Eleições 2018 – Apuração: As eleições gerais em 2018 serão realizadas simultaneamente em todo o país para eleger o presidente e o vice-presidente da República, os governadores e seus vices, senadores, deputados federais e estaduais.

O calendário das Eleições 2018 no Brasil foi aprovado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no dia 10 de novembro de 2015. O primeiro turno aconteceu no dia 2 de outubro e o segundo turno será no dia 30 de outubro. Vale lembrar que as datas podem ser alteradas com a divulgação oficial do calendário eleitoral pelo TSE.

  • 2 de outubro de 2017: Termina o prazo para o candidato trocar o seu domicílio eleitoral para o município que irá concorrer.
  • 1 de janeiro de 2018: Torna-se obrigatório o registro das pesquisas eleitorais realizadas pelos institutos de pesquisas.
  • 5 de março de 2018: Último dia para comunicação das instruções das Eleições 2018 pelo TSE.
  • 2 de abril de 2018: Prazo limite para o candidato estar filiado a um partido.
  • 4 de maio de 2018: Data final para o eleitor solicitar a inscrição ou alterar o título de eleitor, transferir o domicílio eleitoral, regularizar a situação ou requerer a transição para Seção Eleitoral Especial (destinada aos eleitores com deficiência ou mobilidade reduzida).
  • 13 de junho a 3 de agosto 2018: Fase em que são escolhidos os integrantes das Mesas Receptoras.
  • 5 de julho de 2018: Passa a ser permitido ao candidato a propaganda intrapartidária visando sua nomeação à candidatura. É vetado o uso de rádio, televisão e outdoor.
  • 20 de julho a 5 de agosto de 2018: Período no qual os partidos estão autorizados a promover convenções para a definição dos candidatos.
  • 3 de agosto de 2018: Data limite para o eleitor solicitar a segunda via do título de eleitor fora do seu domicílio eleitoral.
  • 15 de agosto de 2018: Final do prazo para os partidos políticos e coligações registrarem seus candidatos.
  • 16 de agosto de 2018: Início da propaganda eleitoral.
  • 26 de agosto de 2018: Começa a propaganda eleitoral gratuita através do rádio e televisão.
  • 13 de setembro de 2018: Prazo limite para a definição e comunicação dos partidos políticos à Justiça Eleitoral dos gastos de campanha dos candidatos.
  • 15 de setembro de 2018: É publicado pela Justiça Eleitoral o relatório das receitas em dinheiro coletadas pelos partidos políticos para patrocinar as campanhas eleitorais.
  • 22 de setembro de 2018: Prazo final para o eleitor requisitar em seu domicílio eleitoral a segunda via do Título de Eleitor.
  • 29 de setembro de 2018: Fim da propaganda eleitoral gratuita veiculadas no rádio e na televisão.
  • 30 de setembro de 2018: Termina o período da exibição de propaganda eleitoral paga.
  • 2 de outubro de 2018: Primeiro turno.
  • 3 de outubro de 2018: Início da propaganda eleitoral referente ao segundo turno, somente a partir das 17h.
  • 5 de outubro de 2018: Último dia para o mesário que abandonou a votação no primeiro turno justificar sua ausência.
  • 28 de outubro de 2018: Encerramento da propaganda eleitoral gratuita através do rádio e da televisão associada ao segundo turno.
  • 29 de outubro de 2018: Acaba a propaganda eleitoral paga relativa ao segundo turno.
  • 30 de outubro de 2018: Segundo turno.



Como Funciona a Apuração dos Votos das Eleições 2018

O processo de apuração dos votos tem início logo após o fim da votação, às 17h. Até chegar à totalização dos votos, os dados saem das sessões eleitorais, passam pelos Tribunais Regionais Eleitorais e por fim pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que divulga oficialmente o resultado das eleições em tempo real no seu site pela internet. O procedimento está sob a responsabilidade das juntas apuradoras, formadas a partir das Juntas Eleitorais.

eleicoes 2018 apuração

Etapas da Apuração dos Votos

Antes de tudo, para a urna eletrônica estar apta a receber os votos dos eleitores é preciso imprimir a zerésima, um documento que comprova que a urna não possui nenhum voto registrado para nenhum dos candidatos. Com a zerésima emitida, a urna pode ser utilizada normalmente.

Com a votação finalizada, a urna é encerrada por um mesário, sob a presença de representantes dos partidos políticos, do Ministério Público e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), e é inciado o processo de apuração dos votos, que funciona de acordo com as seguintes etapas:

  1. São impressas cinco cópias do boletim de urna, sendo uma delas fixada na seção eleitoral. O boletim de urna é um documento que exibe todos os votos registrados durante a votação, incluindo os brancos e nulos, o total de eleitores que votaram, a hora de encerramento da votação e a identificação da zona e seção eleitoral que a urna estava instalada. A ordem dos votos aparece de forma aleatória, para que não haja nenhuma ligação dos votos com os eleitores.
  2. O boletim de urna, além de ser impresso, é armazenado em um dispositivo digital que será levado a um ponto de transmissão nos cartórios eleitorais, onde os dados, que são codificados, serão transmitidos ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) através de uma rede virtual exclusiva da Justiça Eleitoral. Nos municípios mais distantes e nas aldeias indígenas essas informações são envidas por satélite.
  3. Ao chegar no TRE, todos os requisitos de segurança são verificados, e estando de acordo com a normalidade, as informações são descodificadas, os votos são contabilizados.
  4. Os votos computados são publicados na internet, para que os fiscais dos partidos possam confirmar se os dados recebidos pelo TRE foram os mesmos que estão no boletim impresso pela urna que foi fixado na seção eleitoral.
  5. Os votos apurados pelos TREs são enviados ao TSE, que divulga a totalização de todos os boletins de urna em tempo real pela internet.

É importante lembrar que os votos em branco e nulo não são introduzidos no cálculo da totalização dos votos, pois não são considerados válidos, eles são apresentados apenas como dados estatísticos.

Fonte


suno research recomendação