Por que Você só Pensa em Férias e Aposentadoria?

Responda estas três perguntas: Você está satisfeito no seu trabalho? Acorda todo dia disposto a ir para seu local de trabalho? Não é afetado pela síndrome da música do Fantástico?

Se você respondeu SIM a estas três perguntas então meus parabéns! Você é uma pessoa privilegiada. Mas se a sua resposta foi NÃO para todas elas não fique muito preocupado, você está nas estatísticas. Pesquisas recentes mostram que cerca de 95% das pessoas estão insatisfeitas com suas atividades profissionais.

Qual o motivo das pessoas estarem tão insatisfeitas com o trabalho? As razões são as mais variadas: salários baixos, não gostar das atividades rotineiras, considerar o chefe chato e muitas outras. Porém não se engane, salário alto não traz felicidade, pode apenas atenuar a dor de um trabalho insuportável.

E se o seu trabalho é chato basta você pedir demissão e procurar um outro mais interessante não é mesmo? Mas se você acha que o problema está na sua profissão então basta escolher outra área e fazer um novo vestibular. E se o problema está mesmo no seu chefe basta pedir para trocar de setor ou mesmo pedir para trocar o chefe.

Enfim, soluções para trazer a satisfação no seu trabalho são muitas, basta você agir, simples assim. Mas falar é fácil, difícil é fazer, ainda mais considerando a origem da palavra trabalho:

A palavra trabalho tem origem no latim tripalium, formada pela junção dos elementos tri, que significa três e palum que quer dizer madeira. Tripalium era um instrumento de tortura constituído de três estacas de madeira afiadas.

Desta forma, “trabalhar” significava “ser torturado”. Os escravos e os pobres que não podiam pagar os impostos eram os que sofriam as torturas no tripalium. Sendo assim, quem “trabalhava” naquele tempo eram as pessoas destituídas de posses.

A ideia de trabalhar como tortura passou a dar entendimento, por extensão, às atividades físicas realizadas pelos trabalhadores em geral: camponeses, artesãos, etc. Só a partir do século XIV a palavra trabalho começou a ter o sentido que hoje lhe atribuímos: de aplicação das forças e habilidades para alcançar um determinado fim.

Como ser Feliz Trabalhando – Satisfação no Trabalho é Possível?

Ontem postei aqui no blog a notícia da morte do sociólogo sociólogo Zygmunt Bauman, aos 91 anos de idade. Bauman trabalhou incansavelmente até seus últimos anos de vida. Publicava de dois a três livros por ano, dava entrevistas a diversos canais de mídia, etc. E qual o segredo de tanta disposição? Simples: propósito.

Colocado desta maneira parece ser uma solução simples: defina um propósito de vida, foque nele e seja feliz! Porém, é muito comum enfrentarmos crises de propósito ao longo da vida. Por exemplo, é comum nas empresas que especialistas técnicos, para ascender na profissão, assumam funções gerenciais.

Nestes casos ocorrem conflitos em torno dos propósitos. O objetivo inicial que era ser útil de alguma forma realizando trabalhos técnicos passa a ser subir na carreira. Porém, no nível gerencial o profissional passará a executar atividades que muitas vezes não são prazerosas para uma pessoa de perfil estritamente técnico.

trabalhoA insatisfação no trabalho é hoje uma epidemia. Não é fácil encontrar pessoas satisfeitas com suas atividades profissionais. Geralmente as mais satisfeitas são aquelas que transformaram um sonho em realidade através da criação de um negócio.

Segundo especialistas, uma das razões para tanto descontentamento, é fato de que, atualmente, as pessoas procuram felicidade no sucesso da carreira, diferentemente de décadas atrás, quando o trabalho era apenas uma fonte de renda.

O ser humano vive em uma constante busca pela felicidade plena e o êxito profissional está inserido no plano da sua vida. Geralmente dedicamos grande parte do nosso tempo aos estudos: faculdade, línguas, especializações, tudo visando um único objetivo: o sucesso profissional. E via de regra as expectativas geradas não são alcançadas no ambiente profissional.

Voltando ao tema do “propósito”, não quero transformar este post em uma texto sublimar, tipo auto-ajuda, porque também tenho lá meus conflitos de propósito de vida. Mesmo considerando que tenho hoje uma estrutura profissional privilegiada em relação a grande maioria das pessoas: sou dono da minha empresa, trabalho em casa, defino meu expediente da melhor forma possível, etc.

Quero que este texto sirva apenas como ponto de reflexão para quem enfrenta problemas de insatisfação na profissão e no trabalho. Principalmente para os casos mais crônicos. Sei que cada pessoa tem uma forma particular de enxergar o mundo e isso reflete diretamente nas escolhas que elas fazem em seu trabalho e como lida com as insatisfações.

Quando falo em propósito quero dizer  que a pessoa precisa saber qual é sua missão no mundo, o que pretende ser e realizar para o bem comum. Quando se tem um objetivo forte de vida fica fácil traçar objetivos e metas pautados em valores, não permitindo que as adversidades desviem o seu caminho, a ponto de não enxergar mais que direção tomar.

Quando não se tem um objetivo de vida forte e definido os valores ficam confusos e comprometidos. A busca pelo sucesso a todo custo faz com que nos esqueçamos de quem realmente somos, e isso nos torna um objeto de barganha empresarial: quem pagar mais leva.

Seu Testemunho

Se tiver um tempo disponível, compartilhe conosco na área de comentários se está satisfeito com seu trabalho. Se não está nos diga o que falta e o que pode fazer para melhorar isto. Se está satisfeito com a sua vida profissional nos fale como conseguiu alcançar esta satisfação. É possível ser feliz trabalhando? Você pretende trabalhar até o fim da vida como o escritor Zygmunt Bauman?

Qual o seu real propósito de vida? Acumular dinheiro a todo custo para daqui 30 anos parar de trabalhar desperdiçando assim 30 anos preciosos da sua vida sem garantias de que irá chegar lá? Lembre-se sempre: a vida é o que acontece enquanto você está fazendo planos para um futuro distante. Posto assim, trabalhar faz parte da vida e você pode sim ser feliz hoje e não apenas nas férias ou quando chegar a aposentadoria.

suno research recomendação

11 thoughts on “Por que Você só Pensa em Férias e Aposentadoria?

  1. Vagabundo Reply

    eu queria ser como meu pai. trabalhou 35 anos na mesma metalurgica, talvez até na mesma máquina, se aposentou e voltou pra cidadezinha natal. eu nao sou assim… sempre sofri com insatisfação no trabalho, sempre tentei procurar algo melhor. no inicio da carreira era facil achar algo melhor mesmo que fosse só financeiramente. nessa fase valeu a pena ser mercenario. depois a procura por algo mais interessante só me trouxe sofrimento. trabalho é trabalho. somente alguns poucos privilegiados conseguem fazer o que gostam e se sustentar com isso. descobri tardiamente o movimento FIRE, que teria me poupado muitos anos de sofrimento. aos nao-privilegiados é o que resta.

  2. Jejé Reply

    Parafraseando um colega ai em cima, tenho 28 anos, sou da geração atual né, mas eu tenho a impressão que fui “doutrinada” diferente. Eu não morro de amor pelo que eu faço, mas na minha cabeça tenho um bom emprego, um bom clima no trabalho, obviamente não é o país das maravilhas.. mas é o meu emprego, não é férias … e isso pra mim não é um fardo como parece ser pra esse pessoal da minha geração que parece precisar encontrar “muito amor” em tudo que faz.. senão não vale a pena fazer nada …

    Sei lá.. acho que se for assim, só teremos jogadores de futebol, modelos, astronautas, enfim. Tem hora q é foda, mas se você não trabalha sozinho, vá até a sala de outro colega, conte ou ouça uma piada, conte até 10 e volte a trabalhar, vai ficar tudo bem.

    Bjinhos…

    • Ábaco Líquido Post authorReply

      Ou então cantar… quem canta os males espanta, rs.

  3. Rodolfo Oshiro Reply

    Uo,

    Uo não sei viu Uo, eu tenho a impressão que fui “doutrinado” diferente. Eu não morro de amor pelo que eu faço, mas na minha cabeça tenho um bom emprego, um bom clima no trabalho, obviamente não é o país das maravilhas.. mas é o meu emprego, não é férias … e isso pra mim não é um fardo como parece ser pra essa geração mais nova que parece precisar encontrar “muito amor” em tudo que faz.. senão não vale a pena fazer nada …

    Sei lá.. acho que se for assim, só teremos jogadores de futebol, astros ..estrelas … enfim … trabalhe, faça o seu melhor …tem hora q é foda … vai tomar um café .. conta até 10 … trabalhe .. mas não sofra …

    Abs,

    • Ábaco Líquido Post authorReply

      Fala Rodolfo!

      Vc acha que jogador de futebol gosta de ser jogador? Tem que treinar debaixo de sol quente a semana toda, fazer musculação, não tem fuim de semana, fica confinado em hotel… rs

      Toda profissão tem suas chatices, mas devemos pensar nos resultados e não no que passamos para alcançar os resultados, aí fica mais fácil,rs.

      Abraço!

  4. Acades Vulgaris Reply

    Grande Uó, há tempos venho acompanhando seu blog. Gosto muito de poder ler ele e, inclusive, te adicionei na minha lista de blogs que sigo. Sou iniciante na blogosfera. Você topa adicionar meu blog na sua lista de blogs também?

    http://academicoinvestidor.blogspot.com/

    Agradeço.

    Sinceramente, O Acadêmico Investidor.

  5. NooB Investidor Reply

    Saudações Uó.

    Quando respondo mentalmente a pergunta se estou satisfeito com meu trabalho, a primeira resposta, de imediato, sempre é não. Creio que seja porque comparo a atual situação com o NOVO que sempre atrai, onde achamos que seremos mais produtivos, sem rotinas, etc.

    Mas posteriormente, vem a comparação com outros trabalhos, situações de empregos “piores” e até desemprego e rapidamente você se ver agradecendo por ter um emprego, receber certinho e ter aquela rotina.

    Vá entender… hhehehehhehe

    Mas depois destes devaneios, posso considerar que sou satisfeito com meu trabalho principal: trabalho na minha área de formação (muitos não conseguem), aprendo coisas novas apesar da existência de alguns processos de trabalho que se repetem.

    Abcs

    PS: Não sei se somente é comigo, Uó, mas me incomoda um pouco a curta distância do espaçamento entre linhas (line-height) e espaçamento entre parágrafos adotados em seus textos. Sempre dou uma ajustada aqui pra melhorar a leitura. 😀

    • Ábaco Líquido Reply

      Fala NooB,
      Realmente a satisfação tem seu lado perigoso: a zona de conforto.
      Plenamente satisfeito ninguém nunca estará, mas odiar mortalmente o que você faz no dia a dia é sinônimo de má qualidade de vida.
      Veja se melhorou o espaçamento entre linhas.
      Abraço!

  6. Investidor de Risco Reply

    Fala Uó!
    Na minha percepção o que mais causa insatisfação é a rotina, a repetição, a falta de novidade. No âmbito profissional a tendência é que as pessoas sejam cada vez mais especializadas e exerçam as mesmas tarefas a maior parte do tempo. É a tal divisão do trabalho proposta por Adam Smith na obra ‘A Riqueza das Nações’. A rotina não motiva, apenas exaure o cidadão. A sugestão seria buscar formas de trabalhar com questões diferentes, ainda que na mesma empresa. Circular pelas diferentes áreas da organização, trabalhar em projetos novos, com pessoas diferentes, problemas diferentes, desafios diferentes.

    • Ábaco Líquido Reply

      Opa Risco!
      Você está certo, a rotina é um doas grandes problemas no ambiente de trabalho. A rotina não é instigante, ela é massacrante. Em algumas área é sim possível criar um rodízio entre empregados, mas em outras não. Mas algumas profissões estão fadadas à rotina eterna.
      Valeu.
      Abraço!

Comente...