Perguntas mais comuns dos contribuintes que compram e vendem dólares: Como declarar dólar no imposto de renda? Declarar moeda estrangeira no imposto de renda. Preciso declarar compra de dólar no imposto de renda? Comprei dólar para viajar, preciso declarar no imposto de renda? Preciso declarar compra de moeda estrangeira? Como declarar compra de moeda estrangeira para viagem?

O dólar é a moeda oficial dos Estados Unidos da América, Equador, El Salvador e Panamá. As principais abreviações para a moeda são USD (código ISO 4217) e US$ (Fundo Monetário Internacional). Com cerca de, aproximadamente, 700 bilhões em circulação no ano de 2004, o dólar é amplamente usado como moeda de reserva em diversos países, como o Brasil, por exemplo. Sem dúvida, os “greenbacks”, como são chamados, possuem uma enorme importância na economia mundial.

O Dólar é considerado uma Moeda Estrangeira tal como o Euro. Pode ser adquirido em espécie (papel moeda), cheques, travellers cheques, VISA TRAVELMONEY, etc. A sua posse bem como o ganho de capital gerado com a sua venda devem ser declarados no imposto de renda 2017.

Como Declarar os Estoques de Moeda Estrangeira Mantida em Espécie?

O manual oficial do imposto de renda deixa claro: O estoque de cada moeda estrangeira mantida em espécie deve ser informado na ficha Bens e Direitos.

a) No campo Código, selecione a opção 64 – Dinheiro em espécie – moeda estrangeira.

b) no campo Discriminação, informe o estoque da moeda estrangeira mantida em espécie existente em 31/12/2017;

c) no campo Situação em 31/12/2016 (R$), repita o valor em reais do saldo de moeda estrangeira existente em 31/12/2016 (R$), informado na Declaração de Ajuste Anual do exercício de 2017, se for o caso;

d) no campo Situação em 31/12/2017 (R$), informe o valor em reais do saldo de moeda estrangeira existente em 31/12/2017, apurado com base no custo médio ponderado, e correspondente ao valor informado no campo “Situação em 31/12/2016 (R$)”, somado ao valor em reais de cada aquisição e diminuído do valor em reais de cada alienação efetuada no ano-calendário de 2017, observando-se que o custo da moeda adquirida é:

  • no caso de aquisição em reais, o valor pago;
  • no caso de aquisição em moeda estrangeira, a quantidade de moeda estrangeira convertida em dólares dos Estados Unidos da América, pelo valor fixado pela autoridade monetária do país emissor da moeda, para a data da aquisição e, em seguida, em reais pela cotação do dólar fixada, para venda, pelo Banco Central do Brasil, para a data da aquisição.

como declarar dolar

Como Declarar Venda de Moeda Estrangeira?

Caso o total de alienações de moeda estrangeira mantida em espécie, no ano-calendário de 2017, tenha sido superior a 5.000 dólares dos Estados Unidos da América, deve-se preencher o Demonstrativo da Apuração dos Ganhos de Capital – Alienação de Moeda Estrangeira Mantida em Espécie.

Cabe aqui nos definir o que vem a ser ganho de capital. De acordo com a Instrução Normativa SRF nº 84/2001, que dispõe sobre a apuração e tributação de ganhos de capital nas alienações de bens e direitos por pessoas físicas, considera-se ganho de capital a diferença positiva entre o valor de alienação de bens ou direitos e o respectivo custo de aquisição dos mesmos.

Dessa definição podemos extrair a seguinte equação matemática: Ganho de capital = Valor da alienação – Custo de aquisição. Sendo positivo o resultado, a operação sujeita ao ganho de capital deverá ser tributada pelo imposto de renda da pessoa física (IRPF), que será apurado através da utilização do programa denominado Ganho de Capital disponibilizado no sitio da Secretaria da Receita Federal.

Na ficha Moeda Estrangeira do programa de declaração do ajuste anual do Imposto de Renda, devem ser informados ganhos de capital decorrentes de vendas de bens, direitos, aplicações financeiras e moedas em espécie no exterior.



Se o contribuinte realizou operações como essas no ano passado, o imposto de renda deveria ter sido recolhido mensalmente, ao longo de 2017, por meio do preenchimento do programa Ganhos de Capital Moeda Estrangeira 2017 (GCME2017).

Observação: A partir de 2018, o programa GCME foi substituído pelo programa GCAP para apuração do imposto de renda devido.

Caso o GCME tenha sido devidamente preenchido, para declarar as operações, basta abrir a ficha Moeda Estrangeira e clicar em Importar, no canto inferior direito da tela. Assim, o programa auxiliar é incorporado à declaração e as informações são imputadas automaticamente no programa gerador do IR.

Repare que existem três fichas: Bens, Direitos ou Aplic. Financeiras, Espécie e Importação GCME 2017. Caso seja necessário declarar ganhos com dinheiro em espécie, como no caso de uma operação de venda de dólares que gerou lucro, selecione a ficha “Espécie”. Caso o ganho tenha sido registrado na venda de bens, como imóveis, ou com investimentos, selecione a ficha “Bens, Direitos ou Aplic. Financeiras”. A terceira ficha já permite importar diretamente o GCME 2017.

como declarar venda de dolar

Qual é o Tratamento Tributário da Alienação de Moeda Estrangeira Mantida em Espécie?

O manual oficial do imposto de renda deixa claro: Os ganhos em reais obtidos na alienação de moeda estrangeira mantida em espécie estão sujeitos à tributação definitiva, à alíquota de 15%, sob a forma de ganho de capital:

1 – o ganho de capital correspondente a cada alienação é a diferença positiva, em reais, entre o valor de alienação e o respectivo custo de aquisição;

2 – o valor de alienação, quando expresso em moeda estrangeira, é convertido em dólares dos Estados Unidos da América, na data da alienação, e, em seguida, em reais, pela cotação média mensal do dólar, para compra, divulgada pela Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB);

3 – a conversão de moeda estrangeira para dólares dos Estados Unidos da América é feita pelo valor fixado pela autoridade monetária do país emissor da moeda, para a data do pagamento, na aquisição, e para a data do recebimento, na alienação, liquidação ou resgate;

4 – o custo de aquisição de moeda estrangeira em poder do contribuinte em 31/12/1999 é o resultado da multiplicação da quantidade em estoque pela cotação fixada, para venda, pelo Banco Central do Brasil, para esta data;

5 – para moeda estrangeira adquirida a partir de 01/01/2000, a cada aquisição, o custo em reais é o resultado da multiplicação da quantidade de moeda estrangeira adquirida, convertida em dólares dos Estados Unidos da América, na data da aquisição, pela cotação média mensal do dólar, para venda, divulgada pela Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB);

6 – quando da alienação, o custo de aquisição da quantidade de moeda estrangeira alienada é o resultado da multiplicação do custo médio ponderado do estoque existente na data de cada alienação pela quantidade alienada;

7 – o custo médio ponderado do estoque é o resultado da divisão do valor total das aquisições em reais pela quantidade de moeda estrangeira existente;

8 – a cada aquisição ou alienação, são ajustados os saldos em reais e a quantidade de moeda estrangeira remanescente, para efeito de cálculos posteriores do custo médio ponderado;

9 – o ganho de capital total é a soma dos ganhos apurados em cada alienação;

10 – o imposto incide sobre o ganho de capital total e é apurado anualmente à alíquota de 15%, devendo ser informado na Declaração de Ajuste Anual e recolhido, em quota única, até a data prevista para a entrega da declaração.



Atenção:

A isenção dos ganhos de capital decorrentes da alienação de bens de pequeno valor (alienação de bens de mesma natureza cujo conjunto das operações resulta em valor igual ou inferior a R$ 35.000,00) não se aplica à alienação de moeda estrangeira mantida em espécie. Não incide o imposto de renda sobre o ganho de capital auferido na alienação de moeda estrangeira mantida em espécie, cujo total de alienações seja igual ou inferior ao equivalente a cinco mil dólares.

O dispêndio, a qualquer título, de moeda estrangeira, em espécie ou representada por cheques de viagem, inclusive para o pagamento de despesas de viagem ao exterior, é considerado como alienação, e sujeita-se à apuração de ganho de capital.

O ingresso no Brasil e a saída do Brasil, de reais e moeda estrangeira, são processados exclusivamente através de transferência bancária, cabendo ao estabelecimento bancário a perfeita identificação do cliente ou do beneficiário, à exceção do porte, em espécie, dos valores:

a) quando em reais, até R$ 10.000,00;

b) quando em moeda estrangeira, o equivalente a R$ 10.000,00;

c) quando comprovada a sua entrada no Brasil ou sua saída do Brasil, na forma prevista na regulamentação pertinente.

O Imposto de Renda incidente sobre o ganho de capital decorrente da alienação de bens e direitos e da liquidação ou resgate de aplicações financeiras, adquiridos em moeda estrangeira, e da alienação de moeda estrangeira mantida em espécie, de propriedade da pessoa física, deverá ser pago utilizando os seguintes códigos no campo 04 do Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF):

  • 8523 – IRPF – Ganho de capital na alienação de bens e direitos e nas liquidações e resgates de aplicações financeiras, adquiridas em moeda estrangeira;
  • 8960 – IRPF – Ganho de capital na alienação de moeda estrangeira mantida em espécie.

54 comentários em “Como Declarar Dólar?

  1. Ana Responder

    Olá, estou morando na França mas pretendo vender um valor de cerca de 30.000 reais por ano em euros e pedir que depositem na minha conta no Brasil para que eu possa investir atraves de corretora. Tenho que declarar esse valor? (Imagino que no sentido eu estaria recebendo como doaçao)

    Desde ja agradeco a ajuda.

  2. Pingback: Imposto de Renda 2018 Restituição Calendário e Cronograma

  3. Gustavo Responder

    Boa tarde, voltei da argentina com 20000 dólares (recebi da minha mãe como doação) como faço a declaração desse dinheiro.
    Obrigado.

  4. Polly Responder

    Olá,
    fiz uma remessa em Dolares 1874,79 (R$6448,94) via Wester Union em nome de amigo com o objetivo de ser sacado e utilizado por mim para turismo
    Devo declarar esta transação no IRPF 2018? Caso afirmativo, como eu devo fazer?

    Grato.

  5. Douglas Responder

    Boa noite,

    Tenho 90 mil dolares num banco adquiridos em 2015. Na Declara de Bens e Direto os campos “situação em 31/12/2016” e “Situação em 31/12/2017” deve ter o valor de 90 mi convertido para reais ao preço de compra da moeda na epoca? Ou no valor da cotação em 31/12/2016 e 31/12/2017 respectivamente?

    Grato

  6. Jose Responder

    Por favor me ajuda
    Tenho um dinheiro no paypal no valor de $ 336,46 USD e € 1.251,76 EUR
    paypal seria igual mercado pago e pago seguro seria tipo banco virtual onde as pessoas me pagava quando realizava um serviço, esse saldo deixei des de 2011 ate 2014 guardado

    Estou retirando esse dinheiro aos poucos agora por mes transfiro o dolor para real no valor de 1800 do paypal par minha conta poupança, sendo que hoje tbm trabalho numa empresa q ganho 2500 por mes
    a duvida é tenho que declarar o imposto de renda desses valores em dolares do paypal ao retirar da conta bancaria?
    pois n seria justo pagar um imposto na epoca que tinha 2011 a 2014 nessa epoca n tinha uma renda que supera-se o valor pra pagar o IR apenas deixei acumulando o $ no paypal

  7. silvia cassini Responder

    Boa tarde. Como encontro a cotação do doar e do euro do banco Central valendo no dia 31 de Dezembro. Tem tanta cotacao wue me perco…. vcs napm poderiam publicar aqui o valor exato? Obrigada!

  8. Hugo Responder

    Boa tarde,
    Em 2017, devido a uma viagem para o exterior, fiz a compra de dólares americanos que excederam os R$10mil, com isso precisei declarar esse valor antes da viagem.
    Em 31/12/2017 já não possuia estoque de dólares, mas devido a declaração de viagem para a Receita, preciso declarar alguma coisa no IRPF 2018?

  9. Francesco Mazzarone Responder

    Boa noite.
    Por favor gostaria de um esclarecimento. Em anos anteriores fiz algumas viagens ao exterior e comprei alguns dolares com amigos, sendo que sobraram alguns (+/- 2.500,00) que guardei para viagens futuras. Caso quisesse troca-los em casas de cambio como fazer a declaração desta venda visto que nunca os declarei? e caso decidir para continuar com eles?
    Agradeço o retorno.
    Atenciosamente
    Francesco

  10. Luiz H. Marques Responder

    Olá,
    fiz uma remessa em Libras Esterlinas 363,83 (R$1.500,00) via Transferwise para a conta de um amigo com o objetivo de ser sacado e utilizado para Turismo pela minha filha.
    Devo declarar esta transação no IRPF 2018? Caso afirmativo, como eu devo fazer?

    Grato.

  11. Pingback: Restituição IR 2018: Calendário de Restituição 2018 - Cronograma

  12. Eliana Responder

    Olá! Boa tarde!
    No ano passado comprei 1500,00 euros em espécie e 1500 euros em cartão pré pago para uma viagem a Italia.
    Na volta, vendi o saldo restante do cartão 1261,03 euros e 1120 euros em espécie. A venda ocorreu na mesma casa de câmbio e o valor da venda foi menor que o valor da compra.
    Preciso declarar a compra e a venda?
    Obs.: sempre faço a declaração simplificada.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Olá Eliana,
      Não precisa pois não ocorreu lucro na venda.

  13. WILLIAM Responder

    Eu fiz a compra de dólar canadense no ano passado e realizei a viagem pro Canadá, eu devo declarar essas compras de moeda que realizei no Brasil?
    se sim, como deve ser feita?

  14. Daniel Responder

    Oi

    Obrigado pelo artigo. Ainda estou com umas duvidas:

    1) uma vez apurado o Ganho de Capital em Moeda estrangeira em Espécie, e pago o DARF correspondente com código 8960, onde e como se declara o pagamento deste DARF na declaração de IR ? Sei que ela seria na declaração do ano subsequente, visto que o fato gerador (pagamento do DARF) ocorre ate o 30/04 do ano subsequente, mas em que campo devemos declarar este pagamento do DARF ?

    2) Notei que se no programa de GCME declaramos apenas a compra de dólares (por exemplo) esta informação não eh importada pelo programa de declaração de IR. Isto esta assim mesmo? Somente eh importado quando se produz alguma venda e com isto fica caracterizado um possível ganho de capital?

    3) O programa de GCME de 2018 não existe mais, agora foi todo unificado no programa GC2018. O novo programa GC2018 esta exigindo sempre um ADQUIRINTE (com CPF/CNPJ), e no caso de uma Liquidação ou Resgate de Aplicação Financeira este dado ADQUIRINTE não existe ! Nos programas GCME anteriores não era exigido nestes casos de Liq/Resgate Aplic Finac, mas no GC2018 eh obrigatorio ! Eh um erro do programa GC2018 ?

    Obrigado, Daniel

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Olá Daniel!

      1 – Até onde sei não se declara o imposto pago. Se você importou os dados do GCME, termina aí o procedimento.

      2 – Correto. Entendo que deve-se usar o programa apenas para apurar rendimentos com vendas. Se você apenas comprou e não vendeu, basta lançar o estoque diretamente na ficha de bens e direitos do programa de ajuste anual.

      3 – Confirma para mim se este campo é obrigatório. Se não for acredito que pode ficar em branco.

      • Daniel

        Oi, obrigado pelas respostas,

        3 – de fato o campo eh obrigatório, isto eh, mesmo colocando que eh moeda estrangeira e do tipo “Liquidação ou Resgate de Aplicação Financeira”, continua exigindo preencher o campo Adquirinte. Ao rodar a verificação o programa fala que eh um erro que IMPEDE a exportação para o IRPF 2019 1

      • Daniel

        OK, vou entrar em contato com a receita e assim que tiver resposta te informo.

        Obrigado

      • Daniel

        Bom, após vários e-mails com informações vagas, tive uma resposta:

        “Informamos que não é obrigatória a informação de CPF/CNPJ do adquirente
        para os casos de alienações no exterior, inclusive “Liquidação ou Resgate
        de Aplicação Financeira”.
        Nesse caso basta informar o nome da operadora.”

        Acredito eu que no caso de rendimentos de títulos de divida no exterior, no campo do adquirente deva colocar apenas o nome da Operadora, por exemplo, Citibank International, e não o nome da empresa que emitiu os títulos, caso Petrobras, Vale etc … Vc entende também desta forma?

  15. Leandro Responder

    Boa tarde. Ano passado fomos para os Estados unidos e trocamos dólar, para a nossa viagem, foi mais ou menos 3.000 dólares. E voltamos com 500 dólares e trocamos por reias. Gostaria de saber se preciso declarar no meu imposto de renda. Fico no aguardo. Obrigado.

  16. Fernando Responder

    Olá,

    Morei fora do Brasil por 1 ano e recebi bolsa de estudos em Euros. Trouxe o que sobrou em espécie para o Brasil e vendi junto a uma empresa de câmbio.

    Por ser uma bolsa de estudos, devo pagar ganho de capital? Normalmente bolsas de estudo não são taxadas de imposto de renda. Se tiver que declarar ganho de capital, como devo fazer o cálculo, uma vez que não houve valor de compra?

    obrigado

  17. Artur Responder

    Boa tarde, recebo cheques de royalties de venda de livros em dólares. Em 2017 o valor total não chegou a mil dólares. Eu vendo esses cheques para uma casa de câmbio e o recibo vem sempre como “venda de moeda estrangeira”. Devo declarar esse valor? E no caso, devo colocar como “Bens, Direitos ou Aplic. Financeiras” no GCME?

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Olá Artur!

      Rendimentos provenientes de fontes pagadoras situadas no exterior estão sujeitos à incidência mensal do imposto de renda, na modalidade “carnê-leão”, que consiste em recolher, obrigatoriamente, até o último dia útil do mês seguinte ao do recebimento, o valor do imposto devido calculado mediante aplicação da tabela progressiva mensal do imposto. Para cálculo do valor, os valores recebidos em dólar deverão ser convertidos em reais mediante utilização da taxa do dólar fixada para compra pelo Banco Central do Brasil para o último dia útil da primeira quinzena do mês anterior ao do recebimento do rendimento.

      Contudo, o valor que você recebeu está abaixo do limite em que já ocorre tributação de acordo com a tabela progressiva. Mesmo assim você deve declarar o valor recebido na ficha “Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Física e do Exterior”, informando os valores mês a mês.

  18. Bruno Kenji Responder

    Bom dia,

    No ano de 2017 realizei compras de espécie que superaram os R$ 10000,00 estipulados.
    Porém muitos desses valores foram para compra para outras pessoas, como pai e amigos, onde eles transferiam os valores e eu realizava apenas o intermédio da compra.
    Como eu faço a declaração que eu não tive nenhum ganho com a compra e a venda dessa moeda estrangeira?

    Obrigado.

    Bruno Kenji

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Boa noite Kenji!

      Se os valores entraram em saíram da sua conta ao longo do ano sem nenhum ganho de capital e em 31/12/2017 você não tinha nenhum valor relativo a estas compras então não vejo porque se preocupar.

      Abraço!

  19. Cristiano Responder

    Boa Tarde
    Gostaria de algumas orientações referentes ao preenchimento GCME (ganho de capital em moeda estrangeira).
    Atualmente tenho um investimento em Forex, e quero declarar e pagar o imposto com relação aos ganhos. Gostaria de sanar algumas duvidas, conforme abaixo.
    1- Li algumas matérias onde menciona uma isenção de imposto de até 35.000,00. Caso seja correto, eu incluo esse valor no programa de GCME, na aba apuração, campo “Valor da Redução Lei 11.196/2005(R$)”; ou apenas abato esse valor do montante sem informar em nenhum lugar.
    Ex: Saquei 100.000,00, abato 35.0000 e pago o imposto sobre 75.000?

    2-Duvida de qual valor base deve ser pago o imposto.
    Ex: Investi 25000,00 e 6 meses depois já consegui 50000,00. Ao sacar o valor total eu devo utilizar o montante de 50000 como base e abater 35000 de redução, pagando imposto sobre 15000, ou, 25000,00 seria o valor que eu investi, com isso não seria meu lucro. Lucro de 25000 deve ser a base, o mesmo encontra-se dentro do valor de redução, com isso não teria valor de imposto a pagar?

    3-O saques que no mês não atingirem o valor de 35000,00 devem ser declarados como “rendimentos os isentos e não tributáveis”? Não preciso informa nada no GCME nesta situação?
    Obrigado

  20. Stephanie Responder

    Olá! Fiz umas compras de dólar para mim e para outra pessoa, sempre em meu CPF. Iremos viajar apenas ano que vem. Eu preciso declarar essa quantia? Mesmo a maior parte do dinheiro não sendo meu?

  21. welligton carlos da silva ribeiro Responder

    Olá! Eu opero o mercado Forex com moeda predominante da minha conta nacorretora em dólar americano, ( digamos que o valor investido em dólar é R$300 valor a creditado na corretora em USD é US$90, e fecho o mês com US$120.
    Neste caso teria que pagar imposto de renda?
    A partir de quanto que eu passo pagar imposto de rendo?

  22. Douglas Lodi Responder

    Boa noite

    Tenho valores em espécie em moeda estrangeira. Como informo em bens e direitos.. vou colocar o valor efetivo em reais onde adquiri na data certo ?
    E quanto a cotação ? Se eu virar o ano e permanecer com esse dinheiro em espécie, copio o valor que foi lançado na data da compra ou coto o dólar em 31/12 para colocar o que realmente está valendo.

    Grato

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Olá Douglas!
      Declare o valor de custo, não precisa atualizar pela cotação na virada do ano.
      Abraço!

  23. FERNANDO Responder

    Boa Tarde.

    Boa Tarde. Por favor, uma dúvida:

    Supondo que eu:

    a) compre 8,000 USD, hoje a 3,25 BRL/USD, para viagem ao exterior;
    b) entregue a Declaração de Saída EDBV na alfândega (exigência da Receita Federal) na saída;
    c) gaste tudo em despesas na viagem ao exterior. Dúvida: Haveria ganho de capital neste caso (pelos dispêndios no exterior) ? Se positivo, que cotação de USD deveria ser utilizada para cálculo do ganho de capital ?

    Muito Obrigado pela atenção

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Boa tarde Fernando!

      Caracteriza o ganho de capital só se você vender os dólares com lucro. Mas caso tenha adquirido um bem, dependendo do valor você deverá declarar no imposto de renda.

      Abraço!

  24. Robson Responder

    Olá meus caros, comprei 1000 euros em 2015 em um cartão pré pago, fiz a declaração de bens no irpf2015 e tudo certo. Em 2016 adquiri mais 2000 euros em outro cartão onde também foi declarado no irpf2016. Mas essa semana fiquei sabendo que a corretora que comprei os 1000 euros em 2015 fechou pois foi descredenciada, então pedi para o banco r
    Responsável pelo meu cartão pré pago me enviar os 1000 euros de volta em minha conta poupança. Minha dúvida é, no irpf2017 eu posso apenas declarar que tenho apenas 2000 euros como bens em moeda estrangeira ou preciso colocar alguma informação que esse dinheiro voltou? Será que serei tributado ? Pois o valor que recebi por agora foi maior do que quando comprei em 2015.

    Obrigado desde já.
    Abraço.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Bom dia Robson!

      No caso de aquisição de Euro, você deve converter a quantidade convertida em dólares dos Estados Unidos da América, pelo valor fixado pela autoridade monetária do país emissor da moeda, para a data da aquisição e, em seguida, em reais pela cotação do dólar fixada, para venda, pelo Banco Central do Brasil, para a data da aquisição. Caso o total de alienações de moeda estrangeira mantida em espécie tenha sido superior ao equivalente a US$ 5 mil dos Estados Unidos da América, preencha o Demonstrativo da Apuração dos Ganhos de Capital Alienação de Moeda Estrangeira Mantida em Espécie e apure o imposto.

      Não se esqueça de declarar o saldo resultante na poupança.

      Abraço!

      • Robson

        Boa tarde meus caros!

        Obrigado pela resposta. No caso como o banco me devolveu os 1000 euros que comprei (R$3500 +ou-) não existe essa necessidade do preenchimento do Demonstrativo da Apuração dos Ganhos de Capital Alienação correto?

        Minha maior preocupação é que trabalho mensalmente com carnê leão, recebendo valores de Pessoa física e declarando no mesmo, este valor entraria como ganhos? Lembrando que já foi declarado como bens em moeda estrangeira no irpf2015. Isso que fico preocupado, pois como é de minha posse, eles acharem que pelo fato do banco rendimento ter me devolvido os euros comprados em 2015, eles quererem cobrar tributos ou eu ser obrigado a colocar no carne leão este valor.

        O medo com o leão é grande kkk, poderiam me ajudar me tirando mais essa dúvida?
        Obrigado pelo suporte,
        Grande Abraço!

      • Ábaco Líquido Autor do post

        Robson,

        Como o valor vendido não foi superior a 5.000 dólares dos Estados Unidos da América, então você não precisa preencher o Demonstrativo da Apuração dos Ganhos de Capital – Alienação de Moeda Estrangeira Mantida em Espécie. Não vejo muita possibilidade da Receita entender que esta devolução seja um rendimento recebido, mesmo porque é um valor baixo.

        Abraço!

  25. José Petri Responder

    Em 2016 ganhei 207,96 Dolares em pequenos serviços pelo Paypal. Fora isso, sobrou de uma viagem 1540,00 Euros. Não é necessário declarar esses valores correto?
    A partir de qual valor devo declarar?

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Bom dia Petri!

      O valor em Dólar recebido pelo Paypal é muito baixo e não precisa ser declarado como bens, mas de qualquer forma a Receita obriga o contribuinte a declarar qualquer tipo de renda, isenta ou não.

      Sobre o valor mínimo para declarar moeda estrangeira não encontrei esta informação mas a Receita dispensa da obrigação de preenchimento na declaração os bens móveis, exceto veículos automotores, embarcações e aeronaves, bem como os direitos, cujo valor unitário de aquisição seja inferior a R$ 5.000. De qualquer forma eu declararia o valor dos Euros.

      Abraço!

  26. Renato Responder

    Olá, morei um tempo fora do Brasil e recebia valores de ajuda de custo dá empresa que trabalho ( a empresa declarava e pagava impacto nas remessas).Quando voltei trouxe o total acumulado em espécie e traveler checks, tendo declarado a entrada na receita federal. Não vendi nada do valor no Brasil, apenas o mantendo para pagamento de viagens no exterior. Como faço pra declarar o imposto de renda no caso que tinha declarado no campo bens e direitos o valor total que tenho é ano passado gastei parte do dinheiro em uma viagem para os USA. Como o lançamento deve ser em reais subtraio o valor equivalente gasto na viagem utilizando como referência o valor do dólar de quando declarei ou o equivalente dá viagem que fiz agora?

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Boa noite Renato!

      Sua pergunta ficou muito confusa, pode reformular?

  27. Susi Responder

    ola…

    Tenho dinheiro em especia na mão para viagens,… como devo declarar um valor de 15.000 pesos argentinos que tenho?

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Boa noite Susi!

      No caso de aquisição de qualquer moeda estrangeira, a quantidade deve ser convertida em dólares dos Estados Unidos da América, pelo valor fixado pela autoridade monetária do país emissor da moeda (Argentina), para a data da aquisição e, em seguida, em reais pela cotação do dólar fixada, para venda, pelo Banco Central do Brasil, para a mesma data da aquisição.

      Não deixe de assinar o site Abacus Liquid para ficar informado sobre as últimas novidades.
      http://abacusliquid.com/blog/assine

      Abraço!

  28. Ricardo Responder

    Olá, bom dia, amigo

    Tenho uma conta no exterior (EUA) e no ano passado eu fiz saques via cartão de débito e também paguei a fatura do meu cartão de crédito (ambos vinculados a esta conta do exterior, portanto foram operações baseadas nos EUA).

    Gostaria de saber se estes saques estão sujeitos ao cálculo de ganho de capital? (sou brasileiro, residente no Brasil)

    E estes saques estão sujeitos à isenção se ficarem abaixo de R$ 35.000 por mês, ou este limite vale só para alienação de ações no exterior?

    Agradeço seu retorno.

    Atenciosamente,
    Ricardo

  29. Pingback: Imposto de Renda pela Primeira Vez em 2017: Como Declarar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.