Pergunta do contribuinte: Fiz um empréstimo de R$50.000,00 e queria saber se tenho que declarar este valor na minha declaração? Aprenda neste tutorial como declarar empréstimo pessoa física no Imposto de Renda 2019, como declarar empréstimo de pai para filho, como declarar empréstimo quitado no mesmo ano, etc…

Devido à crise, o ano de 2018 foi muito difícil e milhares trabalhadores perderam o emprego. Mas a crise não atingiu apenas os empregados, muitos empreendedores tiveram que fechar as portas dos seus estabelecimentos. Veja neste site os dados do endividamanento do povo brasileiro. E neste cenário de dificuldades, muitos tiveram que recorrer aos seus parentes e amigos para tomar dinheiro emprestado.

Quem tomou empréstimos ou emprestou dinheiro acima de R$ 5.000 em 2018, seja envolvendo um amigo, um parente ou uma instituição financeira, precisa declarar esta informação no Imposto de Renda 2019. Apesar de não serem tributados, todos os empréstimos feitos em 2018 e que tenham valor superior a 5 mil reais, incluindo os contraídos e quitados integralmente no ano passado, devem ser declarados agora em 2019.

Como Declarar Dívida de Empréstimo no IRPF 2019?

Todos os empréstimos que não forem feitos por alienação fiduciária (quando o bem é dado como garantia, como no financiamento de carros e imóveis) devem ser declarados.

Para quem tomou o empréstimo em 2018, a dívida contraída deve ser declarada na ficha Dívidas e Ônus Reais, informando a natureza da dívida, o nome e CPF ou CNPJ do credor.

Será preciso criar um item para cada um dos credores, especificando-os pelos códigos de 11 a 16, dependendo da situação:

11. Estabelecimento bancário comercial;
12. Sociedades de crédito, financiamento e investimento;
13. Outras pessoas jurídicas;
14. Pessoas físicas;
15. Empréstimos contraídos no exterior;
16. Outras dívidas e ônus reais.

como declarar dividas

No campo Discriminação, declare o valor total do empréstimo; o destino dos recursos; a forma de pagamento, adicionando o número de parcelas e valores; a natureza da dívida (crédito consignado, por exemplo); e os dados do credor, com nome e CNPJ.

O campo Situação em 31/12/2017 deve ser zero se a dívida foi contraída em 2018 ou deve conter o valor da dívida no final de 2017.

No campo Situação em 31/12/2018, informe o saldo devedor. Caso a dívida for antiga (anterior a 2018) e tenha pago algum valor em 2018, diminua esse valor do saldo informado.

Qual Dívida não Precisa Declarar no IRPF 2019?

Não é obrigatório declarar dívidas com o valor igual ou inferior a R$ 5.000. Também não se deve declarar dívidas e ônus reais de:

  • Financiamentos do Sistema Financeiro da Habitação (SFH) ou sujeitos às mesmas condições (aqueles nos quais o bem é dado como garantia do pagamento. Ex: alienação fiduciária, hipoteca, penhor etc.)
  • Bens adquiridos por consórcio
  • Atividade rural

Como Declarar Empréstimo Consignado no IRPF 2019?

O empréstimo consignado é aquele empréstimo de pagamento indireto com parcelas reduzidas diretamente na folha de pagamento ou benefício do devedor. Um exemplo são os empréstimos tomados por funcionários públicos.

Empréstimo consignado deve ser declarado no Imposto de Renda 2019. Apesar de não serem tributados, todos os empréstimos acima de 5 mil reais que tenham sido contraídos em 2018, mesmo que já tenham sido quitados no ano passado, devem ser declarados. O Fisco avalia a variação do patrimônio do contribuinte ano a ano, fazendo uma comparação dos pagamentos realizados com os rendimentos recebidos.

Os empréstimos devem ser informados na ficha “Dívidas e Ônus Reais” da declaração. Os empréstimos concedidos por bancos devem ser informados com o código “11 – Estabelecimento bancário comercial”. Empréstimos concedidos por cooperativas de crédito devem ser classificados com o código “12 – Sociedade de crédito, financiamento e investimento”. Empréstimos concedidos por empresas, com exceção de bancos e sociedades de crédito, devem ser incluídos na ficha com o código “13 – Outras pessoas jurídicas”.

Como Declarar Conta Corrente Negativa no IRPF 2019?

O cheque especial é uma modalidade de empréstimo bancário destinada a clientes com limite de crédito pré-aprovado. O banco possibilita o uso em casos de urgência ou imprevistos, quando o cliente precisa efetuar o pagamento de uma obrigação e não há saldo disponível em sua conta corrente.

Se a sua conta corrente estava negativa no dia 31/12/2018 em mais de R$ 5.000 então esta dívida obrigatoriamente deve ser informada. Mesmo quem tem um valor abaixo disso pode informar a conta-corrente apenas para manter o controle da conta na declaração.

Quais Outras Dívidas Precisam Ser Declaradas no IRPF 2019?

Todos os empréstimos que não utilizam os bens adquiridos como garantia — como os feitos entre pessoas físicas, crédito consignado, crédito pessoal ou cheque especial — devem ser declarados.

Já os financiamentos de imóveis e de veículos, nos quais o bem que está sendo comprado costuma ser oferecido como garantia do pagamento da dívida ao banco, devem ser incluídos na ficha  de bens e direitos.

Como Declarar Financiamento Estudantil no IRPF 2019?

O financiamento estudantil, também conhecido como crédito universitário, é o financiamento concedido por instituições públicas ou privadas para estudantes que não têm condições de arcar com as despesas de uma graduação não-gratuita. A empresa ou fundo paga as parcelas enquanto o estudante repassa valores à credora em um prazo maior.

Financiamento estudantil contratado deve ser declarado na ficha de dívidas e ônus reais com o código que corresponde ao tipo de credor que forneceu o crédito.

Já o valor pago à instituição de ensino, ainda que com recursos do financiamento, pode ser deduzido como despesa com educação no ano do pagamento das parcelas. Contudo o pagamento do empréstimo ao banco que forneceu o crédito não pode ser deduzido.

O contribuinte pode deduzir os gastos com educação da base de cálculo do imposto enquanto estiver de fato estudando e as mensalidades estiverem sendo pagas. Se depois de se formar ele continuar pagando as prestações do empréstimo, como ocorre no Fies, esses valores não poderão ser deduzidos da declaração.

Como Declarar Dinheiro Emprestado no IRPF 2019?

Quem emprestou dinheiro para outra pessoa em 2018 no valor superior a R$ 5.000 deve declarar a operação no imposto de renda 2019. Na ficha Bens e Direitos, selecione o código 51 – Crédito decorrente de empréstimo e informe no campo Discriminação o valor do empréstimo bem como o nome e CPF do mutuário (pessoa que recebeu o dinheiro).

como declarar emprestimo

Deixe o campo Situação em 31/12/2017 zerado caso o empréstimo tenha sido feito em 2018.  Se for empréstimo anterior a 2018 então entre com o valor emprestado em 2017.

Se for empréstimo anterior a 2018, no campo Situação em 31/12/2018 repita o valor do crédito a receber informado em 2017, caso não tenha recebido nada em 2018.  Se recebeu algum valor, deduza essa quantia.

Se o empréstimo tiver sido realizado e quitado no mesmo ano, a transação deve ser informada da mesma maneira, mas, nesse caso, os campos “Situação em 31/12/2017” e “Situação em 31/12/2018” não devem ser preenchidos. Toda a informação do empréstimo deve ser relatada no campo “Discriminação”.

Como Declarar Recebimento de Juros de Empréstimo no IRPF 2019?

Os juros decorrentes de empréstimos a pessoa jurídica estão sujeitos à incidência sobre imposto de renda exclusivamente na fonte às alíquotas de:

  • 22,5% com prazo até 6 meses;
  • 20% com prazo de 6 meses e 1 dua até 12 meses;
  • 17,5% com prazo de 12 meses e 1 dia até 24 meses;
  • 15% com prazo acima de 24 meses.

Tais rendimentos deverão ser declarados na ficha Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva. Na guia Rendimentos clique no botão Novo. Selecione o código 13 – Outros. Selecione o tipo de beneficiário (Titular ou Dependente) conforme o caso. Informe o CNPJ e a fonte pagadora. No campo “Descrição” escreva “Empréstimo”. No campo “Valor” informe a quantia recebida já descontando o imposto retido na fonte. Pata finalizar clique em “OK”.

Os juros decorrentes de empréstimos a pessoa física estão sujeitos a carnê-leão, cujo recolhimento é mensal caso atinjam a tabela progressiva. O beneficiário dos juros deve efetuar o pagamento do imposto devido até o último dia útil do mês seguinte ao do recebimento.

Os valores deverão ser declarados na ficha Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Física e do Exterior pelo Titular. Selecione a guia Titular ou Dependentes conforme o caso. Na guia “Outras Informações” informe os valores recebidos na coluna “Outros” conforme o mês do recebimento.

Você poderá usar o botão Importar Dados do Carnê-Leão caso tenha feito o preenchimento do carnê mês a mês. Caso contrário deverá fazer o preenchimento manual das colunas “Outros”, “Dependentes” e “Darf pago cód. 0190”.

Se não fez os pagamentos mensais do carnê, todos eles devem ser acertados de uma vez antes de fazer a declaração. Mesmo assim, será multado em 20% do imposto devido. Se não regularizar a situação, a multa é de 50%, também calculada sobre o imposto devido.

Dica do autor: Você está precisando de um empréstimo pessoal, fez uma pesquisa na internet e achou algumas empresas oferecendo empréstimo online. Entretanto, você ainda tem dúvidas sobre quais empresas oferecem as melhores taxas de juros e condições para o seu crédito, correto? Além disso, você também possui receio sobre a credibilidade desta nova modalidade de empréstimo, não é mesmo? Bem, estas dúvidas são perfeitamente naturais para aquelas pessoas que buscam crédito pessoal com o mínimo de responsabilidade. Pensando nisto, recomendamos este excelente artigo do site Bons Investimentos.

Dúvidas Mais Comuns Sobre Declaração de Empréstimos

Dúvida do contribuinte: Pedi empréstimo ao meu pai no valor de R$ 100 mil e declarei esse valor no IR no campo Dívidas e Ônus Reais em 2018. Ocorre que neste ano ele meu dependente e realizei pagamentos a ele no valor de R$ 20 mil. Deve declarar esse valor como rendimento de dependente?

Resposta: Será baixado o valor de R$ 20 mil no campo de Dívidas e Ônus Reais e, na ficha de Bens e Direitos, o valor recebido de R$ 20 mil, discriminando que foi recebido do dependente.

Dúvida do contribuinte: Em 2017, emprestei dinheiro para um parente próximo. Declarei esse valor, e ele também, na DIRPF 2017/2018. No fim de 2018, a situação do parente piorou e resolvi perdoar a dívida. Como devo lançar esse perdão?

Resposta: Você e seu parente colocaram nas declarações como empréstimos. Se houve perdão, ficou claro que o empréstimo se transformou em doação. Neste caso, será lançado na ficha de doações efetuadas de quem fez a doação, informando nome, CPF e o valor doado; e quem recebeu a doação informará em Rendimentos Isentos e Não Tributável o nome, CPF e o valor recebido de doação.

Dúvida do contribuinte: Como devo declarar de saldo negativo da minha conta-corrente? No informe de rendimentos consta Conta Corrente: em 31/12/2017, -R$ 1.226,54 e, em 31/12/2018, R$ 22. E, no informe de rendimentos consta C/Poupança: em 31/12/2017, R$ 2.204,18 e, em 31/12/2018, R$ 3.637,35, com rendimentos de R$ 196,91.

Resposta: Os empréstimos (dívidas) devem ser informados na ficha Dívidas e Ônus Reais. Entretanto, dívidas até R$ 5 mil estão dispensadas de declarar. O rendimento da poupança deve ser lançado na ficha Rendimentos Isentos ou Não Tributáveis, código 12.

Dúvida do contribuinte: Em janeiro de 2018, emprestei R$ 200 mil para meu filho completar o valor para aquisição de um imóvel próprio. Do valor emprestado, receberei R$ 100 mil em abril/2019. Os R$ 100 mil restantes serão amortizados em 60 parcelas a partir de junho/2019. Como devemos declarar, eu e ela, na prestação anual de IR? Quais campos deverão ser preenchidos?

Resposta: Nesta declaração, a pessoa que está emprestando (pai) deve declarar o valor na ficha Bens e Direitos informando no campo Discriminação, o CPF do tomador e as condições do empréstimo. Quem recebe (filho) declara a quantia na ficha ficha Dívidas e Ônus Reais, informando o CPF do cedente e as condições. Na próxima declaração (2019) procederá a baixa dos valores recebidos. Os depósitos identificados comprovarão a quitação.

Dúvida do contribuinte: Em 2016, contraí empréstimo de certa quantia de minha irmã. Ambos declaramos normalmente. Eu, em Dívidas e Ônus, e meu irmão, em Bens e Direitos. Em 2018, quitei a quantia com a correção de juros de poupança. Como devemos declarar essa situação?

Resposta: Dua irmã deve zerar na coluna Situação em 31/12/2018, da pasta Bens e Direitos, o valor do empréstimo. Em sua declaração, você também vai zerar a dívida na coluna Situação em 31/12/2018, na pasta Dívidas e Ônus Reais. Os juros recebidos são tributáveis para sua irmã que os recebeu. Você lançará esses na pasta Pagamentos Efetuados, código 99 – Outros e ela lançará na pasta Rendimentos Recebidos de Pessoas Físicas e do Exterior pelo Titular, na coluna Outros, indicando o mês e o valor dos juros recebidos. Alertamos que os juros recebidos de pessoa física estão sujeitos ao recolhimento mensal (carnê-leão).

Dúvida do contribuinte: Fiz empréstimo sem juros de 118 mil em 2018 para quitar um terreno. Vou pagar como puder sem juros. Quem me emprestou vai ter que pagar IR sobre esse dinheiro?

Resposta: Não precisa pagar IR pois não receberá juros.

64 thoughts on “Como Declarar Empréstimo?

  1. Olá! Tomei do BB um empréstimo tipo CDC em 2018 pela primeira vez e consegui pagá-lo em 2018. Ao tentar registrar isso em DÍVIDAS E ÔNUS REAIS o programa não aceita deixar os campos “SITUAÇÃO EM 31/12/2017” e “EM 31/12/2018” igual a zero. Segundo sua instrução, isso deveria ser aceito nesse ano, não é?

  2. Olá, boa tarde, eu emprestei dinheiro ao meu pai, valor acima de 5 mil, porém, emprestei este ano, no programa do Imposto só fala sobre a situação em 2017 e 2018, como consigo declarar que emprestei este ano? Ou só consigo declarar isso no ano que vem?

  3. PEGUEI UM DINHEIRO EMPRESTADO R$25 MIL COM FAMILIAR NO CASO MINHA MÃE, PARA INVESTIR NA BOLSA VOU PAGAR INTEGRAL A ELA DAQUI 3 ANOS SEM JUROS, POIS JÁ AJUDEI ELA EM OUTRO MOMENTO.
    COMO DEVO DECLARAR

    1. Vini,
      Todos os empréstimos que não forem feitos por alienação fiduciária (quando o bem é dado como garantia, como no financiamento de carros e imóveis) devem ser declarados. Para quem tomou o empréstimo em 2018, a dívida contraída deve ser declarada na ficha Dívidas e Ônus Reais, informando a natureza da dívida, o nome e CPF ou CNPJ do credor. Mais detalhes você encontra no texto.

  4. Olá, emprestei um valor para uma empresa que esta me pagando juros. Como devo declarar estes juros recebidos ref. empréstimo / irrf s/juros?
    O valor liquido do juros é de R$1.047,12 e do IRRF é de R$248,40.
    Vou precisar declarar?

  5. Fiz empréstimo sem juros de 118 mil em 2017 para quitar um terreno , vou pagar como puder sem juros , quem me emprestou vai ter que pagar IR sobre esse dinheiro .

  6. Emprestei 45 mil reais a uma pessoa em Abril de 2017 e vou receber de volta 63 mil (18 mil de juros), vou receber em 36 vezes de 1750. Comecei a receber de volta em Abril de 2017.

    Onde eu declaro o valor que emprestei e o valor que ja recebi? eu declaro o valor total ou so apenas oque emprestei ou somente os juros qe vou receber?

  7. Gostaria de saber o seguinte: pago parcela de um empréstimo a mais de 3 anos , onde entra o total de encargos pago .

  8. Contrai alguns empréstimos no execício de 2017, mas não passaram de 5 mil. Declarar ajuda ou atrapalha com relação a restituição?

    1. a declaraçao dos valores, mesmo pequenos, demonstra sua organização e comprometimento com a Receita Federal. alem disso, os valores pagos/recebidos devem constar na declaracao com a finalidade de demonstrar onde e como o dinheiro passou por suas mãos!

  9. Boa noite!
    Tenho um dúvida.
    Fiz um empréstimo junto a uma instituição financeira para um familiar, ao qual repassei todos os custos desse empréstimo. Dessa forma, todos os juros que o meu parente me paga, eu repasso para a instituição financeira. Nesse caso, acredito que não preciso pagar imposto sobre rendimento de juros, uma vez que ele está sendo integralmente repassado ao banco. Estou certo??

  10. O emprestimo efetuado em banco superior a R$ 5.000,00 é lançado na ficha Dividas e onus. Não é necessario lançar tambem a contra partida por exemplo em Bens e Direitos se for o caso? O cliente que fez o emprestimo não é obrigado a informar a finalidade do emprestimo?

  11. contratos com construtora por ocasião de aquisição de apto, tenho que declarar em divida e ônus real ?

  12. Olá! É a primeira vez que declaro imposto de renda, fiz um consignado em 2015 no valor
    de 10.000 reais,em 60 parcelas, portanto ainda não está quitado. Preciso declarar?Se for sim como devo lançar?

    1. Sim. Declare o recebimento do valor TOTAL em bens e direitos. depois, crie um lancamento em dividas, iniciando com o valor total do emprestimo e sendo abatido, ano a ano, até ser quitado integralmente.

  13. Olá! É a primeira vez que declaro imposto de renda, fiz um consignado em 2015 em 60 parcelas no valor
    de 10.000 reais, portanto ainda não está quitado, preciso declarar?Se for sim como devo lançar?

  14. Como lanço desconto obtido em um empréstimo junto ao banco? Fiz um empréstimo de $ 20.000 e o banco me deu um desconto de $ 1.000. Como lanço esse desconto? Grato.

  15. Olá, fiz um empréstimo no valor de 28.330 em 90 parcelas de 529,19 que totalizando com juros dá o valor de 47.627,10. Minhas dúvidas são:

    O valor do empréstimo a ser declarado é com os juros?
    Caso a resposta seja não, na coluna “Valor pago em 2017” eu tenho que colocar o valor sem os juros, ou seja (28.330/90)*12?

  16. Olá… No ano passado eu fiz um empréstimo consignado de R$ 20.000,00, e repassei para minha filha, completar o valor que ela tinha e comprar um carro. Como faço para declarar isso na minha declaração? Observei que a pessoa que cedeu o empréstimo deveria lançar na Ficha “Bens e Direitos”, porém esse é um valor que eu não dispunha. Contrai um empréstimo para ceder o valor para minha filha. Então acredito que não seja o meu caso. Então, como faço?
    Obrigada

  17. Olá. Fiz um emprestimo e já declarei no campo de “Dívida e ônus”. Porem, gostaria de saber se preciso declarar também o valor que recebi quando fiz o empréstimo, no caso R$15.000, pois sem esse valor minhas despesas serão maiores que minhas receitas. Obrigado

    1. Pedro ao informar um saldo de empréstimo você já está dizendo que recebeu 15.000,00 através de empréstimo, ou seja, esse valor vai compor a sua renda no ano.

  18. Buenas! Fiz um empréstimo consignado em abril de 2017, mas em outubro fiz portabilidade [CAIXA p/ BB], como declaro? Obrigado desde já.

  19. Complementando a dúvida informo que possuo outros valores de empréstimos que somados superam os R$ 5.000,00.

  20. Bom dia!

    Realizei a antecipação da restituição do imposto de renda no ano de 2017 com quitação no mesmo ano. Ao deixar o campo “situação em 31/12/2017” sem preenchimento e preenchendo o campo “valor pago em 2017” com a quitação do débito, aparece mensagem de pendência, porém que não impede a gravação para entrega. Como proceder em tais casos?

    Grato.

  21. Olá tenho uma dúvida, tenho um empréstimo consignado, descontado na folha, esse valor eu posso está deduzindo do valor nos meu rendimentos recebidos pelo estado?
    Ex. Valor de rendimento recebido, R$30,000,
    valor pago no ano do consignado R$ 5,000
    Desse modo, posso colocar como se meu rendimento no ano foi de R$25,000?

  22. Tenho um financiamento no FIES, que não é de 100%. Pago a Instituição um valor referente ao restante da mensalidade. Como declaro no IRPF 2018? Declaro toda a mensalidade do curso (parcela do Fies e a minha parcela) ou apenas o que eu pago?

  23. Um empréstimo pagos mensalmente acompanhando os índices de correção da Poupança aplica-se a regra abaixo?

    Como Declarar Recebimento de Juros de Empréstimo no IRPF 2018?
    Caso o dinheiro emprestado lhe seja devolvido com juros, esta remuneração estará sujeita ao recolhimento de imposto de renda, conforme as regras de pagamento pelo carnê-leão. Essa obrigação vale para quem teve esse tipo de renda acima de R$ 1.903,98.

    Se não fez os pagamentos mensais do carnê, todos eles devem ser acertados de uma vez antes de fazer a declaração. Mesmo assim, será multado em 20% do imposto devido. Se não regularizar a situação, a multa é de 50%, também calculada sobre o imposto devido.

  24. Meu saldo devedor de BB Crédito Salário em 2016 era de R$ 24.121,85, Paguei R$ 17.132,40 com juros e o saldo em 2017 é de R$ 17.132,40, como assim? como vou declarar os juros pagos?

  25. Por gentileza, se for possível me tire uma dúvida.
    Fiz um empréstimo consignado e repassei o valor para um amigo. Vamos colocar um valor fictício de R$ 50.000,00, realizado em 36 parcelas.
    Esse empréstimo foi realizado no ano de 2017 e foi quitado pelo meu amigo, dentro do mesmo ano. Com as parcelas pagas + as antecipações, o valor com o juros recebidos pela agência, chegou à aproximadamente R$ 60.000,00
    Minha dúvida é a seguinte:
    1º) Como eu declaro esse valor, já que fiz o empréstimo em uma instituição financeira e repassei todo o crédito para um amigo e ele ficou responsável em depositar todo mês os valores das parcelas em minha conta corrente, inclusive os juros que incidiram sobre o crédito consignado.
    2º) A diferença entre o montante levantado (R$ 50.000,00) e o pago pelo meu amigo (~= R$ 60.000,00), irá gerar mais algum imposto a ser recolhido, fora os já embutidos no próprio crédito consignado?

    Desde já agradeço à atenção. Parabéns pelo site!

    1. Olá Cleriton,
      Como o empréstimo foi tomado e quitado no mesmo ano, então não vejo necessidade de declarar. A não ser que você tenha tido algum rendimento próprio nesta transação.
      Abraço!

      1. Boa noite,
        Quando o saldo em 31/12/2016 e 31/12/2017 é zero, em uma determinada linha de CDC, que foi contratado e liquidado em 2017, porém com valor elevado constante do campo prestações pagas. E, não consigo informar 0,00 na situação em 31/12. Devo informar 0,01?

      2. Continuação – R$ 0,01 para conseguir informar o valor referente as prestações pagas.

  26. Fiz um emprestimo em 2017 e quitei no mesmo ano. Se deixo o campo de situação em 31/12/17 em branco aparece uma mensagem de pendencia. Como vou colocar qualquer valor nesse campo se a dívida já estava paga?

    1. Olá Adele,
      Se a dívida já foi quitada no mesmo ano que tomou o empréstimo então não vejo porque declarar.

      1. Vc diz: “Apesar de não serem tributados, todos os empréstimos feitos em 2017 e que tenham valor superior a 5 mil reais, incluindo os contraídos e quitados integralmente no ano passado, devem ser declarados agora em 2018.”
        E responde que “Se a dívida já foi quitada no mesmo ano que tomou o empréstimo então não vejo porque declarar.”
        O que posso acatar?

  27. Ábaco, parabéns pelo texto! Muito bom.
    Queria te perguntar uma coisa que não tenho achado o fundamento legal para a tributação ou não. Seguinte:
    Na hipótese de um empréstimo entre pessoas físicas feito há alguns anos em que não houve pagamento de juros mensais. No momento da devolução de valor superior ao “valor nominal” emprestado, o credor poderia fazer a atualização monetária do valor emprestado e só pagar a diferença a título de juros?
    Exemplo: Em 2010, pessoa física X pegou R$ 100.000 de empréstimo do sobrinho Y, nunca pagou nada nesse período. Agora, em 2017 ele devolve R$ 170.000. Considerando que no período desses 5 anos a inflação acumulada foi de 50% (R$ 50.000), quando X for recolher o imposto no carnê-leão poderá ser só sobre R$ 20.000 (diferença dos 170.000 recebidos menos R$ 150.000 – os R$ 100.000 corrigidos monetariamente).
    No meu modo de ver, na realidade, o acréscimo patrimonial foi de apenas R$ 20.000,00. Até o montante de R$ 150.000,00 devolvido, o credor estaria recebendo menos do que emprestou – e não auferindo renda.
    Sabe alguma coisa sobre isso? O que você acha?

    1. Olá Daniel!
      A lei não fala em nenhum momento sobre correção monetária. Desta forma, entendo que você deve fazer o cálculo do imposto sobre juros de acordo com a diferença entre o valor emprestado e o valor recebido.

  28. E nos casos onde seja feito vários empréstimos menos, mas que somando todos, não ultrapassem 5.000 por mês? Como deve ser feito?

    1. Bom dia José!

      Se o total de empréstimos que você contraiu não somou 5.000 então não vejo motivos para declarar.

      Abraço!

  29. Olá,
    Isto é para informar o público em geral de que o Sr. Chris, um credor de empréstimo privado abriu uma oportunidade financeira para todos os que precisam de qualquer ajuda financeira. Eu dou empréstimo a taxa de juros de 2% para indivíduos, empresas e empresas sob uma cláusula e condições claras e compreensíveis. Contate-nos hoje por e-mail em: ([email protected]),

      1. por gentileza , tinha um carro financiado em 2016 em 2016 a situação era 39.000,00 o financiamento ia até 2019, porém quitei em maio de 2017 . como declaro em :
        situação 2016 , situação em 31/12/2017 – pagamento em 2017 ????

        obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.