Cartão Pré-Pago

Uma modalidade de cartão tem se tornado popular entre os consumidores nos últimos anos: cartão de crédito pré pago. A grande vantagem deste cartão em relação ao cartão de crédito tradicional é que se torna possível controlar de maneira mais rígida os gastos. O funcionamento é simples: semelhante a um celular pré-pago, você deposita um certo valor no cartão e vai o utilizando, enquanto ainda tiver saldo. Esta modalidade de cartão é um bom jeito de melhorar a organização das contas. Por exemplo, as mesadas dos filhos e os gastos dos empregados podem ser melhor controlados por meio da função pré-paga.

cartão de crédito pré pago

Uma recente pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) constatou que mais de metade dos brasileiros compraram por impulso nos três meses anteriores. Boa parte dessas compras foi realizada por meio de cartões de débito e crédito.

O problema é que, sem atenção, esses cartões podem levar a um quadro perigoso de descontrole das finanças e endividamento, já que as taxas de juros dos cartões de crédito e do cheque especial são exorbitantes.

Se você está entre aqueles que sempre acabam gastando mais do que o planejado e acaba não conseguindo pagar o valor total da fatura do cartão ou ultrapassando o limite do banco, pode ser um candidato à utilização de um cartão de rcrédito pré-pago.

Esta modalidade de cartão é comumente chamada de cartão de crédito pré-pago, porém esta denominação é errônea já que não se oferece crédito.

Mas nem tudo é perfeito e este tipo de cartão possui algumas desvantagens. As empresas mantenedoras do serviço muitas vezes cobram elevadas taxas para manutenção e até mesmo para recarga do cartão. Além disso, tarifas de saque costumam ser bem mais elevadas se comparadas com uma conta corrente comum em um banco, por exemplo.

De qualquer forma,  um cartão pré-pago é mais indicado para quem não consegue controlar seus gastos mensais com o uso do cartão de crédito tradicional. Apesar das taxas de compra, manutenção e recarga, podem ser mais baratos do que os juros de uma eventual conta do cartão não paga ou do uso contínuo do cheque especial, por exemplo.

Cartão de Crédito Pré Pago – Menos Burocracia

Uma das vantagens do cartão de crédito pré pago é que se tem pouca burocracia para fazer um. Você não precisa ter conta em banco e nem provar que é bom pagador. Ou seja, até quem está com o nome sujo na praça pode usar. As únicas exigências são ter um CPF ativo e, claro, dinheiro para abastecer o cartão. O carregamento é realizado em máquinas espalhadas pelo comércio ou via internet.

Facilidades como não exigência de renda mínima e ausência de anuidade estão atraindo cada vez mais consumidores. A maior empresa de cartões pré-pagos do país estima que o número desse tipo de cartões ativos no país passou de 50 mil em 2014 para 250 mil no final de 2015. Os consumidores vão desde cartões corporativos de empresas até ex-enrolados no cartão de crédito tradicional.

cartão de crédito pré pago

Principais Vantagens

  • O cartão de crédito pré pago facilita o planejamento financeiro e o controle de gastos;
  • Oferece uma maneira segura e conveniente de distribuir fundos a familiares e empregados;
  • Oferece segurança evitando que você saia com dinheiro no bolso e evita preocupações em caso de perda ou roubo do cartão;
  • Você pode receber fundos solicitando que seu salário ou outros benefícios sejam depositados diretamente no cartão para usá-los rapidamente.

Principais Desvantagens

  • O cartão de crédito pré pago tem pagamento de tarifa de emissão e recarga;
  • O cartão de crédito pré pago exige pagamento de mensalidade.

Disponibilizei aqui no site uma página dedicada a esta modalidade de cartão com mais informações detalhadas, para acessar basta clicar neste link. Veja também outras informações sobre cartões no painel Manual do Consumidor do nosso site.

Tópicos Relacionados

14 comentários sobre “Cartão Pré-Pago

    • Na minha opinião o cartão de crédito é sempre a melhor opção, mas para os descontrolados, deixar o limite no teto das suas reservas pode ser mesmo uma boa. Mas até isto exige controle pessoal, rs.

      Abraço!

    • Amigo Func. Púbico,

      O Nubank é uma boa opção justamente para quem menos precisa desta modalidade de cartão: aqueles que tem controle, bom crédito e renda. Como o Uó mesmo aponta no texto, estes cartões não exigem nome limpo, conta em banco ou renda mínima, sendo ótima opção para quem está na pior controlar os gastos.

  • Buenas Uó! Eu acho uma solução interessante para empresas e instituições – bem que poderia ser adotada para os gastos de nossos políticos!
    No particular (PF), acho que o custo não compensa, mas uso algo similar para educar meu filho nessa questão de ‘responsabilidade fiscal’. Abri uma conta poupança para ele, que acaba funcionando como esse pré pago, ou seja, o gasto dele fica limitado ao que está na conta.
    Solução tupiniquim, simples assim!
    Abraço.

    • Olá IpV!

      O cartão corporativo realmente é interessante. O de viagem também.

      Sobre a questão do filho, irei educar o meu a usar cartão de crédito que na minha opinião é o meio mais eficiente. E conta poupança também é útil em algumas situações. Temos que usar todo arsenal que temos.

      Qual a idade do seu filho?

      Abraço!

      • Pois é Uó, eu até tenho um cartão de viagem, mas depois que o governo começou a taxar o IOF parei de acumular e zerei ele na minha última ida aos EUA. Agora, se eu resolver viajar, pode ser que coloque algum valor nele.

        Eu usava bastante o cartão de crédito, mas hoje, uso esporadicamente – costumo usar o débito. Isso é muito pessoal, mas eu abri mão das milhas em prol do controle de gastos por impulso, principalmente, da minha esposa. Deu certo, então, tá bom assim.

        Meu filho tem 12 anos, então ele já tem idade suficiente para, ao menos, gastar menos do que ganha.

        Abraço!

  • Interessante que este cartão é recomendado para quem tem dificuldade de controle financeiro, porém é uma opção que gera mais custo para quem o usa. Seria este o preço a se pagar por não conseguir controlar suas finanças?

    Eu uso cartão de crédito em todas as despesas possíveis e foi uma das melhores escolhas que já fiz. Pago tudo em um dia só (até 40 dias depois que de fato efetuei a compra, ou seja, meu dinheiro ficou rendendo nesse período), consigo ver o acumulado na prévia da fatura, não pago anuidade e possuo programa de benefícios (consegui juntar 25mil léguas no submarino e ganharei um vale compras de R$ 250!)

    Abraços

    • Justamente Japa, este é o preço, rs. Salgado por sinal, mas bem menor do que o preço dos juros dos cartões de crédito e cheque especial.

      Mas vale lembrar que não estamos falando só de cartão pré-pago de uso geral, temos outras classes de cartão pré-pago como os corporativos e de viagem. Há outros nichos de mercado a serem analisados. No link que coloquei no post falo mais destes cartões, que a princípio resolvem o problema de muitos donos de empresa e viajantes.

      Eu tb não vivo sem cartão de crédito, aliás, aspiro por um mundo futuro em que o dinheiro físico irá desaparecer, com isto acho que até a violência vai diminuir – assaltos por exemplo.

      Abraço!

  • Olá Uó!

    Eu acho, particularmente, uma péssima escolha. A comparação (prós e contras) mais correta não é com um cartão de crédito (até pq não possui crédito, como vc comentou), mas sim com um cartão de débito.

    As possíveis vantagens resume-se no caso de o usuário não ter crédito para possuir uma conta-corrente. E só. Mesmo o ponto de controlar melhor os gastos, a pessoa pode fazer uma aplicação automática assim que receber seu “salário” e ter na conta-corrente o disponível para gastar com o cartão de débito até o final do mês. Para que gastar mais e ter outro cartão?

    Abraços!

    • Olá André!

      Eu concordo com os seus pontos, só faço um adendo de que a escolha de um cartão vai depender muito do perfil da pessoa. Eu por exemplo tenho um perfil de “pessoa controlada” logo o cartão de crédito é a minha escolha, além do mais tenho o perfil de pessoa “pão-dura” que não gosta de pagar taxas de espécie nenhuma, logo estes cartões não me atendem.

      Porém temos no mundo diversos perfis de pessoas, e para aquelas ‘descontroladas’ que não sabem lidar com crédito e estão como nome sujo na praça então este tipo de cartão pode funcionar.

      Concluindo, pra mim não serve, mas pode ser vir para alguém, foi por isto que resolvi fazer este post já que o blog tem caráter informativo. Outro objetivo do post foi levantar discussões como estas, acho sempre válido.

      Grande abraço!

      • É isso mesmo Uó!

        Meu comentário foi nessa mesma consideração, de auxiliar os leitores. Eu sabia desde o começo que vc não usava rsrs.

        Mas apenas para reforçar: concordo que ele pode ser útil para quem não tem crédito e abrir uma conta bancária.

        Mas mesmo para as pessoas descontroladas, acho mais negócio ter a conta, um cartão de débito e cadastrar um investimento automático no dia que receber o seu salário.

        Abraços!

        • Olá André!

          Também concordo que não é uma ferramenta de controle financeiro muito eficiente. Há formas mais interessantes de controle como você citou. e educação financeira é tudo.

          Abraço!

        • Há casos e casos. Eu, por exemplo, estou com nome sujo. Para substituir a tv a cabo pelo netflix, na época não tinha opção de débito em conta para o meu banco e nem pré-paga como hoje. Cartão de crédito já tinha destruído a tempos. Qual foi a solução? O cartão pré-pago.

          Sim, custa mais. O meu cobra 5 reais por recarga ou coisa assim. Considero como custo extra do netflix e vida pra frente.

          Compras pela internet, assinatura de serviços, tudo isso consigo fazer pelo cartão pré-pago, mesmo com nome sujo. Não tenho quase nada com débito em conta, assim evito dor de cabeça com débitos de valores indevidos.

          E sobre a sua ideia para pessoas descontroladas, seria 100% eficaz se o investimento tiver carência para resgate, senão vão ser só dois trabalhos antes de gastar: o de investir e o de resgatar antes do fim do mês.

          Concordo com o Uó/Abaco neste caso, depende muito do perfil, uso e etc. Tem custos relativamente altos, mas menos que um cartão. É praticamente um orçamento, já que você separa o valor a ser gasto antes de utilizar.

          Mas é só minha opinião!

Comente...