IBOV: Que Bicho é Este?!

Nesta semana o IBOV, ou IBOVESPA ou Índice BOVESPA chegou a superar o patamar dos 67 mil pontos pela primeira vez desde 2012 subindo 1,47% a 67.093 na máxima do dia 13/02/2017. Mas o que significa isto?! Esta foi uma pergunta realizada dias atrás por um leitor aqui do blog que tentarei responder neste post.

A título de ilustração, começarei o artigo apresentando quatro gráficos históricos do índice da bolsa de valores brasileira BM&F Bovespa (só temos esta bolsa por aqui). Abaixo temos o gráfico do IBOV plotado a partir de 1994. Ilustrei no gráfico as sete últimas graves crises que tivemos neste período só para contextualizar as grandes variações de queda.

ibov hoje

É interessante observar também os volumes de negociação apresentados no gráfico acima. Notamos um significativo aumento de 2006 em diante. Estes volumes diminuíram um pouco após a crise de 2008, mas após 2010 voltaram a se intensificar. A partir daí estamos vivendo intensa especulação, o vendedores dominaram o mercado nos últimos anos com grande volume de negócios. São basicamente fluxos de investidores estrangeiros – instituições financeiras na sua maioria.

Desde as crise de 2008 a pessoa física diminui na bolsa, e no país da renda fixa o mercado de ações só irá deslanchar quando os juros diminuírem a partir de uma percepção de risco-país menor. Enquanto os juros estiverem atrativos, o investidor irá preferir investir na renda fixa em detrimento do mercado de ações, é o que ocorre de forma inversa no mercado americano.

Contudo, estamos vivenciando nos últimos meses uma melhora nas expectativas da economia local evidenciada com a diminuição dos índices inflacionários. Isto levou o Banco Central a iniciar um ciclo de afrouxamento da política monetária. Com a diminuição da taxa de juros básica (SELIC), investidores estão agora aumentando o fluxo de capital em ativos como ações e FIIs. Outro fator que está impactando positivamente a bolsa brasileira é a recuperação dos preços das commodities metálicas e do petróleo nos mercados internacionais.

Do ponto de vista histórico, o gráfico em pontos do IBOV não fornece um visão fidedigna do mercado ao longo dos anos. Para corrigir isto é importante indexar o gráfico em pontos com algum indicador de mercado como inflação ou dólar. Veja abaixo como fica o gráfico do IBOV em pontos – sem indexação – plotado a partir de 1963.

ibov historico

Indexando o gráfico pela inflação no período (IGP-DI) a plotagem fica da seguinte forma:

ibov indexado

Indexando o gráfico pela cotação do dólar (dólar comercial) a plotagem fica da seguinte forma:

ibov dolarizado

IBOV – Conceito

O objetivo do IBOV é ser o indicador do desempenho médio das cotações das ações de maior negociabilidade e representatividade do mercado de ações brasileiro. Ou seja, ele é a mais importante referência para o nosso mercado de ações.

O motivo pelo qual índices de ações existem é que seria muito confuso analisar o desempenho de um mercado analisando cada ação individualmente. Outra vantagem imediata de se ter um índice de ações é o acompanhamento histórico de um mercado e a sua comparação com os de outros países.

Na sua origem o IBOV representava o valor de uma carteira teórica composta de 27 ações criada em 1968 com o valor base de 100 pontos. Atualmente esta carteira teórica é composta por 59 ações como mostra a tabela abaixo listada ordem decrescente de representatividade.

ibov composicao

Composição do IBOV em junho/2016

IBOV – Critérios de Composição

Não são todas as ações da bolsa que entram para o cálculo do IBOV, para uma ação entrar para o índice é necessário que ela passe pelos critérios de inclusão listados abaixo:

  • Estar entre os ativos elegíveis que, no período de vigência das 3 (três) carteiras anteriores, em ordem decrescente de Índice de Negociabilidade (IN), representem em conjunto 85% (oitenta e cinco por cento) do somatório total desses indicadores;
  • Ter presença em pregão de 95% (noventa e cinco por cento) no período de vigência das 3 (três) carteiras anteriores;
  • Ter participação em termos de volume financeiro maior ou igual a 0,1% (zero vírgula um por cento), no mercado a vista (lote-padrão), no período de vigência das 3 (três) carteiras anteriores;
  • Não ser classificado como “Penny Stock” – Ativos cuja cotação seja inferior a R$1,00.

Um ativo que seja objeto de Oferta Pública realizada durante o período de vigência das 3 (três) carteiras anteriores ao rebalanceamento será elegível, mesmo sem estar listado todo o período, desde que:

  • Oferta Pública de distribuição de ações ou units, conforme o caso, tenha sido realizada antes do rebalanceamento imediatamente anterior;
  • possua 95% (noventa e cinco por cento) de presença desde seu início de negociação;
  • atenda cumulativamente aos critérios 1, 3 e 4.

Serão excluídos da carteira os ativos que se enquadrarem em um dos critérios abaixo:

  • Deixarem de atender a dois dos critérios de inclusão acima indicados;
  • Estiverem entre os ativos que, em ordem decrescente de IN, estejam classificados acima dos 90% (noventa por cento) do total no período de vigência das 3 (três) carteiras anteriores;
  • Sejam classificados como “Penny Stock”;
  • Durante a vigência da carteira passem a ser listados em situação especial.

IBOV – Fórmulas

Índice de Negociabilidade

Índice de Negociabilidade (IN) é uma média geométrica entre a participação em negócios e a participação em volume de uma empresa no total do mercado. É o indicador fundamental para que uma ação faça parte do IBOV e retrata a negociabilidade e representatividade do papel no mercado. A fórmula de cálculo é apresentada abaixo:

ibov formula

Preço Teórico

O IBOV procura refletir não apenas as variações nos preços dos ativos integrantes do índice no tempo, mas também o impacto que a distribuição de proventos por parte das companhias emissoras desses ativos.

Para tanto, são incorporados, na carteira do índice, os valores referentes a dividendos, juros sobre capital próprio e rendimentos (pelo valor líquido de imposto), direitos de subscrição (preço com direito descontado do preço ex-teórico), valor de qualquer ativo recebido que seja diferente dos ativos originalmente possuídos e valor de quaisquer direitos de subscrição de ativos diferentes dos ativos originalmente possuídos.

Também são mantidos na carteira do índice os ativos recebidos a título de bonificação ou desdobramento e são incorporados na carteira os ativos, na mesma espécie e classe, decorrentes de subscrições consideradas economicamente vantajosas para os investidores.

Após o encerramento do último pregão “com-direito”, o provento, em dinheiro, é incorporado em todos os demais ativos integrantes da carteira, na proporção de suas respectivas participações. O valor total da carteira é recalculado utilizando-se o preço “ex-teórico” do ativo que distribuiu o provento e o redutor é alterado de forma que o valor do índice mantenha-se constante. A fórmula de cálculo é apresentada abaixo:

ibov preco teorico

Apuração

A BM&FBOVESPA calcula os índices ao longo do período regular de negociação, a cada intervalo de 30 (trinta) segundos, considerando os preços dos últimos negócios efetuados no mercado a vista (lote-padrão) com ativos componentes de sua carteira. Os índices podem ser calculados por meio da seguinte fórmula:

ibov apuracao

Abaixo o cálculo de apuração no fechamento do último pregão. Somando todos os valores da coluna Qtde. Teórica x Preço obteremos o valor de 8,29728E+11. Dividindo este valor pelo fator redutor de 16.788.576,26 encontraremos então o valor do índice de 49.422 pontos.

ibov carteira calculo

Apuração do IBOV em 13/06/2016

IBOV – Vigência das Carteiras

A carteira teórica do índice tem vigência de quatro meses, para os períodos de janeiro a abril, maio a agosto e setembro a dezembro, entrando em vigor na primeira segunda-feira do mês inicial de vigência (ou dia útil imediatamente posterior no caso de nesse dia não haver negociação no segmento BOVESPA). Ao final de cada quadrimestre, a carteira é rebalanceada, utilizando-se os procedimentos e critérios integrantes desta metodologia.

Ressalta-se que, nos índices ponderados pelo free float, as quantidades teóricas são apuradas de acordo com a metodologia de cada um deles, nas datas de reavaliação periódicas, com base na informação de free float dos ativos reportada pelas empresas, até o penúltimo dia de vigência da carteira anterior. Durante o período de vigência da carteira, essas quantidades, via de regra, são alteradas apenas em função dos casos previstos neste documento.

IBOV – Histórico de Adequações

Desde o início de sua apuração em 2 de janeiro de 1968, o Índice Bovespa foi objeto de diversas adequações em sua forma de divulgação, as quais não implicaram mudanças metodológicas.

Em meados de 2012, entretanto, a BM&FBOVESPA, tendo em vista a evolução do mercado de capitais brasileiro em todos os seus aspectos, iniciou um processo de reavaliação da metodologia do
Ibovespa, o qual culminou na criação de um Grupo de Trabalho composto de integrantes de diversos segmentos da indústria.

Esse Grupo de Trabalho, que considerou também todas as ocorrências com a negociação de papéis no mercado ao longo de dez anos, apresentou sugestões para aperfeiçoamento dessa metodologia em julho de 2013 visando a mantê-lo como o índice que representa, com mais exatidão, o desempenho do mercado brasileiro.

Dando por concluída essa fase de análise e discussão com o mercado, a BM&FBOVESPA anunciou que, em 11 de setembro de 2013, a metodologia do Ibovespa seria alterada, sendo a implantação dessas sugestões.

– A forma de ponderação, que, anteriormente, era em função da liquidez, passou a ser realizada pelo “free float” com cap de liquidez (Índice de Negociabilidade) de 2 vezes a partir da carteira de janeiro de 2014;
– O cálculo do Índice de Negociabilidade (IN) passou a considerar 1/3 da participação no número de negócios e 2/3 da participação de volume financeiro;
– O corte do IN, para efeito da seleção dos ativos para a carteira do índice, foi elevado de 80% para 85%;
– A exigência de presença mínima nos pregões foi alterada de 80% para 95%;
– Foi incluída previsão de inclusão antecipada de ativos de emissão de empresas listadas durante o período de vigência das duas carteiras anteriores à vigente;
– Foi incluída a determinação de não inclusão de ativos classificados como “Penny Stocks”;
– Foi incluída a previsão de exclusão quando o ativo estiver classificado acima dos 90% do IN na ocasião das reavaliações periódicas;
– Foram explicitados os critérios de inclusão e permanência na carteira em caso de suspensão da negociação de ativo;
– Foi introduzido um limite de participação por empresa na carteira.

O Ibovespa sofreu, unicamente para divulgação e sem prejuízo de sua metodologia de cálculo, as seguintes adequações:

ibov calculo
Na revisão de janeiro de 2014, os novos critérios já foram aplicados, mas a participação dos ativos na carteira foi apurada considerando 50% da participação pelo IN e 50% da participação pelo novo critério de ponderação. A partir da revisão de maio de 2014, as participações passarão a ser apuradas integralmente pelo novo modelo.

Referência 1Referência 2 e Referência 3

Artigos Relacionados

12 thoughts on “IBOV: Que Bicho é Este?!

    • Ábaco Líquido Post author

      Valeu Sr. Lixoso!

  1. KB Investimentos Reply

    Uó,
    Maior problema do Ibovespa é que hoje ele é muito concentrado em bancos e commodities, mas todo índice tem seus problemas. Acho que você explicou todos os detalhes do índice.

    Abraço.

    • Maurício Veloso Queiroz

      KB, mas a economia do País é basicamente isso mesmo. Portanto, o problema não é o índice, mas, sim, o que se produz aqui. No auge das commodities, por exemplo, nadaram de braçada.

    • Ábaco Líquido Post author

      É verdade pessoal,
      O índice é bem concentrado, mas ele não reflete a economia local, por exemplo, não tem nada de agronegócio nele, setor que movimenta milhões aqui no país.
      abraço!

  2. Stifler Pobre Reply

    Ibovespa subindo e dólar caindo, para quem gosta de comprar é viajar é hora de torcer para o dólar cair mais !!! rsrsrs

    stiflerpobre.blogspot.com.br

  3. Investidor Livr3 Reply

    Uó,

    Um bicho que não serve para nada, rs.

    Sem querer desmerecer a sua postagem, mas para mim o Ibovespa não existe!

    Ah, aguardo o gráfico do dólar, pois vou precisar comprar ele em breve, hahaha.

    Abraços!

    • Ábaco Líquido Post author

      Valeu I.R.!
      Sempre presente nos posts da blogosfera…

Comente...