Kriptacoin: A Moeda Digital Mais Falada do Momento

Há muitos jornais acadêmicos dedicados à análise da arquitetura blockchain do Bitcoin. Seus autores traçam o fluxo de dinheiro, identificam os proprietários das moedas, determinam os saldos das carteiras e assim por diante. A capacidade de fazer essa análise deve-se ao fato de que todas as transferências entre endereços são transparentes: cada entrada em uma transação refere-se a uma saída única. Além disso, os usuários geralmente reutilizam seus antigos endereços, recebendo e enviando moedas muitas vezes, o que simplifica o trabalho do analista. Neste cenário, a moeda digital Kriptacoin foi projetada para mitigar os riscos associados à reutilização de chaves e ao rastreamento de um input-to-one-output. Todos os endereços para pagamento são uma única chave, derivada dos dados do remetente e do destinatário. Pode aparecer duas vezes com uma probabilidade de uma colisão de hash de 256 bits.

Afinal, o que é Kriptacoin? É uma forma de dinheiro, com a diferença de ser digital e não ser emitido por nenhum governo. Para transações online, é a forma ideal de pagamento, pois é rápido, barato e seguro. É uma tecnologia inovadora.

kriptacoin

Compra e Venda de Kriptacoin

A Kriptacash é a primeira empresa a intermediar a comercialização de Kriptacoin na América Latina. Suas  credenciais são agilidade, segurança e qualidade. A Kriptacash Express é mais uma alternativa para saques, rápido, fácil e seguro.

kriptacash

Agência Brasília: Rua 03 Chácara 94 Sala 214 – Arena Shopping, Setor habitacional Vicente Pires.

Agência Goiânia: Rua J – 34 Qd 53 Lote 7 e 8, Setor Jáo.

Mineração de Kriptacoin

A KriptaMining é uma pool minerativa da Kriptacoin como forma de ICO “Oferta Inicial de Moedas”. A mineração da Kriptacoin pode ser realizada somente por Entidades Físicas ou Jurídicas permitidos dentro da plataforma Wall Street Corporate, sendo assim é impossível que alguém fora da rede consiga realizar a mineração sem o consentimento da plataforma. Cada participante da mineração conforme o contrato com a Wall Street Corporate recebe a recompensa em Kriptacoins podendo assim transacionar seu saldo.

WS Corporate é ma empresa de tecnologia. Tem como foco principal a mineração, popularização e aceitabilidade da criptomoeda (altcoin) denominada Kriptacoin. Conta com uma equipe de engenheiros em tecnologia, programadores, designers, publicitários, jornalistas e economistas renomados.

wall street corporate

Missão: Promover a Mineração e a Aceitabilidade da Kriptacoin como uma forma de Pagamento ao Mercado.

Visão: Tornar a Kriptacoin uma das principais Criptomoedas em usabilidade e valorização mundial.

Valores: Eficiência, pro atividade, valorização humana, preocupação com a satisfação do cliente, postura colaborativa, transparência e comprometimento.

O Outro Lado da “Moeda”

A Polícia Civil do Distrito Federal deflagrou, na manhã desta quinta-feira (21), a operação “Patrik” para prender 13 suspeitos de envolvimento em um esquema de “pirâmide financeira” no DF e em Goiânia. Segundo as investigações, a organização criminosa movimentou R$250 milhões a partir de investimentos de 40 mil vítimas em uma moeda virtual falsa, a Kriptacoin. Três empresas são alvo da operação, entre elas a Wall Street Corporate – criadora da moeda.

Até a última atualização desta reportagem, a polícia havia confirmado a prisão de 11 suspeitos em Brasília. A Justiça também expediu 18 mandados de busca e apreensão no DF e na capital goiana. Sete carros de luxo foram apreendidos e estão no estacionamento do Departamento de Polícia Especializada em Brasília.

moeda virtual falsa

De acordo com as investigações, o esquema começou a ser articulado no final do ano passado e se consolidou no DF em janeiro de 2017. Os integrantes da organização se passavam por executivos e prometiam altos rendimentos com o negócio, com ganho de 1% ao dia sobre uma moeda virtual falsa – o resgate do saldo só poderia ser feito após um ano.

Para dar um ar de legalidade, eles marcavam reuniões, faziam anúncios em outdoors e propagandas, tanto na internet quanto na televisão, além de tirar fotos com cantores famosos. Quanto mais investidores fossem recrutados para participar do negócio, a promessa de ganhos aumentava, com bônus de 10% por pessoa cooptada. Assim, o lucro crescia proporcionalmente à quantidade de aplicações feitas na cadeia, mas era tudo um golpe.

Segundo a polícia, uma das vítimas disse que aplicou quase R$ 200 mil sem retorno e, ao tentar resgatar os valores aplicados, foi ameaçada pelos “executivos” da falsa empresa. As apurações também revelaram que o esquema funcionava com divisão de tarefas e que contava com falsificadores de documentos. Além disso, as três empresas que vendiam o serviço, alvo da operação estão, em nomes de “laranjas”, cujo o patrimônio declarado não condiz com as movimentações financeiras.

A polícia descobriu, ainda, uma lista com cerca de 20 nomes falsos que eram utilizados pela quadrilha. As aplicações eram feitas pela internet por meio de uma plataforma digital, mas os depósitos eram feitos em contas correntes.

Negócio Lucrativo

Segundo apurou o site Metrópoles, o esquema é sofisticado e conta com alto apelo nas redes sociais, rádios e grandes emissoras de TV. Tudo foi pensado para convencer de que se trata de um negócio com credibilidade e segurança. Os clientes em potencial que entram em contato com a empresa são direcionados para uma palestra. As apresentações ocorrem três vezes por dia (10h, 15h30 e 20h), em uma das três salas da empresa, localizada em um shopping de Vicente Pires. Coachings treinados e bem vestidos, que também dizem ser financiadores, mostram um vídeo futurista e reforçam o quanto o investimento é rentável.

kriptacoin outdoor

Na apresentação do plano de compensação, eles oferecem aos potenciais clientes participação nos valores de R$ 1 mil, R$ 3 mil e R$ 21 mil, com 1% de ganho por dia, independentemente do crescimento da moeda. O maior foco é dado à indicação de novos “investidores”, que podem gerar ganhos de 10% do valor investido e um bônus de 30% da equipe menor. A atividade mostra que, apesar da Wall Street Corporate alegar, em algumas ocasiões, que não é empresa de marketing multinível, ela depende de indicação de novos afiliados e pagam em níveis, num sistema chamado de “binário’.

Alerta de Fraude

Em julho deste ano, o site Tenho Dívidas já estava alertando sobre uma possível fraude neste negócio…

Não seja o próximo  a cair na fraude WALL STREET CORPORATE / KRIPTOCOIN. Mais um golpe disfarçado de uma Criptomoeda que não existe e promete pagar 1% por dia…do nada. Papai Noel não existe. CUIDADO! A WALL STREET CORPORATE e a sua falsa criptomoeda KRIPTOCOIN são um ESQUEMA PONZI. Há muito que estão no nosso radar de fraudes, por isso hoje vamos falar neste golpe. Faz-nos lembrar a PIRÂMIDE PAYMONY. Você não é mais uma criança para acreditar nestas mentiras.

Segundo informações do site, o Fundador e Presidente é Weverton Viana Marinho (facebook.com/weverton.viana.503) e conta com a ajuda do seu irmão Welbert Richard Viana Marinho (facebook.com/richardmomkknnmm.richard.5). Ambos já tinham sido presos em 2011 em uma operação deflagrada pela Delegacia de Defraudações e Falsificações do Distrito Federal por falsificação de documentos e clonagem de cartões. De lá pra cá parece que o faturamento da dupla cresceu…

welbert richard

Algumas dicas para os iniciantes não caírem em golpes de moedas digitais:

  1. Não existe automineração ou pagar para minerar e receber 1% por dia. Isso são coisas de pirâmides.
  2. Todas as criptomoedas devem ter um propósito. O propósito do Bitcoin é facilitar os pagamentos. Do Ethereum é criar um servidor web potente, com a sua rede de mineradores. Do Litecoin é melhorar o código para suportar mais transações que o Bitcoin.
  3. Deve aparecer listada no site coinmarketcap.com. O site coinmarketcap.com tem uma lista com todas as criptomoedas. Se não aparece nessa lista, então não existe.
  4. Deve ser possível comprar e vender em vários exchanges. O Bitcoin, o Ethereum, o Litecoin e todas as criptomoedas verdadeiras podem ser compradas ou vendidas nos principais exchanges. Você não compra bitcoins, no site do bitcoin. Você compra em sites de exchanges.
suno research recomendação

18 comentários em “Kriptacoin: A Moeda Digital Mais Falada do Momento

  1. Alexandre Responder

    A manchete para este tópico deveria ser algo como Falsas moedas digitais (ou algo parecido). A forma como o tema foi abordado parece coisa de empresa de mídia de 5a. categoria… Falou-se muito das particularidades da citada “moeda” para só depois mostrá-la como”fake”. Entrem direto no assunto e depois expliquem como a quadrilha atuava; e não anunciando tal “moeda” para depois dizer que é falsa… Fizeram vários leitores perderem o seu precioso tempo…

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      A ideia do post foi mostrar como um campanha de marketing bem bolada pode atrair as pessoas para uma armadilha. Tudo que foi escrito no início do post foi retirado do site deles. Desta forma, quis mostrar que nem tudo que reluz é ouro. Se você perdeu seu precioso tempo, então meu alerta não funcionou com você, de qualquer forma servirá para que eu pense em outras abordagens em futuros posts. Obrigado pelo feed-back.

  2. kadu Responder

    Não entendi, então são duas moedas diferentes, ou era sobre a mesma moeda que você fala no início do post?
    Obrigado.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Boa tarde Kadu!

      É a mesma “moeda”, uma fraude.

  3. viverdedividendos Responder

    Olá Abacus

    Ainda sim o prejuízo das moedas digitais é infinitamente menor que as falsificações de moedas reais.

    Mas é aquele ditado que quando a esmola de mais até o santo desconfia.

    Nego que dar uma de esperto e ganhar fácil sempre se ferra tem hora que não dá nem vontade de sentir pena desses caras.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Casos como este serão frequentes daqui para frente, pessoal tem que ficar de olho vivo.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      1% a.m. é o santo graal dos investimentos, rs. Todo mundo procura, ninguém acha.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Opa BPM!

      Pessoas sempre cairão neste tipo de golpe, infelizmente. Cabe a nós alertar.

      Abraço!

  4. Senhor Ministro Responder

    Eu falo de boca cheia que esses 40 mil que embarcaram nessa são 40 mil otários e espero que o prejuízo que eles vão tomar agora sirva de lição. Bastava jogar “kriptacoin” no google antes de investir que há tempos há artigos e blogs apontando as fraudes desse esquema.

    Quanto aos golpistas, são reincidentes nesse tipo de golpe e certamente ainda praticarão outros. O que me deixa impressionado é que os caras conseguiram enganar 40 mil pessoas num esquema que existe apenas desde o final do ano passado, ou seja, os caras tem capacidade de tocar um negócio, são ótimos vendedores, tem faro empreendedor, mas infelizmente o utilizam para obter ganhos fáceis às custas de uma legião de retardados inocentes.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Realmente o negócio foi muito bem arquitetado. Só não entendo o que os levaram a pensar que sairiam impunes. Na medida que as denúncias fossem chegando é claro que a polícia ia investigar.

  5. ANDRE R AZEVEDO Responder

    Pois é Uó, eu vi essa notícia pela manhã. Sabe aquela sensação de que você não entende muito da coisa, e acha melhor não entender mesmo para não fazer besteira?…

    Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.