Você já Testou suas Carteiras de Investimento?!

Prometo que este é o último post da série “raiz-nutella”. Este assunto já rendeu o suficiente. Mas como a brincadeira ainda está dando IBOPE – ontem o site obteve 16.000 visualizações – vou explorar um pouco mais o tema, mas agora de maneira séria. Vamos estudar um pouco de finanças pois afinal este não é um site de humor e sim de investimentos.

Já tem muito tempo que não posto aqui minhas carteiras de investimento com suas alocações e rentabilidades. Ninguém pergunta então não divulgo, rs, mas hoje irei dar um panorama geral de como estou investindo. Com o devido alerta de que tirem as crianças da sala, “não façam o que eu faço”.

Investimento Raiz vs Investimento Nutella

Antes de entrarmos nas minhas carteiras de investimento propriamente ditas, vamos analisar o que é um investimento em ações raiz e ações nutella.

investimento raiz investimento nutella

Estes assuntos já foram abordados recentemente nos posts Vacas Leiteiras e Viver de Dividendos mas não custa repetir:

Boa geração de caixa: A geração de caixa de uma empresa pode ter várias origens, a começar pela mais natural e esperada, que se dá através da sua atividade principal, vendendo produtos e gerando receitas. Além disso, é possível gerar caixa via operações não recorrentes, como venda de ativos, aumento de capital via subscrição de novas ações, recebimento de dividendos de empresas nas quais possui participações, dentre outras possibilidades. Empresas boas pagadoras de dividendos devem possuir uma forte geração de receita recorrente através da venda dos seus produtos e serviços, em outras palavras, devem possuir altos lucros.

Baixo endividamento: Via de regra, as empresas se endividam (tomam crédito no mercado) para poderem executar projetos de expansão. Porém, o pagamento dos juros da dívida e não deve comprometer os lucros e a empresa deve ter capacidade para honrar suas dívidas de longo prazo com os lucros futuros. A alavancagem da empresa deve ser saudável e compatível com seu patrimônio e geração de caixa.

Margens de lucros elevadas: Em contabilidade de empresas, o termo “margem” exprime a relação entre o lucro e a receita obtidos pela empresa em um dado período. O indicador mais comum é a margem líquida que representa o lucro líquido que a empresa obtém para cada real em receita líquida. Essa margem ilustra a quantidade de dinheiro que a empresa lucra a cada real de receita obtido depois de pagar todas as suas despesas e impostos. Numa análise simplória, quanto maior a margem de lucro da empresa mais seguro e rentável é o negócio.

Boa previsibilidade de fluxos de caixa: Aqui estamos falando de uma “quase certeza” de que os produtos e serviços da empresa continuarão serem vendidos no mercado sem sobressaltos. Faça chuva ou faça sol, os lucros continuaram consistentes e até crescentes. Isto pode ser alcançado, por exemplo, por empresas localizadas em setores não cíclicos como o de transmissão de energia elétrica.

Barreiras de entrada no negócio: Sabemos que no mercado a concorrência é feroz. Não basta ter um bom produto ou prestar um bom serviço, se surgir uma outra empresa com o mesmo nível de qualidade e oferecendo produtos com preços mais atrativos já é suficiente para ocorrer quedas nas vendas e no faturamento. Portanto, para não haver grandes ameaças aos lucros futuros, a escolha de empresas que atuam em mercados onde há barreiras de entrada é um fator a ser considerado na análise. Como exemplo, podemos citar as empresas que são verdadeiros oligopólios como a própria BM&F BOVESPA.

Lucros crescentes ano a ano: Invista em empresas que tenham histórico de crescimento sólido. Se uma empresa tem mantido uma elevada taxa de crescimento por vários anos, é provável que continue a fazê-lo. Quanto mais a empresa cresce, mais rentável para o investidor ela se torna.



Boa governança: Existem alguns princípios básicos que são considerados essenciais para um bom sistema de governança: 1.Transparência: A boa comunicação interna e externa gera o clima de confiança essencial para a criação de valor. 2. Equidade: Tratar de forma justa e igual todas as partes interessadas, sobretudo grupos minoritários como colaboradores, clientes, fornecedores, investidores. 3. Prestação de Contas: Os administradores e outros agentes da governança devem prestar contas de sua atuação a quem os elegeu e devem responder integralmente por todos os atos e fatos sob sua responsabilidade. 4. Conformidade: A organização deve respeitar integralmente as leis, normas e regulamentações aplicáveis aos seus negócios. 5. Responsabilidade Corporativa: Os negócios devem ser conduzidos com o objetivo de perenizar a organização.

Pouca interferência do governo: Vivemos em um país onde a troca de favor foi institucionalizada. Grandes empresários, para terem seus negócios viabilizados, implementam sofisticados mecanismos de pagamento de propinas a governantes, tanto na esfera estadual quanto federal. Contudo, estamos vivenciando um novo momento na história deste país (quero acreditar), em que tais esquemas de corrupção estão ruindo. Quando isto ocorre, as empresas envolvidas sofrem bastante. Há também os casos em que o governo tem interferência direta na gestão da empresa, caso do Banco do Brasil e da Petobras por exemplo. Sem falar das empresas que tomaram grandes empréstimos do BNDES nos últimos anos e de uma forma indireta podem sofrer alguma interferência governamental. Em última instância temos os fundos de pensão ligados ao governo que possuem grandes participações em empresas de capital aberto. Enfim, há várias formas do Estado colocar a mão invisível no setor privado, fique atento.

Minhas Carteiras de Investimento

Carteira de Investimento em FIIs

Hoje invisto basicamente em duas categorias de ativos: ações e FIIs. Vamos começar pela carteira de FIIs que é mais fácil de ser compreendida:

carteira de fiis

Tenho comprado poucos FIIs nos últimos meses, esta carteira foi montada praticamente em 2014 e 2015. Confesso que não é uma carteira que me agrada, já vi melhores por aí. Tem poucos FIIs resilientes como os de agências e tem alta concentração em FIIs de papel. Como foi uma carteira que montada na medida em que meus estudos foram evoluindo acabou que a mesma ficou meio “disforme”. Contudo, como não vendo FIIs e como os grandes aportes estão paralisados por hora, esta alocação não deverá mudar tão cedo.

Carteira de Investimento em Ações

Aqui a coisa é um pouco mais complicada, rs. Estou posicionado em muitos papéis, quem me acompanha desde o antigo blog d’Uó sabe sou um “colecionador” de ações, Ok, não me orgulho disto, se tivesse conhecimentos sólidos de mercado teria no máximo 10 ações em carteira. Mas enfim, a diversificação é a maior arma contra a ignorância.

Ações Raiz – Investimento de Longo Prazo

Esta é a minha carteira atual de ações para investimento no longo prazo – o famoso buy-and-hold. São 34 ações no total. Dá para escolher umas 10 desta lista e dormir tranquilo. Se você sabe fazer stock picking fique à vontade. Eu não sei, tenho uma vaga noção, rs.

carteira de acoes raiz

Ações Nutella – Especulação

Confesso que sou um especulador nato, também não me orgulho disto. Acompanho outras carteiras de ações da finansfera e já vi rentabilidades melhores que as minhas, de pequenos investidores que não praticam trades. Porém, é algo que está no sangue, sabe? Mas não aconselho, trade não compensa, fique longe.

carteira de acoes nutella

Ações Hedge

Este termo “ações hedge” é pouco ortodoxo. A ideia é investir em ações de empresas que tenham grande parte da receita influenciada pelo câmbio, isto é, pela cotação do dólar. Funciona como um hedge indireto: em caso de alta do dólar uma parte da sua carteira é afetada positivamente o que ameniza a queda geral da carteira.

carteira de acoes hedge

Não consigo avaliar a eficiência deste hedge indireto. Tem pouco tempo que me posicionei nestes papéis. Porém, nesta semana que passou iniciei um hedge mais efetivo, vendendo 3 mini-contratos de índice e comprando 1 mini-contrato de dólar. Tenho uma sensação de que me precipitei nestas operações, estou ligeiramente desconfortável quando escrevo este artigo pois o mercado está muito forte em função das expectativas de queda de juros. De qualquer forma, se o índice continuar subindo, mesmo com estes três contratos posicionados na venda, ainda terei valorização da carteira pois o valor alocado nas ações é bem maior, mas no cálculo geral da rentabilidade ficarei bem atrás do IBOV.

Raio-X das Carteiras de Investimento

Irei apresentar agora o raio-x dos meus investimentos através apresentando as rentabilidades, proventos e alocação de ativos.

Rentabilidades dos Investimentos

Calcular a rentabilidade é algo fundamental para determinar se você fez um bom investimento. É comum compararmos as rentabilidades de diversas opções de investimento antes de investir. Mas depois de realizado o investimento você calcula e acompanha a rentabilidade do mesmo?

Muitos investidores não dão a devida importância à rentabilidade dos seus investimentos. Em alguns casos, o banco, a corretora, ou o gestor do fundo apresentam estes dados já calculados. No entanto, nos casos em que o cálculo fica por conta do investidor, poucos se dão ao trabalho de calcular sua própria rentabilidade e o investidor fica limitado a saber quanto dinheiro a mais (ou a menos) o investimento gerou.

Como demonstra o colega blogueiro Além da Poupança, a fórmula correta de calcular o rendimento de investimentos é a mesma fórmula matemática utilizada para calcular qualquer variação percentual de qualquer coisa:

Variação (%) = ((situação nova – situação antiga) / situação antiga) * 100

Porém, para empregar esta fórmula no cálculo de rendimentos deve-se levar em consideração três fatores:

1 – O aporte não poderá impactar, em um primeiro momento, o rendimento da carteira;

2 – O momento em que o aporte foi realizado deverá ser considerado pois impactará positiva e negativamente nos rendimentos no tempo;

3 – O valor do aporte deverá ser considerado no cálculo do rendimento.

Como o colega AdP demonstra no post citado, para a perfeita adequação destas considerações, foi criada uma forma diferente de se ver a carteira de investimentos. Os investimentos são vistos além dos seus valores em reais, eles são “cotabilizados” como demonstrado no exemplo a abaixo:

Suponha que o investidor possua R$1.000,00 investidos. Para cotabilizar o investimento vamos assumir que a carteira é constituída por 1000 cotas, cada uma valendo R$1,00. Em um segundo momento, o investidor verifica que sua carteira agora vale R$1.008,20. Cada cota está valendo então R$1,0082 (R$1.008,20 / 1.000). Calculando o rendimento:

Variação = ((R$1,0082 – R$1,00) / R$1,00) * 100 = 0,82%

Ao realizar um novo aporte, devemos considerar que o investidor está “comprando” novas cotas no novo valor. Supondo que o investidor aporte novos R$1.000,00, desta forma ele estará comprando 991,866 cotas (R$1.000,00 dividido por R$1,0082). Observem que agora o investidor possui 1991,866 cotas, cada uma valendo R$1,0082, o que totaliza uma carteira de R$2008,20. Como o valor da cota não foi alterado com o aporte, não há qualquer rendimento neste momento.

Em outra data, o investidor percebe que sua carteira agora vale R$2.019,78. Como ele tem 1991,866 cotas, cada uma delas agora valerá R$1,014 (R$2.019,78 / 1991,866). Calculando o rendimento:

Variação = (R$1,014 – R$1,0082) / R$1,0082 = 0,0057 = 0,57%

Para facilitar a vida de nós investidores, o AdP criou uma planilha que realiza estes cálculos automaticamente e que pode ser baixada neste link. Estou utilizando esta planilha para acompanhar a rentabilidade dos meus investimentos como mostrado nas figuras abaixo. Tenho basicamente três controles: um geral que leva em consideração todo o meu patrimônio, uma para ações e outro para FIIs.

rentabilidades investimentos

Abaixo é apresentada a rentabilidade da carteira de FIIs. Em 2016 conseguimos ficar acima do IFIX. A rentabilidade da carteira de FIIs foi de 34,8% no ano enquanto a rentabilidade do IFIX foi de 32,33%.

rentabilidade fiis

Abaixo é apresentada a rentabilidade da carteira de ações. Em 2016 não conseguimos ficar acima do IBOV. A rentabilidade da carteira de ações foi de 18,63% no ano enquanto a rentabilidade do IBOV foi de 38,94%.

rentabilidade acoes

O AdP disponibiliza também uma outra planilha para acompanhamento gráfico de patrimônio e comparativo de rentabilidades. Veja neste post o funcionamento desta planilha. O gráfico abaixo é plotado com a utilização da mesma. Notem que no fechamento do mês de janeiro a rentabilidade geral ficou acima da poupança mas muito aquém do CDI. Ô vida sofrida.

rentabilidades

Dividend Yield dos Investimentos

Dividend Yield, abreviadamente DY, é uma expressão inglesa que traduzida literalmente significa rendimento do dividendo. É um índice criado para medir a rentabilidade dos dividendos de uma empresa em relação ao preço de suas ações. Este índice traz o benefício de poder comparar a rentabilidade dos dividendos entre empresas. É a razão que corresponde a uma fração em que figuram em numerador os dividendos por ação e em denominador o preço unitário das ações. Ele exprime, portanto, uma parte da remuneração dos acionistas.

O lucro no mercado de ações não é proveniente apenas da variação das cotações, ocorre também em forma de dividendos. Para avaliar este retorno foi criado o índice percentual dividend yield, que indica quanto do valor de cada ação que a empresa paga ao acionista em forma de dividendos.

O cálculo do dividend yield facilita a comparação da rentabilidade dos dividendos entre diversas empresas. Portanto, se você procura por ações boas pagadoras de dividendos é muito importante ficar atento a este múltiplo fundamentalista.

Utilizo o cálculo de dividend yield tanto para ações quanto para FIIs. No caso das ações somo os dividendos, JSCP e aluguéis BTC recebidos dividindo pelo PM do papel. No caso dos FIIs somo as distribuições e amortizações recebidas dividindo pelo PM do papel. Logo abaixo apresento a evolução dos DYs da minha carteira de ações e da minha carteira de FIIs nos últimos meses.

A tabela abaixo apresenta os dividend yields das ações e FIIs dos últimos anos das minhas carteiras de ações. Notem que a média do DY das ações é de 0,33% e o DY dos FIIs de 0,99%. O DY geral médio está em 0,67%.

dividend yield tabela

O gráfico abaixo apresenta a evolução dos dividend yields nos últimos meses. Existe uma tendência crescente nas distribuições de dividendos e aluguéis de FIIs em um prazo de três anos porém no ano de 2016 o dividend yield foi menor.

dividend yield

Alocação de Ativos dos Investimentos

A Alocação de Ativos busca melhorar a relação entre o risco e o retorno através do dimensionamento dos recursos investidos nos diversos ativos financeiros de renda fixa e renda variável. Em outras palavras, o método de alocação de ativos preconiza que o investidor deve procurar diversificar seus investimentos em consonância com sua tolerância ao risco, metas e horizonte de tempo.

Estudos acadêmicos mostram que mais de 90% da variação do retorno de uma carteira de investimentos no longo prazo é atribuída a sua alocação de ativos. A parte restante – menos de 10% – é atribuída ao market timing (momento de compra e venda de uma ativo) e à escolha de determinados ativos financeiros.

É importante frisar que cada investidor possui um perfil de risco, metas e horizonte de investimento específicos. Desta forma, cada investidor terá um critério de alocação de ativos particular. Logo abaixo, apresento minha alocação de ativos atual e a evolução da mesma ao longo dos últimos meses.

Utilize estes dados apenas como ilustração e não como referência para definir a sua alocação. Se você não tem conhecimentos suficientes para tal metodologia, um profissional certificado poderá lhe auxiliar nesta tarefa.

A alocação de ativos atual visualizada no gráfico de pizza abaixo mostra que a carteira de investimentos está fortemente concentrada em renda variável (84,4%) sendo 37,0% em ações e 47,4% em FIIs. Já a renda fixa está dividida entre 8,0% em conta corrente, 5,4% em poupança e 2,2% em títulos do governo (Tesouro SELIC).

alocacao ativos

A evolução da alocação de ativos nos últimos meses pode ser visualizada no gráfico abaixo. Notem que a alocação em renda fixa aumentou de 3,7% em fevereiro do ano passado a 15,6% em fevereiro deste ano. Em fevereiro de 2016 as ações e FIIs estavam muito “descontados” – vai saber o que é isto – na bolsa o que me proporcionou ter alocação máxima nestas duas modalidades de investimento.

O gráfico pode dar uma falsa sensação de que transferi recursos alocados nos FIIs para a renda fixa. Mas o que ocorreu de fato nestes últimos meses foi um aporte maior na renda fixa na medida em que as opções na renda variável foram diminuindo. A alocação de ativos pode sofrer mudanças neste ano que entra caso novas oportunidades surjam na bolsa.

alocacao ativos evolucao

Um bom fim de semana a todos!

suno research recomendação

21 thoughts on “Você já Testou suas Carteiras de Investimento?!

  1. Rodolfo Oshiro Responder

    Grande Uo,

    Bacana as atualizações das carteiras … eu montei um hedge esses dias tb .. .mas … depois daquela alta louca aqui .. lá fora … nas commodities .. ainda acho que lá fora .. .tem tudo pra cair .. valuation super esticados .. juros subindo … mas .. por algum motivo … o mercado tá animadaço e eu prefiro ir com a manada .. tem tudo pra cair.. e nao cai? otimo . .entao compramos … veja a qt tempo estão falando do minério esticado … e … subindo mais …

    Desfiz o hedge levei um prejuzinho … em uma oportunidade futura entrarei com a venda de novo ..

    Abs,

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      É a primeira vez que monto um hedge de verdade. Está sendo uma experiência paradoxal: torço para o IBOV subir e levar junto a minha carteira e ao mesmo tempo torço para cair e o hedge dar certo. rs De qualquer forma já está dando errado mesmo, me precipitei na execução, resta agora aguardar o momento para desfazer as posições. Talvez fique só comprado no dólar.
      Abraço!

  2. Anon Responder

    Vc brilhou com esse raiz vs nutella. Pesquisei raiz e nutella no google e o segundo site já era o seu

  3. ANDRE R AZEVEDO Responder

    Uó, eu estou bem mais enxuto contigo e dá uma preguiça fazer IR… Fico imaginando o perrengue que vc tem anualmente hehehe

    Abraço!

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      O IR realmente é trabalhoso, tirando esta parte tá de boa. quando vai divulgar sua carteira André?!
      Abraço!

  4. Cowboy Investidor Responder

    Olá UÓ,

    Você tem ativos demais na carteira.
    Eu estou com 14 ações e estou querendo aumentar para 16, mas fico pensando se irei conseguir administrar, pois tenho uns 10 FII também.

    Mas cada um tem uma estratégia, acredito que você dá conta.

    Abraços.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Rapaz, se eu tivesse realmente um bom embasamento teria no máximo 10 papéis. Mas…

  5. Investidor Inglês (@investidorIn) Responder

    Olá Uó!

    Cara eu preciso ajustar minhas planilhas ou até passar a usar a planilha do ADP pois não acompanho rentabilidade. Vez por outra por curiosidade faço a conta, mas preciso ter isso já implementado rsrs

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      boa! Raiz e Nutella é a onda do momento. A internet nunca mais será a mesma, kkk

  6. Anônimo Responder

    Opa Uo.
    Acho que essa é a segunda vez que passo aqui no seu espaço. Acompanho o AdP há algum tempo e achei bacana ver a diversidade de sua carteira. Vou passar por aqui mais vezes.
    Vi um comentário seu no blog do Rocky (treidarpraque). Acompanhava bastante o blog dele devido ao grande interesse na estratégia de defesa da carteira que ele utilizava.
    Você sabe por que o blog dele parou? Achei uma pena por que ele era um cara muito bom.
    Parabens pelo blog! Você e a blogsfera tem sido fonte de inspiração na minha busca por conhecimento e no meu objetivo maior dae alcanár a tão desejada independência financeira.
    Abraços.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Opa!
      Tudo beleza?!
      Não sei porque sumiu, mas só há dois motivos para uma pessoa sumir do mapa: ou ela quebrou ou ficou milionária.
      Obrigado, sucesso na caminhada, junte-se a nós, crise seu blog de investimentos.
      Não deixe de assinar o site Abacus Liquid para ficar informado sobre as últimas novidades.
      http://abacusliquid.com/blog/assine
      Abraço!

  7. Roger Responder

    Boa noite Uo, como já tem um histórico razoável, qual sua avaliação: compensa o stress / trabalho de ter carteira própria em contrapartida a investir somente ETF da bolsa, bova11, e de Fiis, Ifix?

    Custos para manter tantos ativos assim representa que percentual da sua rentabilidade?

    Como num fundo a taxa de administração seria esse custo.

    Grato pela atenção e sucesso nessa caminhada.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Olá Roger!

      Aqui entra aquela clássica resposta: depende.

      Tem que se avaliar esta questão aí do “stress”. Isto é particular de cada um, para muitos é estressante atuar individualmente no mercado, para mim é o contrário, gosto muito. E é talvez isto que me mantém operando meu próprio portfólio.

      Contudo, sei que para a grande maioria isto não é bem assim. Além de exigir muito tempo acompanhando mercado, pouca gente tem paciência para isto.

      Mas mesmo para estas pessoas que não querem sofres este stress, não aconselharia comprarem ETF. Aconselharia sim procurar um bom gestor de fundos de ações ou multimercado. Estes caras sim tem gabarito para montar e gerir uma boa carteira de ativos de renda variável.

      Somos meros amadores, sem conhecimento de causa. Muita gente acha que encontrou o santo graal dos investimentos ao se depararem com múltiplos fundamentalistas tais como ROE, ROI, margem líquida, dividend yield, dentre outros.

      Acreditam e tem fé que analisar balanços passados de empresas é o caminho para investir com sabedoria de bolsa de valores. Porém, isto é só o começo, como se diz na propaganda “sabem de nada inocentes”… (nós).

      Fico aqui comprando e vendendo ações mais por gosto do que por outra coisa. Se fosse analisar rentabilidade talvez seria melhor aplicar em um bom fundo de investimento. Mas até isto é difícil, escolher um bom gestor pode ser até mais difícil e perigoso do que escolher 10 papéis para montar uma carteira.

      Em suma, mercado de renda variável é risco puro. Se eu te falar que uma coisa é melhor que outra coisa estaria mentindo, só há incertezas, nada mais.

      Não deixe de assinar o site Abacus Liquid para ficar informado sobre as últimas novidades.
      http://abacusliquid.com/blog/assine

      Abraço!

  8. Investidor de Risco Responder

    Fala Uo! Cara, deve ter quase 100 ativos na sua carteira! Deve dar um trabalhão acompanhar tudo isso! De qq forma, a maneira que vc acompanha o histórico de seus investimentos e da alocação de ativos é bem interessante! Mas dá uma enxugada nisso ae… Dá até preguiça de pensar na sua declaração de bens e direitos no IRPF… rsrsrsrsrsrsrsrsrsrs
    Abraços.

    • Ábaco Líquido Autor do postResponder

      Rapaz, tem mais de 6 meses que não olho nenhum balanço. Depois do carnaval vou retomar esta atividade. Estou de férias, rs. Minha declaração é bem complexa. Estes ativos estão divididos no CPF da minha esposa e no meu. Fico o mês de março inteiro fazendo a declaração dela e o mês de abril inteiro fazendo a minha. rs. O que assusta é a quantidade de informe de rendimento que chega aqui, mais de 200 cartinhas, o carteiro já perguntou se aqui é uma imobiliária, rs. Se a bolsa chegar nos 80.000 como estão prevendo vou vender pelo menos metade desta carteira, dar uma enxugadinha. Tem muito ativo aí que nem compro mais.
      Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.