Extraviamos a Tal Ponto Que Devemos Estar no Bom Caminho

“Outro dia me deparei com uma frase do Fernando Pessoa que dizia: ‘Nós nos extraviamos a tal ponto, que devemos estar no bom caminho’. Fiquei cheio de esperança no Brasil quando li isso”.

“O Brasil vive uma situação paradoxal na qual precisa de menos e mais Estado ao mesmo tempo. O Estado está onde não deveria estar e não está onde deveria estar”.

O convidado do Roda Viva desta segunda-feira foi Eduardo Giannetti da Fonseca, um dos pensadores mais respeitados do país. Mineiro de Belo Horizonte, ele se formou em Economia e em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo e é PhD em Economia pela Universidade de Cambridge, na Inglaterra.

“O primeiro mandato do Lula foi surpreendentemente bom, uma continuidade do segundo mandato do Fernando Henrique Cardoso. Tudo começou a se deteriorar no segundo governo Lula e acabou de vez no primeiro da Dilma”.

“Meu lema hoje é menos Brasília e mais Brasil. Não vejo por que o dinheiro público precisa ir até Brasília e depois voltar para os estados. Ele deveria ser gasto o mais próximo possível de onde é arrecadado. O cidadão mora no município, precisamos dar poder aos governos locais. Isso é cidadania tributária. A quem interessa o dinheiro que nós pagamos ir para Brasília e depois voltar?”.

“Estou surpreso com o silêncio das ruas diante da enormidade dos fatos que apareceram nas últimas semanas. O que mobiliza e leva a grandes manifestações é realmente inesperado”.

4 comentários em “Extraviamos a Tal Ponto Que Devemos Estar no Bom Caminho

  1. Givanice Alice Responder

    Depois de ler esta frase de Fernando Pessoa, me sinto com um pouco de esperança pelo Brasil. Isso tambem despertou certo credebilidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.