”, que também incide periodicamente nos meses de Maio e Novembro, tem uma alíquota mais baixa de 15% dos ganhos acumulados.

Fundos de Investimento em Ações e Fundos Multimercado: A tributação desses fundos é a mais vantajosa pois o imposto de renda é cobrado apenas no momento do resgate e com uma alíquota de 15% sobre os ganhos.

Fundos de Investimento Imobiliário: São explicados neste post dedicado.

Nos fundos de investimento de curto prazo, longo prazo, ações e multimercado o imposto de renda é recolhido diretamente na fonte, ou seja, o investidor já recebe o valor líquido e não precisa de nenhuma ação em relação à tributação, além da declaração dos rendimentos e dos bens. Neste artigo iremos aprender como fazer as declarações relativas aos fundos de investimento no imposto de renda 2018.



Como Declarar Rendimentos de Fundos de Investimento no IRPF 2018?

Independentemente do tipo do fundo, o valor dos ganhos corresponde ao rendimento líquido auferidos deve ser declarado no imposto de renda 2018. Para os fundos de curto e longo prazo, o valor dos rendimentos também é atualizado quando há cobrança do “come-cotas”. Por isto é importante declarar exatamente o valor que está no informe de rendimentos.

No programa de declaração do imposto de renda escolha a opção Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva e selecione o código 06 – Rendimentos de aplicações financeiras. Entre com o nome da fonte pagadora e o CNPJ conforme consta no informe de rendimentos (geralmente é o CNPJ da corretora). No campo Valor, digite o valor total dos rendimentos no fundo exatamente como consta no informe de rendimentos.

como declarar fundos de investimento

Como Declarar Saldo de Fundos de Investimento no IRPF 2018

O valor do saldo que deve ser declarado na em Bens e Direitos no imposto de renda 2018 corresponde à soma dos valores investidos nos fundos de investimento. No caso de fundos de curto e longo prazo, o valor do saldo apresentado no informe de rendimentos é atualizado quando existe cobrança de “come-cotas”. Para fundos de ações e multimercado o valor não muda com o tempo, exceto pelos valores de novas aplicações ou resgates.

Para declarar o saldo de fundos de investimento no imposto de renda 2018 deve-se incluir na ficha Bens e Direitos o saldo que você tem aplicado. Esse número estará discriminado no informe de rendimentos enviado pelo seu banco ou por sua corretora.

Em “Bens e Direitos” deve-se clicar no botão “Novo” caso você precise inserir um novo fundo ou em “Editar” para atualizar o saldo de um fundo que já consta de suas declarações anteriores. No campo “Situação em 31/12/2017”, digite o montante aplicado no fundo naquela data, seguindo o valor indicado no informe de rendimentos que você recebeu da instituição financeira. No campo “Discriminação”  inclua uma descrição com nome do administrador do fundo. No campo “CNPJ” especifique de acordo com o informe de rendimentos (geralmente é o CNPJ do fundo).

como declarar fundo de investimento

Fundos de Investimento de Curto Prazo

Fundos de curto prazo devem ser informados na declaração o código 71. Lembrando que a tributação desses fundos segue duas alíquotas: 22,5% para investimentos de até seis meses e 20% para um prazo acima de 180 dias.

imposto de renda fundo de curto prazo

Fundos de Investimento de Longo Prazo

Fundos de longo prazo devem ser declarados com o código 72. Neste caso, a tributação é regressiva e começa em 22,5% para aplicações de até 180 dias, atingindo a menor alíquota (de 15%) caso o prazo do investimento ultrapasse dois anos.

imposto de renda fundo de longo prazo

Fundos de Investimento em Ações

Fundos de ações devem ser declarados com o código 74. Estes fundos são caracterizados por contar com, no mínimo, 67% de seus recursos aplicados em papéis negociados na bolsa de valores.

imposto de renda fundo de acoes

Outros Fundos de Investimento

Demais fundos, como Fundos Mútuos de Privatização, Fundos de Investimento em Empresas Emergentes e Fundos de Investimento em Participação (FIP), também devem ser informados com o código 74.

imposto de renda fundos de investimento

41 comentários em “Como Declarar Fundos de Investimento?

  1. Cristiano Responder

    Olá tenho uma dúvida caso eu entre e saia de um fundo em pouco tempo por não me adaptar, tenho que declarar no ano seguinte?

  2. Pingback: Imposto de Renda 2018 Restituição Calendário e Cronograma

  3. Pingback: Informe de Rendimentos Easynvest para Imposto de Renda 2018

  4. Pingback: Informe de Rendimentos XP Investimentos para Imposto de Renda 2018

  5. Mayara Ramos Responder

    Boa noite! Poderia me informar quais as consequências para no caso de alguém hipoteticamente falando aplicar em fundos de investimentos há anos e não declarar, e seu valor chegar acima de 300 mil, e então querer passar a declarar, qual o tipo de atitude a Receita Federal tomaria?

    • CAH Responder

      O problema de passar a declarar os 300mil de uma vez é você não ter fonte de rendimento suficiente neste ano para bancar as suas despesas mais o acrescimo patrimonial (os 300 mil e mais outros acréscimos que houver). A primeira reação da Receita nesse caso pode ser: desde você cair na malha fina (já que receitas e despesas/bens não batem) e então ser chamado para comprovar de onde surgiram os 300mil e se já foram tributados, até te autuarem por omissão de receita quando tentarão cobrar I.R. sobre os 300 mil mais multa e juros. O correto seria você retificar as declarações passadas para incluir esses fundos nos anos em que você foi investindo.

  6. Carlos Eduardo Abrão Responder

    Boa tarde, na ficha rendimentos sujeito a tributação exclusiva, alguns rendimentos líquidos do informe de rendimento estão com saldo “zero” e o programa da receita federal não aceita esse valor.
    Como faço para declarar?

    Outra pergunta, tenho que declarar o saldo dos fundos n a ficha bens e direitos?

    Obrigado.

  7. Marcos Responder

    Eu transferi a custódia de um fundo de investimento em 2017. Neste caso, eu preciso declarar o fundo e seu rendimento em cada um dos CNPJs das corretoras? Ou bastaria somente o da corretora final? Tem q zerar o valor do fundo em bens e diretos e especificar que houve transferência de vistoria, certo?

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Marcos,
      Acho melhor dar a baixa no CNPJ antigo e criar um item para o novo. Descreva no campo de discriminação o motivo.

  8. Ricardo Responder

    Olhando os informes de rendimento, a questão do novo campo de CNPJ em “bens e direitos” não está esclarecida… afinal, é o CNPJ do administrador do fundo ou do próprio fundo?
    Nos informes que recebi constam sempre 2 CNPJ’s: da fonte pagadora (que sempre usei para os campos de rendimentos) e o dos administradores – mas vem somente a lista de administradores, e não uma relação de qual administrador é responsável por qual fundo. O CNPJ do fundo em si não aparece no informe.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Ricardo,
      O informe de rendimento é nosso mestre na hora de declarar o IR. Se veio discriminado o da fonte pagadora (que você sempre usou nos campos de rendimentos), então é ele que irá lançar. Caso deseje declarar também os CNPJs dos fundos, sugiro lançar no campo discriminação.

      • Ábaco Líquido Autor do post

        Lembrando que para declarar o saldo do fundo na ficha de bens e direitos usa-se o CNPJ do próprio fundo e para declarar os rendimentos deve-se usar o CNPJ que veio discriminado no informe de rendimentos que pode até ser o da própria corretora.

    • Cícero Responder

      Esse vídeo explica quais são as novas diretrizes da Receita sobre qual CNPJ colocar em relação a fundos de investimentos. Avancem para 16m:30s.

      Quanto ao CNPJ do fundo, se não veio no informe, você pode encontrar na lâmina ou no regulamento do fundo.

  9. Antonio Alves Responder

    Prezados,
    Sobre ETF (Fundo de Ações, código 74), na Ajuda do Programa da Receita IRPF 2018, sobre o conteúdo dos demais Campos: “CNPJ da Instituição financeira administradora do fundo.” E como agora o campo CNPJ é novo e separado, temos que ficar atentos a esse detalhe (eu informava apenas o CNPJ do fundo). eu entendo então que deve ser informado então (quando não é um fundo de ações do próprio banco) o CNPJ da instituição financeira que administra o fundo ou ETF. Mas especificamente sobre o ETF ECOO11 saiu no final do ano passado um fato relevante que informa a mudança do banco administrador do Citibank DTVM para o BNP Paribas Brasil S.A, cujo CNPJ é 01.522.368/0001-82:
    https://www.blackrock.com/br/literature/shareholder-letters/ecoo11-fato-relevante-adm-fundo-pt.pdf
    Abraços,
    Antonio Alves

  10. Jackson Responder

    No caso de fundos de investimentos, a corretora envia “Rendimentos Liquidos”. Esses rendimentos devem ser declarados independente do fundo ter sido resgastado? Obrigado.

    • Jackson Responder

      O saldo estou colocando o CNPJ do fundo. E no caso dos rendimentos também devo colocar o CNPJ do fundo? Ou o CNPJ do Banco? O informe de rendimentos do banco vem o cnpj do banco e nao do fundo. estou tendo que pegar os CNPJS nas laminas de cada fundo.

      • Andre

        Também tenho essa dúvida sobre o CNPJ na parte de rendimentos de fundos.

      • Ábaco Líquido Autor do post

        Jackson,
        O informe de rendimentos tem que ser seguido à risca. Tudo que vier nele deve ser declarado.

      • Ábaco Líquido Autor do post

        Andre, geralmente eu declaro exatamente como vem no informe. Mas caso queira ter maior segurança entre em contato com o banco para se certificar.

      • Ábaco Líquido Autor do post

        Obrigado Cicero!

  11. davi Responder

    Olá, sei que se a pessoa investir em ações diretamente na bolsa ela é obrigada a declarar imposto de renda, mesmo se os rendimentos tributaveis não superarem o limite de isenção. Mas se a pessoa investir em fundos de ações ela também se torna obrigada a declarar o IR mesmo nao superando o limite de isenção de rendimentos tributaveis de pessoa juridica?

  12. Cristiane Mota Responder

    Boa Noite! No informe de rendimentos da CEF consta: FI – Fundo de Investimento – 6800* (*Código de Retenção IRRF), já inseri os rendimentos na guia “Rendimentos sujeitos a tributação exclusiva/definitiva” utilizando o item 6, a dúvida é: Qual código utilizar para lançar os valores acumulados em 31/12 na guia de “Bens e Direitos”? Não há nada no informe que especifique se é de curto ou longo prazo!!!
    Melhor utilizar o código 79 – Outros?

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Bom dia Cristiane!

      Qual é o nome do fundo? Já procurou no site da Caixa a classificação deste fundo?

    • Júlio Responder

      Tenho a mesma dúvida, tenho buscado muito e não encontro em nenhum lugar o que seria um FI “6800”

  13. Pedro Oliveira Responder

    Boa noite,também fiquei em dúvida sobre o Imposto Retido sobre aplicações financeiras. A pergunta e resposta anterior se referiu a aplicações de Curto Prazo ou Renda Fixa. E quanto aos Fundos Multimercado, Renda Variável, Fundos de Ações, Fundos de Longo Prazo … segue a mesma regra ? Não devemos declarar no item Imposto Retido ?

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Boa tarde Pedro!

      Correto, não precisa declarar.

      Abraço!

  14. Adão Carlos Responder

    Um ponto importante que vocês não comentaram é quando temos em uma corretora vários fundos de diferente tipos, exemplo: Tem tres fundos de longo prazo, dois fundos de renda fixa e dois fundos de ações. Devo informar na Relação de Bens e Direitos uma linha para cada tipo de fundo e informar o CNPJ da Corretora ou do Fundo ?? ou tenho que declarar individualmente fundo a fundo e citar o CNPJ do Fundo ou da Corretora ???

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Bom dia Carlos!

      Não há regra clara da Receita quanto a isto, pelo menos não encontrei. Para fins de organização e mesmo de transparência, sugiro criar um item de declaração para cada fundo de investimento.

      Abraço!

  15. MURILO MENDES DE SOUZA Responder

    BOA TARDE. ESTOU REALIZANDO A DECLARAÇÃO IRPF2017 E POSSUO FUNDO DE INVESTIMENTO A CURTO PRAZO, NO INFORME DE RENDIMENTOS DO BANCO APARECE O SALDO EM 31/12/2015, O SALDO EM 31/12/2016, O RENDIMENTO E O IMPOSTO RETIDO NA FONTE DESTE INVESTIMENTO.
    ONDE LANÇO ESSE IMPOSTO RETIDO NA FONTE DESTE FUNDO DE INVESTIMENTO?
    GRATO.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Bom dia Murilo!

      Imposto de renda retido na fonte de aplicações financeiras de renda fixa não são declarados no ajuste anual, mesmo porque não são passíveis de restituição. Você deve declarar os saldos, os rendimentos líquidos e nada mais.

      Não deixe de assinar o site Abacus Liquid para ficar informado sobre as últimas novidades.
      http://abacusliquid.com/blog/assine

      Abraço!

  16. Pingback: Imposto de Renda pela Primeira Vez em 2017: Como Declarar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.