Pânico no Final do Pregão: Investidores se Preparando para a Guerra?

O dia estava relativamente tranquilo com as ações se recuperando das quedas mais recentes e o pregão já estava quase no final restando apenas 30 minutos para acabar. Quando de repente uma enxurrada de stops começa a disparar (não estava operando no momento pois todo dia às 17 busco o Uozinho na escola). Índice futuro despenca mais de 1.000 pontos em questão de segundos e dólar futuro sobe de 3.194 a 3.246. Acabo de ver este pânico aqui nos gráficos ao fazer o fechamento semanal. Procurando nos canais de comunicação, não encontro praticamente nada concreto para o movimento. Pelo visto, investidores e especuladores terão um fim de semana enigmático. A semana foi marcada pela tensão geopolítica com Estados Unidos e Coreia do Norte alfinetando um ao outro. Mísseis ainda não foram disparados mas o mau humor chegou em Wall Street e respingou aqui. Dizem que o mercado adianta os fatos, estamos preparados para a guerra iminente?

A explicação mais plausível para este movimento abruptos dos derivativos, encontrei no site Infomoney. Na verdade não é uma explicação e sim um conjunto de teorias. Segundo a reportagem, analistas ressaltam que os investidores estão evitando ficar posicionados por longos períodos, como o fim de semana, diante dos riscos geopolíticos da disputa entre Estados Unidos e Coreia do Norte.

hedge dolar

Alta do dólar: aquele momento em que seu hedge em mini-contrato começa a funcionar.

Outras explicação dada por especialistas é sobre o risco da mudança da meta fiscal levar a um possível corte de rating do País. “Aparentemente, os investidores não querem passar o final de semana posicionado com apreensão mais forte sobre o que a equipe econômica vai anunciar segunda”, explica Pablo Spyer, diretor de operações da Mirae Asset. Além disso, analistas comentam o medo de uma revisão da nota do Brasil pela Moody’s, que tem alterado alguns ratings nos últimos dias.

hedge indice

Queda do índice: em 1 minuto o índice futuro devolveu todo ganho do dia, as ações não sofreram variação neste momento pois não estavam sendo mais negociadas, mas o movimento indica uma abertura de queda na segunda.

Por fim, uma notícia no fim do dia também pegou o mercado de surpresa e colocou em risco a aprovação da TLP. Lindbergh Farias, presidente da comissão que estuda a proposta convocou a sessão de leitura do relatório apenas para quarta-feira, que até então era esperada para terça. Com isso, ele atrasa o cronograma do governo em praticamente uma semana, já que é preciso seguir um prazo regimental antes de votar a pauta. A proposta da TLP irá caducar em 7 de setembro e o governo corre contra o tempo para conseguir aprovar o texto. Com sérias dificuldades para passar as reformas no Congresso, uma derrota neste projeto poderá pesar ainda mais para Temer e para o mercado.

Estados Unidos e Coreia do Norte Prontos para a Guerra

Na última terça (8/8), as bolsas americanas estavam apresentando mais um dia de alta com os índices rompendo novo topo histórico em função dos bons resultados trimestrais divulgados pelas empresas quando, de repente, o mercado começa a desandar. Donald Trump tinha acabado de afirmar que a Coreia do Norte vai se deparar com “fogo e fúria e, francamente, com poderes nunca vistos antes pelo mundo” se o governante norte-coreano, Kim Jong-un, continuar a ameaçar os EUA.

eua coreia guerra

Nesta sexta, Donald Trump reforçou o alerta enviado à Coreia do Norte. Numa mensagem na sua conta de Twitter, Trump escreveu que “as soluções militares estão posicionadas, prontas e carregadas”, caso a Coreia do Norte ataque, aconselhando por isso o regime de Pyongyang a agir com precaução.

trump twitter guerra

A relação EUA x Coreia do Norte já é tensa desde o governo Obama. Porém a tensão entre os dois países agravou-se nesta semana, com os dois líderes políticos trocando ameaças de uma intervenção militar. Após Trump tentar intimidar Kim Jong-un com promessa de “fogo e fúria”, a Coreia do Norte ameaçou lançar mísseis contra a ilha de Guam, território dos EUA no Pacífico habitado por 163 mil pessoas.

E tudo isso acontece em meio a informações de que Pyongyang possa ter finalmente conseguido miniaturizar uma ogiva nuclear para caber em um míssil intercontinental – uma perspectiva temida há muito tempo pelos Estados Unidos e seus aliados.

estados unidos coreia do norte prontos pra guerra

Os testes contínuos de armas realizados pela Coreia do Norte desde o início do ano aumentaram a tensão na península e Washington endureceu sua retórica, com o governo Trump insinuando em várias ocasiões a possibilidade de realizar um ataque preventivo contra o regime comunista.

Ontem (10/08), ao término de uma reunião com seu vice-presidente, Mike Pence e seu assessor de segurança nacional, H.R. McMaster, Trump reiterou suas advertências à Coreia do Norte.

“Veremos o que faz com Guam. Se fizer algo em Guam, (desencadeará) um evento nunca visto antes na Coreia do Norte. Não poder sair por aí ameaçando Guam, os EUA, o Japão e a Coreia do Sul”, disse Trump.

Trump aproveitou para dizer que os Estados Unidos estão preparado para várias eventualidades militares e afirmou que sua linguagem firme não é um “desafio”, mas uma “declaração de fatos”. Trump também anunciou um aumento nos gastos com sistemas antimísseis.

“Vamos incrementar os orçamentos em muitos milhões devido à Coreia do Norte e outras razões”, revelou o presidente, que prometeu um anúncio sobre investimento em sistemas antimísseis na próxima semana.

Protejam-se! Se esta guerra for deflagrada de fato, vais respingar fúria e fogo nos quatro cantos do planeta.

suno research recomendação

6 thoughts on “Pânico no Final do Pregão: Investidores se Preparando para a Guerra?

  1. Vagabundo Reply

    quem mais vai se ferrar serão as 2 coréias. A do norte vai imediatamente atacar e arrasar a do sul, sendo em seguida arrasada pelos americanos. os respingos vao pro mundo todo.

    • Ábaco Líquido Post authorReply

      Só o fato de existir “a do norte” e “a do sul” já é algo sintomático. Nos tempos atuais não cabe mais este tipo de divisão. A reunificação seria o melhor para os dois conforme explica o prof. Alexandre Uehara:

      Será possível imaginar que um dia as Coreias possam se reunificar? No momento, não há nenhum indício de que isso venha a acontecer, mas se a divisão chegasse ao fim, traria vantagem para os dois países. Na conjuntura atual, quem ganharia mais seria a população norte-coreana. “Para se ter uma ideia da diferença econômica entre os dois países, a renda per capita do sul é de 16 mil dólares ano ano. No norte, está em apenas 600 dólares “, explica Alexandre Uehara. Ou seja, para uma nação em dificuldades, unir-se a uma economia emergente poderia ser a salvação. Por outro lado, para os sul-coreanos a unificação significaria paz e maior representatividade na região. “Atualmente, a Coreia do Sul e os países da região vivem sob o perigo constante de um ataque norte-coreano. Se Seul conseguisse eliminar essa ameaça, conquistaria um status mais interessante frente à comunidade internacional”, afirma o professor.

  2. Maromba Investidor Reply

    Eh meu amigo o bicho tá pegando e com certeza se realmente isso se concretizar os respingos por aqui e pelo mundo todo serão muito além de uma marolinha.

    • Ábaco Líquido Post authorReply

      Parece que não vai ter guerra, rs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.