Eleições 2018 – Pesquisa Eleitoral: As eleições gerais em 2018 serão realizadas simultaneamente em todo o país para eleger o presidente e o vice-presidente da República, os governadores e seus vices, senadores, deputados federais e estaduais.

O calendário das Eleições 2018 no Brasil foi aprovado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no dia 10 de novembro de 2015. O primeiro turno aconteceu no dia 2 de outubro e o segundo turno será no dia 30 de outubro. Vale lembrar que as datas podem ser alteradas com a divulgação oficial do calendário eleitoral pelo TSE.

  • 2 de outubro de 2017: Termina o prazo para o candidato trocar o seu domicílio eleitoral para o município que irá concorrer.
  • 1 de janeiro de 2018: Torna-se obrigatório o registro das pesquisas eleitorais realizadas pelos institutos de pesquisas.
  • 5 de março de 2018: Último dia para comunicação das instruções das Eleições 2018 pelo TSE.
  • 2 de abril de 2018: Prazo limite para o candidato estar filiado a um partido.
  • 4 de maio de 2018: Data final para o eleitor solicitar a inscrição ou alterar o título de eleitor, transferir o domicílio eleitoral, regularizar a situação ou requerer a transição para Seção Eleitoral Especial (destinada aos eleitores com deficiência ou mobilidade reduzida).
  • 13 de junho a 3 de agosto 2018: Fase em que são escolhidos os integrantes das Mesas Receptoras.
  • 5 de julho de 2018: Passa a ser permitido ao candidato a propaganda intrapartidária visando sua nomeação à candidatura. É vetado o uso de rádio, televisão e outdoor.
  • 20 de julho a 5 de agosto de 2018: Período no qual os partidos estão autorizados a promover convenções para a definição dos candidatos.
  • 3 de agosto de 2018: Data limite para o eleitor solicitar a segunda via do título de eleitor fora do seu domicílio eleitoral.
  • 15 de agosto de 2018: Final do prazo para os partidos políticos e coligações registrarem seus candidatos.
  • 16 de agosto de 2018: Início da propaganda eleitoral.
  • 26 de agosto de 2018: Começa a propaganda eleitoral gratuita através do rádio e televisão.
  • 13 de setembro de 2018: Prazo limite para a definição e comunicação dos partidos políticos à Justiça Eleitoral dos gastos de campanha dos candidatos.
  • 15 de setembro de 2018: É publicado pela Justiça Eleitoral o relatório das receitas em dinheiro coletadas pelos partidos políticos para patrocinar as campanhas eleitorais.
  • 22 de setembro de 2018: Prazo final para o eleitor requisitar em seu domicílio eleitoral a segunda via do Título de Eleitor.
  • 29 de setembro de 2018: Fim da propaganda eleitoral gratuita veiculadas no rádio e na televisão.
  • 30 de setembro de 2018: Termina o período da exibição de propaganda eleitoral paga.
  • 2 de outubro de 2018: Primeiro turno.
  • 3 de outubro de 2018: Início da propaganda eleitoral referente ao segundo turno, somente a partir das 17h.
  • 5 de outubro de 2018: Último dia para o mesário que abandonou a votação no primeiro turno justificar sua ausência.
  • 28 de outubro de 2018: Encerramento da propaganda eleitoral gratuita através do rádio e da televisão associada ao segundo turno.
  • 29 de outubro de 2018: Acaba a propaganda eleitoral paga relativa ao segundo turno.
  • 30 de outubro de 2018: Segundo turno.



Ipsos – 23/11/2017 (Fonte Estadão)

Segundo a pesquisa Barômetro Político Estadão-Ipsos, a aprovação ao nome de Huck apresentou um salto de 17 pontos porcentuais desde setembro, passando de 43% para 60%. Já a desaprovação caiu de 40% para 32% no mesmo período. Com isso, Huck passou a ser a personalidade com a melhor avaliação entre as apresentadas pelo Ipsos aos entrevistados. Todos os demais 22 nomes do Barômetro Político deste mês, porém, são do mundo político ou do Poder Judiciário, mais sujeitos ao desgaste do noticiário.

pesquisa eleicoes luciano huck

A pesquisa Ipsos não é de intenção de voto. O que os pesquisadores dizem aos entrevistados é o seguinte: “Agora vou ler o nome de alguns políticos e gostaria de saber se o (a) senhor (a) aprova ou desaprova a maneira como eles vêm atuando no País”. Entre os presidenciáveis, o primeiro a aparecer no ranking de aprovação do Barômetro Político, depois de Huck, é Luiz Inácio Lula da Silva (PT), com 43% de avaliação positiva e 56% de negativa. As taxas do ex-presidente estão em tendência de melhora paulatina desde junho. A eventual candidatura de Lula, porém, depende da Justiça – uma condenação em segunda instância pode inviabilizar legalmente sua participação na campanha.

eleicoes 2018 pesquisa candidatos
eleicoes 2018 candidatos
eleicoes 2018 pesquisa eleitoral

Vox Populi – 17/11/2017 (Fonte Carta Capital)

Apesar do recuo um pouco além da margem de erro de 2,2 pontos percentuais em relação à pesquisa de julho, o ex-presidente Lula continua a liderar com folga as intenções de votos para a presidência da República. Segundo o levantamento CUT/Vox Populi, realizado entre 27 e 30 de outubro, o petista aparece com 42% das preferências em uma lista com dez presidenciáveis. Em segundo lugar, em uma posição aparentemente consolidada, surge o deputado federal Jair Bolsonaro, cujo percentual variou de 13% para 16% entre julho e outubro. Os demais postulantes se engalfinham em um patamar abaixo de 8% de citações.

pesquisa vox populi presidente 2018

A pesquisa revela ainda que Lula tem atualmente a menor taxa de rejeição entre os nomes testados. São 39% aqueles que não votariam no ex-presidente. A repulsa a Bolsonaro chega a 60%. Os tucanos João Doria e Geraldo Alckmin têm os piores índices (72%, igualmente). O Sudeste é a região que mais rejeita o petista: 51% dos entrevistados se recusariam a votar nele se as eleições fossem hoje. No Nordeste, o percentual é de apenas 20%. Em uma disputa direta no segundo turno com o segundo candidato colocado (Bolsonaro), o resultado seria este…

pesquisa eleicoes 2018

IBOPE – 29/10/2017 (Fonte O Globo)

Lula e Jair Bolsonaro iriam para o segundo turno se as eleições presidenciais fossem hoje. É o que mostra a primeira pesquisa feita pelo Ibope para medir o pulso da corrida presidencial de 2018. Em qualquer cenário apresentado ao eleitor, Lula fica com o mínimo de 35% e o máximo de 36% das intenções de voto. Bolsonaro aparece com 15% quando enfrenta Lula. E cresce para 18% se o ex-presidente for substituído por Fernando Haddad (neste caso, está empatado com Marina Silva).

Marina Silva é a terceira colocada em qualquer cenário com Lula, com índices entre 8% e 11%, dependendo dos adversários. Se Lula ficar de fora, Marina lidera, empatada com Bolsonaro. Ciro Gomes, Geraldo Alckmin e João Doria surgem embolados num pelotão abaixo, com percentuais entre os 5% e 7%. Ciro sobe até os 11% quando Lula é substituído por Haddad (que tem a preferência de 2%).

eleicoes 2018 pesquisa ibope

DataFolha – 02/10/2017 (Fonte Estado de Minas)

Mesmo condenado em primeira instância pelo juiz Sergio Moro a nove anos e meio de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex de Guarujá, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva lidera as intenções de voto para presidente da República em 2018, segundo a última pesquisa do instituto Datafolha. Em diferentes cenários, o petista aparece com pelo menos 35% das intenções de voto, em vantagem significativa sobre o principal adversário. Na segunda colocação, há um empate técnico entre Jair Bolsonaro (PSC) e Marina Silva (Rede). Em distintos cenários, ele tem entre 16% e 17%, e ela varia de 13% a 14%.

lula data folha 2018

Pela primeira vez na série de pesquisas do Datafolha, Lula lidera também em todos os cenários de segundo turno. A exceção seria uma eventual disputa com o juiz Sérgio Moro – nesse caso, haveria empate técnico. Em junho, o petista teria entre 29% e 30% das intenções de voto e os dois presidenciáveis (Bolsonaro e Marina) em segundo lugar, respectivamente, 16% e 15%. O levantamento consultou 2.772 pessoas, em 194 municípios e foi feito na quarta e na quinta-feira. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

DataPoder – 16/08/2017 (Fonte O Antagonista)

Bolsonaro Crescendo

Jair Bolsonaro teve um crescimento extraordinário. Na pesquisa DataPoder360, ele aparece sempre em segundo lugar. No cenário com Lula e Geraldo Alckmin, como já dissemos, ele chega a 25%. No cenário com João Doria, a coisa é mais apertada: Lula tem 31%, Jair Bolsonaro tem 18% e o tucano tem 12%, quase na margem de erro. Sem Lula no páreo, é uma barbada: Jair Bolsonaro sobe para 27% e Geraldo Alckmin arranca com 9%.

bolsonaro marina

Marina na Berlinda

Marina Silva morreu. Isso fica claro na pesquisa do DataPoder360. Nos cenários com Lula, ela tem 3%. Nos cenários sem Lula, ela tem 6% e 8%. Lula comeu todos os votos que ela tinha à esquerda. Jair Bolsonaro comeu todos os votos que ela tinha como candidata fora do eixo PT-PSDB.

 


suno research recomendação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.